Blog do PQi

Informações, notícias e eventos do PQi

Postagens:


Turnê de Eventos - Maio e Junho (2.017)

  Olá, caríssimos amigos e patrocinadores do PQi - Programa Qualificar para Incluir.

 

  Com muita alegria e satisfação, trazemos a vocês mais novidades do Programa PQi pelo Brasil! Nestes últimos meses do primeiro semestre (Maio e Junho), estivemos em uma grande turnê de eventos e treinamentos por todo o estado do Maranhão, com muito entusiasmo conseguimos levar pequenas fagulhas de luz para cada pessoa que tivemos a oportunidade de encontrar e trocar experiências. Tem sido Fantástico está trajetória do PQi neste ciclo, com mais de 10 eventos por mês e muitos treinamentos.

 

  Confiram as fotos dos locais por onde estivemos trabalhando, e não de comentar, curtir e compartilhar com seus amigos!

Novidades - Programa Qualificar para Incluir (PQi)

  Olá, caríssimos amigos e patrocinadores do PQi - Programa Qualificar para Incluir.

 

  É com muita satisfação, alegria e saudades de tanta gente que retornamos ao nosso site, nosso espaço para dar notícias nossas e ansiosamente aguardando notícias de todos os Amigos do PQi...

 

  Todos que nos acompanham pessoalmente, pelas redes sociais e até mesmo com e-mails e contatos de vez em sempre sabem o ano de 2016 fechamos com Grande sucesso as turmas de Tic-Mobile, Tic Logística e PQi Tic padrão, e entregamos os novos profissionais formados, para a disponibilização para os nossos parceiros e patrocinadores CPqD; Samsung e Galvani bem como uma turma com formação específica para a Elektro.

 

  Graças aos esforços de todos, sempre... aos esforços incansáveis da Equipe do PQi, de nosso bom e Generoso Deus, fechamos com Chave de ouro e entregamos nas formaturas pessoas felizes, confiantes e mais plenas com elas mesmas; Esse é o clima PQi que todos conhecem...

 

E o PQi não para, com todas as reformulações de conteúdos, cargas horárias, temas altamente inovadores na área de Tecnologia e agora também de Governança Ti, estamos aí no Campo pelo Brasil...

 

  Estruturando fortemente para a continuidade em Campinas- SP, aeroporto de Viracopos, e CPqD e mais alguns parceiros em negociação, seguimos fortes no campo e neste momento estamos viajando e percorrendo o estado do Maranhão também com nosso expertise, e novamente somando esforços com uma grande equipe de 96 pessoas viajando por diversos lugares no Maranhão, levando a força totalmente dedicado aos particulares negócios dos patrocinadores e parceiros, o PQi hoje mais fortalecido, mais maduro, pronto e provando a cada tempo isso diretamente na estrada, apresentando seus resultados e novas propostas em âmbito internacional...

 

  O Programa de formação para pessoas necessitadas, carentes e com algum tipo de necessidade especial não para, e agora mais forte e atuante... isso nos fortalece nos propósitos que nos colocamos.

 

  Pois em nossas andanças um de nossos grandes amigos do PQi, Dro. Hélio Marcos Machado Graciosa – Ex-Presidente do CPqD, disse uma frase que ficou em um dos pilares do PQi, e diz:

 

“A Grande Lição que a gente tira é que a natureza humana não tem limites, dada uma oportunidade as pessoas se desafiam e as pessoas superam obstáculos... então a forte sensação que além de qualificarmos o Mercado do trabalho, agente está ajudando Gente a crescer...”

 

  É isso continuamos incansavelmente buscando estas pessoas fortes, e que só estão verdadeiramente esperando por estes desafios.

 

  Ano de 2017, e nesta linha do tempo, só temos que grandemente e entusiasmadamente compartilhar com vocês, grandes novidades, notícias e fotos de onde estamos e o que estamos fazendo para que mantenhamos esta grande corrente de transformação real que todos nós unidos em torno do PQi, podemos fazer e experimentar!...

 

  A Empresa SQi – Skill Quality intelligence que até no nome também passou por reestruturação e complemento agora é PSQi – Project Skill Quality intelligence, pois aumenta a cada vez sua atuação em projetos de inovação, desenvolvimento e implantação na área projetos (solution Provider); assumindo a Governança de uma Grande empresa aproximadamente 1,5 ano e meio, une as grandes áreas engrenagens da empresa (Gestão de tecnologia alta, Comunicação, Integração e redefinição de planta, treinamentos, laboratórios, governança em Ti, Transporte e Logística, Integração em Business intelligence, E todas as áreas confluindo com um Grande instituto totalmente voltado a desenvolvimento humano, fábrica de talentos, oficinas, capacitações voltadas ao negócio da empresa e também diversidade de talentos.

 

  A arte Educação, tecnologia, filosofia aplicada conceito do PQi, estão totalmente presente em todas as qualificações, e a maior notícia para vocês, é que os resultados gigantes já estão sendo colhidos para iniciarmos com força total este ano maravilhoso de 2017...Estamos atuantes, fortes e nos desenvolvendo cada vez mais, pelo Brasil a fora...

 

  Vejam, curtam e compartilhem as fotos e vídeos postadas exclusivamente para vocês, e assim que possível estaremos atualizando com mais e mais conteúdos para você nos acompanhar!... vamos lá, compartilhem com todos nossas notícias e nos vemos em breve...

 

O Ser-humano exercita o desapego muitas vezes inconsciente mas não transporta este desapego para a prática do dia dia para que ele possa nos libertar de tantos pontos âncoras, que nos segura rumo ao crescimento!... e inconscientemente ele esquece de momentos e de pessoas que podem a qualquer momento mesmo em pensamento apertar botões mágicos e transformadores que temos dentro de nós mesmos!...

 

Vivam o presente, agora, neste instante e reviva em você tudo de maravilhoso e que lhe fez crescer e chegar até aqui, e note como seu coração lhe agradece, transportando a sensação de harmonia total para sua alma!... risos..

 

Antonio Marcos Melo – PQi.

 

Conheça a ti mesmo e terá condições plena 

para respeitar o outro.

 

 

Read More 3 Comments

São Pedro tem vagas de emprego para PCD's no PAT

Prédio do PAT.
Prédio do PAT.

Oportunidade é para operador de caixa com salário de até R$ 1,2 mil. Interessados devem se apresentar com documentos pessoais na unidade.

 

O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de São Pedro (SP) oferece vagas de emprego para o setor de serviços até a próxima quinta-feira (30). Os salários chegam a R$ 1,2 mil e há oportunidade para pessoas com deficiência. Os trabalhadores interessados devem se apresentar na unidade com carteira de trabalho, cartão cidadão ou cartão do PIS, RG, CPF e comprovante de residência.

 

As vagas são para promotor de vendas, no ramo de cosméticos e de veículos, com salário de R$ 1,2 mil, e para vendedor de comércio varejista para o segmento de cama, mesa e banho. A remuneração é de R$ 1 mil.

 

Pessoas com deficiência

O PAT de São Pedro também oferece vaga de operador de caixa para pessoas com deficiência. O salário é de R$ 1,2 mil.

 

O Posto também oferece serviços gratuitos como emissão de carteira de trabalho (1ª e 2ª vias), entrada no Seguro Desemprego e outros cursos de qualificação. O atendimento ao seguro desemprego acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3481-3763 ou pat@saopedro.sp.gov.br

 

As vagas podem variar diariamente, devido aos encaminhamentos dos interessados. O atendimento acontece de segunda a quinta-feira, das 8h às 13h. O PAT é localizado na Rua Malaquias Guerra, nº 925, no Centro.

 

Fonte: G1

0 Comments

Você é do tipo que também diz: "Errar é Humano" ?

 

Se for muito provavelmente você faz parte de uma grande massa que acredita nesta frase que tem o poder de levar as pessoas passos largos para trás na vida.

E ainda confunde todo seu complexo de ismo, achando ser capaz de avaliar qual a diferença de “ erro”  e  “ Experiência” ?

 

É louco o negócio? – Pois bem.

 

Quem é que nunca fez nada errado?

 

Naturalmente todos nos já cometemos algum tipo de erro,  seja intencionalmente ou não. O erro faz parte do aprendizado, por traz de algum erro esta por trás a ignorância, o orgulho ou egoísmo.

 

O ignorante, erra por desconhecer… O orgulhoso, erra por se achar mais do que seus semelhantes em qualquer lugar em que ele estiver…E o egoísta, naturalmente por pensar somente em si. Como o nome já diz para quem conhece a matéria; egoísta quer dizer, extremista em seu ego, tudo e somente ele.

 

O que caracteriza o erro não são as diretrizes éticas ou estabelecidas no lugar em que convivemos,  (família, bairro, cidade, estado, etc...). Não é por incrível que pareça, não é isso o que caracteriza “Um erro” - Mas sim, as suas consequências sobre o individuo e sobre a sociedade em que o ser convive;  e principalmente os seus efeitos malignos, ERRAMOS quando nossos atos ferem alguém,  quando invadimos o ismo do outro, quando destruímos ao invés de construir “ Palavras também destroem... “

 

Em uma curta frase eu digo: “ ERRAMOS sempre que produzimos sofrimento para nós mesmos ou para qualquer outra pessoa...” e por estar vinculado ao sofrimento vemos por senso comum que o ERRO NÃO É UM BOM NEGOCIO ??!!!...

 

Entretanto, com esforço, concentração e buscando a sabedoria, saberemos tirar proveito do erro, de uma forma muito especial uma força maior sempre providência que tiramos os melhores resultados dos erros quando queremos, quando nos esforçamos,  tudo depende da sua capacidade de querer religar-se com seu complexo de ismo e Deus.

 

Isso acontece querendo ou não por meio de uma Lei chamada “ Causa e Efeito “ de verdade não existe algum efeito se não houver a causa; o que conflita e a nossa negação de nossas próprias ações não tão corretas, e que faz com que todo bem como todo mal, retorne ao seu próprio criador, isso e inegável, é só pararmos um pouquinho para refletir.

 

No campo dos sofrimentos isso se chama Autoflagelação; quantas pessoas se comprazem em sofrer, reclamar, e não sair das situações geradas por elas mesmas? “Você conhece alguém? Que se comporta de tal maneira “?...Mas existe sim uma maneira de tornar o PROCESSO um pouco menos penoso; quando abrimos a matéria “ARREPENDIMENTOS E REPARAÇÃO”  - ARREPENDER-SE e então o primeiro passo para ir de frente a correção de nossos possíveis DESATINOS.

 

Existem pessoas que só se arrependem de seus atos, quando o grau de complexidade já esta bem avançado em sua vida, e que já estão COLHENDO AS CONSEQUÊNCIA, quanto mais demoramos a nos arrepender, não tenha  duvidas, mais sofremos... o arrependimento deve produzir como efeito o desejo profundo de reparação que precisamos,  que consiste em FAZER O BEM A QUEM SE HAVIA FEITO O MAL OU SIMPLESMENTE POR A OUTRA PESSOA TER SIDO CONSEQUÊNCIA DE NOSSOS ERROS; não precisa divulgar, basta com gentileza e sensibilidade agir no BEM, mas é claro consideremos que nem sempre ou nem em todos os erros se aplica a formula acima; estou aqui falando do grau mais profundo nas relações de nós conosco mesmos e com as outras pessoas... reparação quer dizer fazer o que deveria ter sido feito, refazer a tarefa que foi feita por ímpeto, por empolgação, por impulso, e somente depois e que pensamos com o respeito que já deveria ter pensado, isso quer dizer reparação.

 

Pode parecer ser básico o que estou dizendo, mas leia e reflita na pratica de sua vida, e veja o que nunca foi feito e o que pode ser feito a partir de agora ? Veja o resultado, pelos resultados que vão sendo gerados.Praticando conosco mesmo a formula acima EU GARANTO que o orgulhoso procurará ser humilde pelo bem próprio, o RUDE procurará ser amável, e isso e notável na sua própria forma de olhar e agir. O ocioso passará a ser útil e o Egoísta ser caridoso, veja ai a Lei de

Polaridade que você já conhece.

 

E então, a Massa costuma dizer que “ERRAR E HUMANO” , depois desta conversa vamos considerar uma inversão de raciocino, podemos dizer então que “ CORRIGIR ERROS É QUE É HUMANO!

 

Não é possível que o homem continue desprezando sua FANTÁSTICA CAPACIDADE DE SERVIR E CONSTRUIR EM SI PRÓPRIO O SENTIMENTO MAIS ELEVADO QUE CADA UM DE NÓS QUEREMOS, E INSISTIR EM ATITUDES QUE SÓ O INFELICITAM! Reconhece-se então o homem pela capacidade que ele desenvolve-se em substituir seus Defeitos por virtudes SUPERIORES.

 

VOCÊ SABIA QUE NENHUM COMPLEXO DE ISMO ALCANÇAR A PERFEIÇÃO OU A SUA MELHORIA PRÓPRIA SEM ANTES CORRIGIR E REPARAR TODOS OS DEFEITOS QUE ELE ENCONTRA DENTRO DO SISTEMA DELE MESMO?  E VOCÊ SABIA QUE AS PESSOAS NORMÓTICAS ACREDITAM QUE NÃO POSSUEM DEFEITOS? E QUE TUDO ISSO É A MAIOR LOUCURA DO SER?

 

POR ISSO HOJE, SOMENTE HOJE É O DIA DE FAZER  MELHOR.

 

LEIA ESTA CARTA QUE ENTREGUEI A VOCÊ UMA VEZ POR SEMANA OU DUAS, até quando somente VOCÊ QUISER., não leia porque eu Antônio Marcos acredito;  só leia se VOCÊ ACREDITAR.

 

Antônio Marcos Melo

Simples e humilde Professor.

1 Comments

Oportunidade PQi: Cadastro gratuito de currículo de PCD's.

 

 

O Programa Qualificar para Incluir – PQi oferece oportunidade para Pessoas com Deficiência que possuem interesse em ingressar no mercado de trabalho; Abrimos cadastro gratuito para PCD's residentes na  Região Metropolitana de Campinas. Esse ano iniciamos novos serviços com o lançamento da campanha: “EU QUERO OPORTUNIDADE PQi”, uma nova modalidade de Recrutamento para Deficientes.

 

Você conhece a Lei de Cotas?

 

Lei 8213/91 de 24/07/1991

Art. 93 - A empresa com 100 ou mais funcionários é obrigada a preencher de dois a cinco por cento dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas portadoras de deficiência, na seguinte proporção:

 

- Até 200 funcionários.....................2%

- De 201 a 500 funcionários........... 3%

- De 501 a 1000 funcionários..........4%

- De 1001 em diante funcionários.. 5%

 

O PQi está a 23 anos no segmento de Pessoas com Deficiência, oferecendo serviços especializados, valorizando a diversidade e promovendo a inclusão. Fruto de um projeto estruturado, acompanhado por profissionais altamente especializados, nosso objetivo é inserir PCD's capacitados no mercado. 

 

Como funciona?

 

Para participar o candidato precisa entrar site do PQi e realizar o cadastro gratuitamente.  O  Programa Qualificar para Incluir entra em contato com o candidato para conhecer melhor o perfil e a área de interesse do participante. Depois dessa etapa,  o participante passará pelo processo seletivo diretamente na empresa que oferece a vaga de emprego.

 

Aproveite o cadastro gratuito, é a sua oportunidade de conseguir uma vaga de emprego.

 

Quem pode participar?

 

- Ex-alunos PQi

- Pessoas com deficiência

 

Quando homens e mulheres que possuem alguma deficiência são inseridos no mercado de trabalho, a sociedade se torna mais justa e inclusiva.

 

“Quando entrei no programa, estava desempregado e sem perspectivas. Depois dele, um novo mundo se abriu”. – Marcelo Jacinto Ribeiro, está a quatro anos trabalhando no CPqD – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações.

 

O PQi fica localizado no Parque II do Polo de Alta Tecnologia de Campinas. 

Para maiores informações, entre em contato com a nossa equipe. 

 

 

0 Comments

Programa Qualificar para Incluir: sua empresa cumpre a lei de cotas?

O Programa Qualificar para Incluir – PQi está a 23 anos no segmento de Pessoas com deficiência, oferecendo serviços especializados para empresas que valorizam a diversidade e precisam cumprir a Lei de Cotas. Fruto de um projeto estruturado acompanhado por profissionais altamente especializados, nosso objetivo é capacitar, desenvolver e qualificar Pessoas com Deficiência. Dessa forma, inserimos PCD's competentes no mercado de trabalho no universo da Tecnologia da Informação e Comunicação.

 

Sua empresa cumpre a Lei de Cotas?

Empresas com 100 funcionários ou mais devem ter um sistema de contratação de PCD’s, em função da lei de cotas (8.213/91) em que a empresa é obrigada a preencher de dois a cinco por cento dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas portadoras de deficiência (física, auditiva ou visual), na seguinte proporção: ­

Até 200 funcionários..................... 2% ­

De 201 a 500 funcionários............ 3% ­

De 501 a 1000 funcionários.......... 4% ­

De 1001 em diante funcionários....5%

 

O não cumprimento da Lei de Cotas pode ocasionar multa

A fiscalização é feita pelo DRT – Delegacia Regional do Trabalho e o valor da multa varia de acordo com o número de deficientes não contratados. Uma pessoa deficiente não contratada resulta no valor de R$1.925,81 por mês. Esse valor se altera de acordo com a proporção de PCD's que a empresa precisa contratar em função do número de funcionários existentes.

 

Nós auxiliamos a sua empresa

Com uma equipe formada por consultores, instrutores, psicopedagogos, intérprete/interlocutores de libras, psicólogos, coach, médicos e enfermeiras, o PQi se adapta às necessidades de cada empresa. Nossos serviços se aplicam especialmente às empresas que precisam incluir Pessoas com Deficiência.

 

Durante esses 23 anos incluímos milhares de PCD's qualificados no mercado de trabalho. Ao manter o banco de dados ativo periodicamente, oferecemos profissionais competentes para as empresas e aumentamos significativamente as possibilidades de empregabilidade dos alunos PCD's .

 

Instalado no Polo II da Alta Tecnologia, o PQi foi idealizado pela SQi (Skill Quality Intelligence), fazendo de nós o mais inovador Programa de Qualificação para Inclusão e Integração em diversas áreas nas empresas da Região Metropolitana de Campinas.

O Programa possui infraestrutura preparada, com recursos audiovisuais direcionados para o público específico; computadores de ponta, movelaria, redes confinadas e data show. Nos adaptamos às necessidades de cada empresa, oferecendo os serviços In Company ou no local que melhor atenda a empresa para a realização da capacitação*. *Consulte nossos diretores

 

Entre 2008 e 2016 formamos mais de 400 alunos. Cerca de 60% dos PCD's capacitados no PQi foram contratados nas empresas patrocinadoras do programa e outros clientes. Recebemos o Prêmio CRP Destaque 2010, GRHC Excelência 2010, CONARH 2009 ­ Projeto inovação, REATECH 2010 ­ Palestras como projeto inovador, resultados de produtividade e qualidade.

 

Quando homens e mulheres que possuem alguma deficiência são inseridos no mercado de trabalho, a sociedade se torna mais justa e inclusiva.

 

O que é ser um patrocinador?

O PQi oferece benefícios em diferentes módulos; em forma de patrocínio pleno, para empresas que solicitam um pacote de serviços a longo prazo, com acompanhamento integral. E em forma de serviços avulsos, para empresas que possuem necessidades pontuais e imediatas.

 

Plano de Patrocínio

­ Recrutamento e Seleção dos PCD's para início da capacitação ­

Capacitação de alunos (área definida pela empresa) ­

Capacitação In Company ou nas instalações do PQi ­

Fornecimento de indicadores durante a capacitação ­

Administração geral da capacitação ­

Acesso integral ao banco de dados dos alunos patrocinados ­

Acompanhamento e Suporte ao Departamento de RH

Serviços Avulsos ­

Homologação e capacitação de PCD's ­

Capacitação na área desejada para funcionários já contratados da empresa (In Company ou nas instalações do PQi) ­

Treinamentos e Palestras ­Capacitação da Equipe de Recursos Humanos ­

Coaching em inclusão (individual ou em grupo) ­

Treinamento em libras ­

Recrutamento e seleção ­

Consultoria em acessibilidade da infraestrutura da empresa

 

Todos os nossos serviços possuem excelência comprovada por clientes como o CPqD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações), Aeroporto Viracopos Brasil, Elektro, Galvani Fertilizantes, Samsung (Sidi), Padtec, Esamc e SQi (Skill Quality Intelligence). Atualmente essas empresas desfrutam das vantagens do Plano de Patrocínio.

 

A empresa que patrocina o aluno PDC tem a cobrança de cota adiada, contribuindo diretamente com os objetivos sociais de inclusão efetiva. As informações, notícias e destaques do nosso programa podem ser utilizadas e publicadas nas colunas de ações sociais da empresa. O PQi cita o nome da empresa como inclusiva nas publicações impressas, online e televisivas além dos eventos.

 

Depoimento

“Com o Programa Qualificar para Incluir, ao mesmo tempo em que contribuímos com a inclusão social de pessoas com deficiências, ajudamos a minimizar o problema do déficit de mão de obra especializada em TIC na região de Campinas”. ­Daniel Francisco da Silva, coordenador de Recursos Humanos do CPqD.

 

O Programa Qualificar para Incluir possui especialidade em PCD’s, atendendo as empresas de acordo com as suas necessidades. Entre em contato, conheça o PQi. Oferecemos os serviços em nível estadual*. *Consulte a direção

0 Comments

Programa PQi realiza palestra "Oportunidade como Fenômeno" no Aeroporto Viracopos

  Na última terça-feira 29 de Março, o programa PQi realizou uma palestra no Aeroporto de Viracopos, atual patrocinador do programa. O público presente foi composto pela equipe de RH, funcionários PCD's do Aeroporto e convidados.

  Lançando a campanha EU QUERO OPORTUNIDADE PQi, o professor Antônio Marcos Melo realizou a palestra " Oportunidade como Fenômeno" onde foi desenvolvido com o público assuntos de interesse prático, foram abordados temas no tocante as oportunidades e os resultados essenciais que se espera de cada ser especial, que somos nós. Uma importante reflexão sobre como somos vistos, lembrados, e o quanto devemos nos preparar para agarrar as oportunidades da vida.


   Durante toda a palestra o envolvimento e interesse do público foi grande, e no momento final de conexão total entre o palestrante com os presentes, pudemos compartilhar da força real da mensagem que cada um pôde levar.


   Agradecemos a presença de toda a equipe de RH do Viracopos pelo apoio, aos funcionários que nos receberam com tanto carinho e participação, e os convidados especiais:

 

   A Rossana Carella, (Self Coach do Programa PQi), Mayra Rodrigues Timpani (Analista de Gestão de Pessoas) e Vanessa Vieira da Silva (Auxiliar de RH) da empresa Galvani patrocinadora do PQi, Dra. Arlete Moura, Dra. Denilse (Responsável Técnica Reabilitação Profissional Gerência Executiva INSS Campinas - SP).

 

 
O PQi, aceita com pronta satisfação convites para apresentar nossos temas e títulos em empresas e universidades, com objetivo de levar esclarecimentos, assuntos inovadores e o mais importante esclarecimento e inteligências a cerca do tema adversidade.

Read More 1 Comments

Com as duas pernas amputadas, mestre de obras trabalha de sol a sol, em Araraquara

Imagem do mestre de obras em cima do telhado trabalhando.
Imagem do mestre de obras em cima do telhado trabalhando.

 

 

 

Delfino Lima de Jesus teve as pernas amputadas há dez anos

 

“É um exemplo de vida que a gente tem o privilégio de trabalhar todo dia ao lado”, diz o pedreiro Sílvio Carlos da Silva, de 34 anos. “Quando a gente está desanimado em mais um dia de trabalho, olhamos para ele e nos dá força para não desanimarmos.”

O pedreiro está se referindo ao seu mestre de obras, Delfino Lima de Jesus, 52, que encontramos trabalhando sob o sol quente das 15 horas de ontem na construção de um salão comercial, no Jardim Santo Antônio, em Araraquara.

O motivo é que Delfino Lima não tem as duas pernas. Foram amputadas há 10 anos, após uma trombose desencadeada pelos anos fumando cigarro. “Fumava três maços de cigarros por dia. Era um vício”, comenta o mestre de obras.

Após a amputação, Lima saiu do hospital pesando apenas 23 quilos. Oito meses depois, estava com mais de 70 quilos novamente e em seu primeiro trabalho após a amputação. “Conheci muita gente que perdeu algum membro e passou a ter um mau humor insuportável. Não sou assim”, diz ele, enquanto ajeita algumas telhas na armação de um telhado.

Independência


Dentre as razões que fizeram com que o mestre de obras seguisse trabalhando foi se olhar no espelho e se ver uma pessoa ‘normal’ e independente. “Não me sinto deficiente em absolutamente nada. Trabalho normalmente e não dependo de ninguém”, emociona-se.

O maior orgulho
Mas o maior orgulho de Lima de Jesus é ter colocado o ‘pão na mesa’ e sustentado os três filhos durante mais de 10 anos. Ao vê-los hoje, todos com mais de 20 anos, diz: “tenho certeza de que eles se orgulham muito do pai deles”, diz, emocionado.

 

Na rede social
A história de vida de Delfino já foi tema de reportagens em uma TV local, mas se tornou destaque novamente após uma publicação em uma rede social.

A autora da publicação estava passando pela rua onde ele trabalha e ao vê-lo pediu para fotografá-lo. “Quando me deparei com esse senhor, tive que dar marcha ré e ir falar com ele. Me impressionou muito o fato de ele trabalhar com um sorriso e ser muito orgulhoso de seu trabalho, como deveria ser para todos que possuem dois braços e duas pernas”, comentou a autora da postagem, compartilhada dezenas de vezes.

‘Não me sinto um deficiente. Faço tudo sozinho’
Essa frase dita por Delfino de Jesus traduz a sua rotina. A ausência das suas duas pernas não o atrapalha em quase nada. Ele sobe em escadas, ergue muros de tijolos, monta telhados, conserta fiações elétricas, entre outros serviços com uma naturalidade que poucos conseguem.

Jesus não utiliza cadeiras de rodas nem é adepto a muitos apetrechos para melhorar sua vida. Prefere caminhar com as mãos no chão e se locomover totalmente com a força de seus dois braços.

São as mãos também as responsáveis por dirigir o carro adaptado. “Esse é automático. Uma beleza. Mas há anos eu dirigia uma kombi só com as mãos. Eu mesmo desenvolvi um sistema para dirigí-la”, relembra.

Além da força de vontade de não desanimar na criação dos filhos, o mestre de obras garante que a religião também foi seu ‘muro de arrimo’ para não deixar o desâmimo chegar. “Vou continuar trabalhando, de sol a sol, até quando Deus me permitir. Só peço paz e saúde para continuar vivendo minha vida, normal, tranquila e com o sorriso no rosto”, brinca.

 

Fonte: Tribuna de Araraquara

0 Comments

Cachorro fiel acompanha garoto autista de nove anos ao hospital e deita do seu lado para o confortar

Cachorro na cama junto com o menino.
Cachorro na cama junto com o menino.

James Isaac é um menino neozelandês de 9 anos. Por ser autista, ele tem dificuldades para estar em locais com muita gente, ficando muito ansioso, e diversas vezes saindo correndo dos pais. Mas a vida dele mudou com a companhia do labrador Mahe.

 

Há dois anos e meio a família de James recebeu o cachorro, que passou por um treinamento de seis meses para ser um assistente de autistas. Desde então, segundoMichelle Issac, a mãe do garoto, muita coisa melhorou. Agora eles conseguem ir a lugares movimentados, como cafeterias, sem tantas preocupações.

 

Mas a amizade dos dois vai além, e é tão intensa que Mahe faz questão de ficar ao lado do menino mesmo quando ele precisa fazer exames no hospital. Em uma das últimas visitas, o cão ficou na cama de James, e, segundo Michelle, esteve o tempo todo com um olhar preocupado enquanto o garoto era anestesiado.

Quando eles saem juntos, uma espécie de coleira liga os dois. Mahe é treinado para não deixar o companheiro ir muito longe. Se ele tenta correr em direção a algum lugar perigoso, o cão senta e evita o risco.

Wendy Isaacs, fundador da instituição onde Mahe e outros cães são treinados, conta que é impressionante a relação entre os cães e as crianças autistas. “É uma conexão mágica, eles simplesmente acalmam os garotos. As crianças mantêm contato visual com os animais, algo que muitas vezes não acontece nem com seus parentes”.

 

 

Fonte: Hypeness

Read More 0 Comments

‘Sempre fui a amiga, nunca a amante’: por que o tema sexo e deficiência ainda é tabu

Comediante com microfone na mão.
Comediante com microfone na mão.

Comediante com distrofia muscular ouve pessoas com deficiência sobre o difícil caminho para conseguir ter uma vida sexual satisfatória.

 

A vida sexual de pessoas com deficiência é um tema que vem sendo tratado cada vez menos como tabu. Para a comediante Romina Puma, que tem distrofia muscular, todos têm direito ao sexo e essa questão não pode ser ignorada:

Há dez anos, fui diagnosticada com distrofia muscular. Eu tinha 29 anos e minha vida era bem normal. Como muitas mulheres, eu gostava de sair para conhecer novos rapazes e tive vários namorados.

Mas à medida que minha condição foi piorando e eu comecei a usar cadeira de rodas, as pessoas pararam de me ver da mesma forma.

Isso não significa que ter uma vida sexual não seja importante, ou que minhas partes íntimas não funcionem corretamente. Mas a maioria dos homens que conheço não conseguem ver além da cadeira, e trocas normalmente não passam de olhares de simpatia.

Fui conhecer Shital, uma psicóloga especializada em trabalhar com deficiência e doenças crônicas. Ela nasceu com fibromatose hialina juvenil – uma condição genética rara que provoca o crescimento de tumores pelo corpo como resultado de traumas e, muitas vezes, leva a deficiências físicas graves.00

Isso significa que quando ela estava crescendo, suas amigas estavam fazendo sexo e ela se sentia “feia e indesejável”.

“Eu tinha os mesmos pensamentos e necessidades que meus amigos, mas nossas experiências não eram exatamente as mesmas – eu sempre era a ‘amiga’, nunca a ‘amante'”, explica.

“Eu sabia como sexo funcionava, e sabia que eu queria isso um dia, mas não achei que conseguiria. Era uma vida muito solitária e me tornei muito isolada. Quanto pior eu ficava, mais eu perdia contato com meu grupo social dos 20 anos.”

Shital começou a procurar um relacionamento online, mas teve experiências ruins. “A primeira pergunta que alguns homens perguntavam era ‘Você consegue fazer sexo?’. Eu respondia: ‘Bom, agora você nunca vai descobrir’.”

Preocupações com a aparência também afetavam sua capacidade de conhecer pessoas. “Toda minha vida convivi com pessoas apontando, me encarando, me chamando de coisas como ‘mulher elefante’. Isso destruiu minha confiança – se você não tem confiança, como vai ter uma relação sexual?”

Mas com a ajuda do Outsiders Club – um grupo de amizades e namoros para pessoas com deficiência – ela conheceu Jamie, que também tem deficiência, e os dois estão juntos há nove anos.

“Quando ficamos juntos e desenvolvemos a nossa relação, ganhamos segurança sexual juntos”, explica.

“Eu jamais vou conseguir fazer todas as posições do Kama Sutra”, brinca, “mas quem vai? Isso (sexo) é intimidade, não ginástica.”

 

Fonte:  G1

1 Comments

Evento recebe a maior Confraternização de surdos da América Latina

Pessoas durante o evento sentadas e com camisetas amarelas.
Pessoas durante o evento sentadas e com camisetas amarelas.

 

No último dia 20 (sábado), o parque Burle Marx, zona oeste de São Paulo, foi palco da maior confraternização de surdos da América Latina. Pessoas com deficiência auditiva de todo o Brasil se reuniram para o lançamento de uma tecnologia em implantes cocleares, e tiveram a oportunidade de trocar informações sobre o assunto.

Alexandra Mottola Tavares, dentista, foi uma das 600 pessoas que compareceram na festa, ela afirma, em entrevista à Folha, que foi ao encontro para tirar dúvidas em relação ao procedimento do implante, mas que estava saindo de lá mais segura.

O implante coclear divide opiniões entre especialistas e até a comunidade surda. Há quem defenda que métodos menos invasivos devem ser testados antes de realizar o procedimento. Porém, existem resultados muito promissores com o implante. A primeira criança bi implantada (com o dispositivo nas duas cócleas) do país estava presente no evento, Diego Martins Silva, de seis anos, afirma que, hoje, consegue ouvir perfeitamente.

Fonte: Folha

 

 

0 Comments

Mãe luta para retirar da rede, memes de seu filho com deficiência

Imagem da criança sentada na grama.
Imagem da criança sentada na grama.

 

 

 

Nas redes sociais as pessoas não perdoam, fazem piadas, debocham, criticam sem o menor senso de responsabilidade com o que é dito, e pior, esbanjam, por vezes, um turbilhão de palavras de ódio e preconceito.

Inúmeros casos assim são vistos na internet todos os dias. A australiana AliceAnn Meyer sentiu na pele essa hostilidade ao postar uma foto de seu filho, Jameson, que nasceu com uma síndrome que provoca a fusão prematura do crânio. Cruelmente, fizeram memes comparando a imagem do garoto a um cachorro da raça Pug.

Meyer, entristecida com o ocorrido, pede às pessoas que têm acesso ao post de seu filho que denunciem o uso indevido da imagem da criança, e afirma que continuará lutando por respeito às diferenças.

 

Fonte: Hypeness

1 Comments

7 ações para aprimorar a inclusão de PCD's na sua empresa 

Fonte: Catho

0 Comments

Como proceder com a contratação de pessoas com deficiência na empresa ?

Lei Nº 8.213, de 24 de julho de 1991, conhecida como Lei das Cotas, determina que todas as empresas do setor privado com mais de cem colaboradores são obrigadas a preencher entre dois a cinco por cento de seus quadros de funcionários com profissionais com algum tipo de deficiência ou com beneficiários reabilitados.

Porém, independentemente da obrigatoriedade, é importante salientar que esse processo de inclusão produz uma série de impactos sociais e econômicos. Para as pessoas com deficiência, a oportunidade de atuar no mercado de trabalho traz independência e reconhecimento. Para as empresas, há um ganho em relação à humanização da gestão, eliminando preconceitos e paradigmas ultrapassados. Do ponto de vista econômico, o processo de inclusão também é favorável, pois estimula a economia do país, já que mais pessoas estão exercendo atividades remuneradas.

Entretanto, é preciso atentar para alguns detalhes relacionados à contratação de PcDs. Saiba quais são as principais recomendações.

O processo de recrutamento e seleção

Para a seleção de PcD, é preciso ter em mente que as exigências a serem feitas devem estar adequadas às restrições que caracterizam os profissionais com deficiência, de modo a garantir um processo coerente e justo. Assim, o perfil ideal para a vaga deve considerar as possíveis limitações que se enquadram à função, sem prejuízo das tarefas diárias.

Os cuidados com a acessibilidade

Ao definir a contratação de PcD é preciso também cuidar de quesitos fundamentais à acessibilidade, promovendo mudanças na infraestrutura das empresas de modo que os espaços sejam adequados ao trabalho e ao deslocamento dos profissionais, garantindo segurança e autonomia. Nesse sentido é importante incluir ambientes adaptados, móveis planejados, pisos táteis, rampas, sinalizações e informações em braile, dentre outros itens.

A exigência de experiência e escolaridade

Muitos profissionais com deficiência não tiveram oportunidades no mercado de trabalho antes da Lei das Cotas, por isso as empresas não devem exigir experiência anterior dos candidatos. Porém, quando essa experiência for efetivamente necessária ao desempenho da função, cabe à própria empresa oferecer treinamentos e qualificação para que esse colaborador possa adquirir os conhecimentos indispensáveis.

O mesmo acontece com a questão da escolaridade, já que várias pessoas não tiveram condições de frequentar cursos regulares, mas tornaram-se autodidatas. Assim, o recrutador deve providenciar a aplicação de testes práticos e de aptidão, a fim de comprovar o conhecimento sobre determinado tema.

A realização da entrevista

Para a entrevista, é preciso utilizar instrumentos apropriados ao tipo de deficiência de cada candidato, como contar com a presença de um intérprete de sinais, no caso de pessoas surdas. Mas as questões devem ser feitas de forma natural, de modo a evidenciar todas as potencialidades do profissional, bem como suas limitações e necessidades.

As regras trabalhistas

Para a contratação de PcD, não há regras especiais quanto ao contrato de trabalho e à assinatura da CTPS, sendo que todas as normas da CLT devem ser cumpridas. Também não existe diferenciação quanto à remuneração desse profissional, que deve ser idêntica aos demais colaboradores que exercem as mesmas tarefas. Entretanto, os profissionais com deficiência podem ter um horário flexível e reduzido, com proporcionalidade de salário, em razão de necessidades específicas de locomoção ou de tratamentos médicos, por exemplo.

A integração dos profissionais com deficiência

É fundamental que a empresa atente para o acompanhamento do profissional com deficiência, garantindo a integração desse colaborador à nova equipe e às rotinas de trabalho. Para tanto, alguns aspectos relacionados ao estilo de gestão devem ser reforçados e o gestor precisa atuar de forma mais próxima, orientando, auxiliando e esclarecendo dúvidas. É preciso também contar com práticas que fomentem uma cultura de igualdade e respeito, sensibilizando a todos, eliminando estereótipos e qualquer tipo de discriminação.

Fonte: Catho

0 Comments

Recursos são fundamentais para garantir o direito das pessoas com deficiência

Cadeirante feliz de braços abertos
Cadeirante feliz de braços abertos

No último dia 3 de janeiro, entrou em vigor a Lei 13.146, que instituiu o Estatuto da Pessoa com Deficiência[1] e trouxe importantes inovações para assegurar os direitos dessas pessoas que merecem especial atenção, e no mais das vezes ficam esquecidas, só delas se lembrando aqueles de alguma forma são afetados por alguma restrição, ainda que temporariamente.

Se no dia a dia enfrentamos dificuldades de diversas naturezas para as mais simples tarefas, como se vestir, alimentar, transportar, trabalhar etc., basta uma lesão, fraturando uma perna ou um braço, para vermos essas dificuldades se tornarem um transtorno por vezes até intransponível. E pessoas com deficiências permanentes enfrentam-nas cotidianamente, exigindo uma superação que poucos enxergam e valorizam.

Nada mais justo que o Estado dê atenção a essa situação e atue para mitigar todos esses obstáculos, proporcionando a todos mais conforto e igualdade de oportunidades e permitindo que possam se integrar perfeitamente à vida social e serem tão ou mais produtivos que os demais em seu trabalho. Decorrência natural do princípio da igualdade, como proteção da cidadania e da dignidade da pessoa humana, eliminando as desigualdades sociais das pessoas com deficiência, uma descriminação permitida ante a necessidade de desigualar em busca dessa igualdade[2].

Isso exige, no mais das vezes, a implementação de políticas públicas que, para se tornarem efetivas, dependem de recursos, tornando o aspecto financeiro, como ocorre na maior parte das vezes, um dos mais — se não o mais — importantes, e que costuma ser negligenciado, comprometendo os direitos que a nova lei pretende assegurar. E justifica chamar a atenção para esse aspecto, que é o que se pretende fazer neste espaço.

Como muitas outras, as políticas públicas voltadas a assegurar o efetivo exercício dos direitos às pessoas com deficiência, e que dependem de ações governamentais que importam em gastos públicos, são bastante complexas e requerem uma elaboração e execução bem estruturada e coordenada pelo poder público, a fim de que produzam bons resultados sem desperdício de recursos.

A Constituição estabelece ser “competência comum da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios cuidar da saúde e assistência pública, da proteção e garantia das pessoas portadoras de deficiência” (artigo 23, II), tornando todos os entes federados responsáveis, devendo fazer valer nosso federalismo cooperativo, com ações conjuntas e coordenadas voltadas a atingir os objetivos que são comuns.

Às pessoas com deficiência deve-se assegurar o “direito à inclusão social”, cujo conteúdo compreende uma gama de outros direitos, entre os quais o direito à saúde, ao trabalho, ao transporte, à vida familiar, à educação, à acessibilidade e à igualdade[3]. Vários dos quais, como se pode à primeira vista constatar, dependem de prestações positivas do Estado para que se concretizem.

Observando-se o estatuto já mencionado, vê-se haver capítulos destinados a cada um dos aspectos em que se desdobram os vários direitos da pessoa com deficiência, a saber: vida (capítulo 1, artigos 10 a 13), habilitação e reabilitação (artigos 14 a 17), saúde (artigos 18 a 26), educação (artigos 27 a 30), moradia (artigos 31 a 33), trabalho (artigos 34 a 38), assistência social (artigos 39 e 40), previdência social (artigo 41), cultura, esporte, turismo e lazer (artigos 42 a 45) e transporte e mobilidade (artigos 46 a 52).

Fica claro que os direitos das pessoas com deficiência abrangem várias áreas de atuação do setor público, desde a assistência e previdência social, que lhes asseguram benefícios financeiros, passando por educação, saúde, segurança, transporte e tantos outros, sem esquecer da infraestrutura, que deve sempre se adaptar para atender suas condições particulares.

O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência — Plano Viver Sem Limite, instituído pelo Decreto federal 7612, de 2011, já à época evidenciava com clareza que esses direitos serão assegurados com a colaboração de todos os entes federados (artigo 1º, parágrafo único, 9º, 10 e 11), abrangendo várias áreas e órgãos governamentais (artigos 4º, 6º e 12).

O que permite constatar não serem poucos os recursos indispensáveis para que os direitos sejam efetivamente implantados e que precisam de uma gestão cooperativa e compartilhada entre entes federados, órgãos e instituições, públicas e privadas.

No âmbito da assistência social, destaca-se a garantia de um salário mínimo, benefício de prestação continuada previsto no artigo 20 da Loas[4]. O novo estatuto prevê também o auxílio-inclusão, destinado às pessoas com deficiência moderada ou grave (Estatuto da Pessoa com Deficiência — EPD, artigo 94).

É amplo o leque no que tange ao direito à saúde, sendo-lhes assegurada atenção integral pelo SUS, extensivo às instituições privadas que dele participem de forma complementar ou recebam recursos públicos (EPD, artigo 18). O Estatuto da Criança e Adolescente (Lei 8.069, de 1990), em seus artigos 11, parágrafos 1º e 2º, também é expresso ao garantir atendimento especializado pelo SUS à criança e ao adolescente portador de deficiência, incumbindo ao poder público fornecer-lhes gratuitamente medicamentos, próteses e outros recursos que forem necessários ao tratamento, habilitação ou reabilitação.

No aspecto educacional, além dos direitos que contemplam todos os cidadãos, incumbe ao poder público implementar sistema educacional inclusivo, garantindo-lhes condições de acessibilidade, atendimento educacional especializado[5] e oferta de educação bilíngue, tendo Libras (Língua Brasileira de Sinais) como primeira língua (EPD, artigos 27 e 28).

A Constituição é expressa ao consagrar vários desses direitos, consoante dispõe o artigo 227, parágrafo 1º, II, ao estabelecer que o Estado deve promover “a criação de programas de prevenção e atendimento especializado para as pessoas portadoras de deficiência física, sensorial ou mental, bem como de integração social do adolescente e do jovem portador de deficiência, mediante o treinamento para o trabalho e a convivência, e a facilitação do acesso aos bens e serviços coletivos, com a eliminação de obstáculos arquitetônicos e de todas as formas de discriminação”.

A infraestrutura merece especial atenção, especialmente pela necessidade de que atenda à acessibilidade e mobilidade das pessoas com deficiência, e não foi esquecida pela Constituição, que no artigo 227, parágrafo 2º, previu lei para dispor sobre normas de construção e adaptação de logradouros e dos edifícios de uso público e de fabricação de veículos de transporte coletivo, a fim de garantir acesso adequado às pessoas portadoras de deficiência (artigo 227, parágrafo 2º, e 244).

As diretrizes para o desenvolvimento urbano, incluindo habitação, saneamento básico, transporte e mobilidade urbana, devem contemplar regras de acessibilidade aos locais de uso público, por meio de programas em regime de cooperação federativa — Lei 10.257, de 2001 (Estatuto da Cidade), artigo 3º, III e IV, com redação dada pelo EPD, artigo 113 —, estando várias delas expressas e detalhadas na Lei 10.098, de 2000, que estabelece as normas gerais e critérios para a promoção de acessibilidade às pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida.

Instrumentos financeiros como os benefícios fiscais são também de grande utilidade, como as isenções de vários tributos para os portadores de deficiência, destacando-se os que incidem sobre os veículos a eles destinados.

Nota-se que as políticas públicas voltadas à proteção das pessoas com deficiência mostram-se bem mais complexas do que pode parecer à primeira vista, especialmente por envolver todos os entes da federação e, mais do que isso, vários setores da administração pública, o que exige uma cooperação não somente no âmbito federativo, mas também e principalmente de setores diversos do poder público, sem contar com a necessária colaboração entre os poderes, pois, como se pode constatar, as medidas que importam em ações efetivas voltadas à proteção das pessoas com deficiência são das mais variadas naturezas, envolvendo áreas tradicionalmente existentes nas diversas administrações públicas, como saúde, educação, infraestrutura etc.

A alocação de recursos para as políticas públicas voltadas às pessoas com deficiência reflete essa complexidade que atinge não somente o atendimento dessa demanda, mas também muitas outras, sendo relevante mostrar as dificuldades encontradas para que se destinem recursos públicos para fazer valer os direitos, que, como se vê, tem custos.

Os direitos de pessoas com deficiência foram contemplados no Plano Plurianual (PPA) 2012-2015 da administração pública federal, programa 2063, tendo sido destinado valor ínfimo, menos de R$ 80 mil para o período de quatro anos, verdadeiramente simbólico (R$ 79.011). O valor aumentou significativamente no projeto de PPA 2016-2019, que prevê o montante de R$ 1.514.434, para o mesmo programa, que foi mantido (2063 — Promoção e Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência), e desdobra-se em dois objetivos (0442 — promover a efetivação dos direitos das pessoas com deficiência e sua igualdade de oportunidades, por meio do fomento a sua autonomia, independência e segurança; e 0736 — promover a acessibilidade e a equiparação de oportunidades para pessoas com deficiência em todas as áreas da vida em sociedade), cada um com as respectivas metas, iniciativas e órgãos responsáveis.

Vê-se, pela identificação dos vários órgãos responsáveis, a necessidade de cooperação entre os diversos setores da administração, como já ressaltado. Embora as principais ações governamentais tenham como órgão responsável a Secretaria de Direitos Humanos[6], também encontramos o Ministério da Educação, o Ministério do Trabalho e Emprego, o Ministério da Cultura, o Ministério das Cidades e o Ministério do Turismo. E isso apenas nesse programa, que é diretamente ligado a atender os direitos das pessoas com deficiência, mas não o único, já que muitos desses direitos são, ainda que indiretamente, atendidos em outros programas. Os benefícios assistenciais para pessoas com deficiência, por exemplo, são contemplados em dotações do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; os benefícios previdenciários, no Ministério da Previdência Social; e assim muitos outros.

Alguns entes da federação criam órgãos próprios para atender os direitos das pessoas com deficiência, como é o caso do estado de São Paulo, que tem a Secretaria de Estado dos Direitos das Pessoas com Deficiência, cuja dotação prevista para 2016 é da ordem de R$ 70 milhões[7]. Mesmo assim, não é o único órgão no Estado que cuida do assunto, que tem natureza claramente intersetorial. É o caso, por exemplo, da Delegacia de Polícia das Pessoas com Deficiência, que integra a Secretaria da Segurança Pública, havendo, portanto, recursos alocados em outros órgãos. Há ainda programas orçamentários em outras unidades, como a ação Esporte e lazer para pessoas com deficiência, da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude[8], a ação Apoio à pessoa com deficiência, da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho[9], além de outras. No município de São Paulo, há a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida; outros entes da federação também contemplam órgãos específicos, como o município do Rio de Janeiro (Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência).

É interessante notar como o poder público vem tratando essa questão sob o ponto de vista administrativo e financeiro, o que permite analisar se está sendo adequado para atender as políticas públicas para esta finalidade, e eventualmente aperfeiçoar-se.

Leis não faltam para tornam claros os direitos das pessoas com deficiência, e o novo Estatuto vem em boa hora para sistematizá-los e reforçá-los, e não deixar dúvidas quanto à importância e necessidade de que sejam respeitados e — o que é fundamental — efetivamente implantados pelo poder público.

O importante é ficar atento. Sem recursos, dificilmente boa parte dos direitos das pessoas com deficiência se tornará realidade. A lei foi publicada, entrou em vigor, e sua aplicação precisa ser eficiente.


[1] Também denominada de Lei da Inclusão, publicada dia 6 de julho de 2015, com 180 dias de vacatio legis.
[2] Nesse sentido, Denise JUNQUEIRA, A responsabilidade do Poder Judiciário frente à política de inserção do deficiente no mercado de trabalho: o direito constitucional como pano de fundo para a implementação dos direitos sociais, in Revista de Direito Brasileira – RDB, a. 4, v. 7, jan-abr 2014, p. 105.
[3] Nesse sentido, ARAÚJO, Luiz Alberto David, A proteção constitucional das pessoas com deficiência, 4ª. ed., Brasília, Ministério da Justiça, 2011, pp. 49 e seguintes.
[4] Lei Orgânica da Assistência Social — Lei 8742/1993.
[5] Como determina o artigo 208, III da Constituição.
[6] Que é diretamente vinculado à Presidência da República. E, integrando a Secretaria de Direitos Humanos, está a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, que cuida das políticas públicas específicas do setor.
[7] Órgão 47000, Orçamento para 2016, Lei estadual 16083, de 28.12.2015, dotação de R$ 67.682.512.
[8] Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude (Órgão 41000), Programa São Paulo Mais Esporte e Lazer (4109), Ação Esporte e lazer para pessoas com deficiência (27.812.4109.5117).
[9] Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (Órgão 23000), Programa Oportunidades para inserção no mercado de trabalho (2309), ação Apoio à Pessoa com Deficiência (11.331.2309.6108).: 

 

Fonte: Texto extraído de Consultor Jurídico, por José Mauricio Conti

0 Comments

A importância do RH na inclusão de profissionais com deficiência

Dois cadeirantes sentados à mesa trabalhando.
Dois cadeirantes sentados à mesa trabalhando.

Existem dois conceitos similares, mas que não devem ser confundidos: a inclusão e a integração. A partir da década de 80, o termo integração começou a ser questionado. Integração transmite a ideia de que decidir quem pode frequentar espaços públicos, trabalhar e estudar é uma questão de opinião individual e de cada instituição. O modelo integrativo não é justo com aqueles que não estão capacitados para se inserirem nos modelos sociais tradicionais, como as pessoas com deficiência que não falam ou que não andam, por exemplo.

Já a inclusão estabelece que todos os seres humanos podem participar do corpo social, afinal, todos são singulares e distintos um dos outros. O modelo inclusivo propõe que a comunidade se modifique e se adapte para incorporar o indivíduo com deficiência e não o contrário.

Você trabalha com gestão de pessoas? Assumiu a responsabilidade de cuidar de boas contratações? Conheça e reflita sobre a importância do RH na inclusão de pessoas com deficiência!

Os dois principais mitos

  • A falta de competência

Montar programas para que uma nova cultura de respeito seja integrada à rotina e à filosofia das organizações é fundamental. Há uma crença de que profissionais com deficiência não sejam competentes o suficiente para trabalharem dentro de uma empresa.

Mas essa teoria não se aplica. Há muitas pessoas com deficiência que possuem, inclusive, pós-graduação e mestrado e são, sim, muito qualificadas. O modelo corporativo precisa ser mais tolerante para erradicar o preconceito com profissionais com deficiência.

  • O fim do benefício de prestação continuada

Muitas pessoas com deficiência acreditam que, ao começarem a trabalhar, não terão mais direito ao Benefício de Prestação Continuada (BPC) — benefício da Política de Assistência Social que garante um salário-mínimo à pessoa com deficiência. Essa informação também não é verdadeira, pois esse benefício é apenas suspenso nessa situação.

O que o RH pode fazer para que os PcD sejam incluídos

O papel do profissional de RH é essencial para que os PcD sejam incluídos com sucesso em uma corporação. No entanto, ainda falta conhecimento de questões fundamentais. A Catho fez uma pesquisa, juntamente com a ABRH, e chegou ao resultado de que, dentre 3.000 profissionais, apenas 35% conheciam a lei de inclusão.

Essa norma brasileira se chama Lei de Cotas (artigo 93 da Lei nº 8.213/91), e ela diz que toda corporação com mais de 100 funcionários deve ter a porcentagem de 2% a 5% de colaboradores com deficiência. Com esse resultado, percebe-se a importância dos profissionais de RH se informarem sobre esses aspectos legislativos.

A desmistificação e a responsabilidade social

Mas todo esse processo está muito mais ligado à responsabilidade social do que a uma mera questão de cumprir a lei. A inclusão deve ser vista como um estímulo — não como um obstáculo — e pode ocasionar várias consequências positivas para um estabelecimento.

As pessoas com deficiência precisam dessa oportunidade para se estabelecerem na sociedade de maneira respeitável, além da chance de se comunicarem regularmente com outros especialistas da área na qual estão inseridas.

Além de tudo isso, essa desmistificação ainda aquece a economia nacional, já que mais cidadãos contratados significa mais cidadãos com poder de consumo. Com todas essas posturas, o que se espera é que o mundo empresarial passe a ser um lugar muito mais igualitário, harmonioso e justo.

 

Fonte: Catho

0 Comments

Reabilitação profissional e inclusão de PCD nas empresas 

A implantação de um programa de inclusão da pessoa com deficiência é um desafio para qualquer empresa. Muitas são as dúvidas que surgem a respeito da questão e, mesmo após a criação da Lei de Cotas, criada em 1991 em acordo com o Ministério do Trabalho, os profissionais de RH ainda encontram dificuldades de empregar PcDs, e muitos profissionais com deficiência têm dificuldades de encontrar oportunidades no mercado.

Segundo a Lei, toda empresa com 100 ou mais funcionários deve destinar de 2% a 5% (dependendo do total de empregados) dos postos de trabalho a pessoas com alguma deficiência, de forma a viabilizar o acesso desses profissionais ao trabalho. Com o mesmo intuito, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) oferece aos segurados incapacitados para o trabalho, por motivo de doença ou acidente, a Reabilitação Profissional.

Confira a entrevista com Katia Luzia de Camargo Jesus, analista do Seguro Social e terapeuta ocupacional de reabilitação profissional do INSS/GEX Osasco, na Grande São Paulo, e entenda o processo e as vantagens de contratar profissionais que estão no programa de reabilitação.

Carreira & Sucesso – O que é o programa de reabilitação profissional do INSS?

Katia Jesus – O Programa de RP é a assistência educativa ou reeducativa e de adaptação ou readaptação profissional, instituída sob a denominação genérica de habilitação e reabilitação profissional, visando proporcionar aos beneficiários incapacitados parcial ou totalmente para o trabalho, em caráter obrigatório, independente de carência, e às “pessoas com deficiência”, os meios indicados para o reingresso no mercado de trabalho e no contexto em que vivem (art. 89 da Lei 8213/91 e art. 136, do Decreto nº 3.048/99)

C&S – Quais beneficiários têm direito ao programa?

KJ – Define-se por clientela a ser encaminhada à Reabilitação Profissional, por ordem de prioridade, segundo a Resolução 118/INSS/PRES, 04/11/2010:

a) O segurado em gozo de auxílio-doença, acidentária ou previdenciárias;
b) O segurado sem carência para auxílio-doença previdenciário, portador de incapacidade;
c) O segurado em gozo de aposentadoria por invalidez;
d) O segurado em gozo de aposentadoria especial, por tempo de contribuição ou idade que, em atividade laborativa, tenha reduzido sua capacidade funcional , em decorrência de doença ou acidente de qualquer natureza ou causa;
e) O dependente do segurado;
f) as pessoas com deficiência – PcD; Lembrando que a prioridade de atendimento é para os segurados em gozo de auxílio-doença, acidentária ou previdenciária, sendo que o atendimento dos demais ficará a critério da disponibilidade de atendimento das equipes técnicas de RP.

C&S – Quais são as principais etapas de seleção para que o trabalhador seja eletivo à reabilitação?

KJ – Os segurados em gozo de auxílio-doença, deverão serem encaminhados pela perícia médica e que se enquadrem nas seguintes situações:

a) escolaridade a partir do nível fundamental, mesmo que incompleto;
b) condições adequadas de aprendizagem;
c) quadro clínico estabilizado. Lembrando que o encaminhamento para o Serviço de RP, deve ocorrer de forma mais precoce possível, considerando que quanto mais cedo o encaminhamento maior a possibilidade de êxito no retorno ao mercado de trabalho.

C&S – E como é feito, na prática, o processo de reabilitação profissional?

KJ – Após o encaminhamento pela perícia médica, o segurado realiza o agendamento para avaliação com a equipe de RP. A avaliação é feita em conjunto médico perito e técnico da RP, que pode ser um Assistente Social ou um Terapeuta Ocupacional, ou qualquer profissional da área que compõe o quadro de servidores do INSS, normalmente as equipes são multiprofissionais.

Concluída essa fase, é definido se o segurado tem perfil para cumprir o programa ou não, caso positivo e ele esteja vinculado em uma empresa, o técnico responsável pelo caso inicia as tratativas com a empresa de vínculo para a escolha de uma nova função compatível ao atual quadro clínico do segurado, realizada a mesma, o segurado é encaminhado para um período de treinamento prático na nova função em sua empresa de vínculo sob a supervisão da empresa e do INSS, concluída essa fase, o segurado retorna para a equipe com uma avaliação formal da empresa, sobre seu desempenho durante o treinamento.

Caso o segurado tenha cumprido com êxito o Programa, o mesmo é certificado pela equipe e encerrado seu benefício para que retorne ao trabalho em função compatível, a partir desse momento o mesmo passa a fazer parte da “Lei de Cotas”. Caso o mesmo não tenha vínculo em empresa, após a avaliação, o segurado tendo perfil para o programa, será encaminhado para curso de qualificação profissional, sendo também certificado, ao final do programa, o certificado de Reabilitação Profissional.

C&S – Quais resultados a reabilitação profissional proporciona ao trabalhador?

KJ – A oportunidade de ser qualificado em outra função e ou área profissional, retornando ao mercado de trabalho, podendo fazer parte da “Lei de Cotas”.

C&S – Ela garante estabilidade profissional ao reabilitado?

KJ – Segundo a Lei 8.213/91, em seu art. 93, § 1º A dispensa de trabalhador reabilitado ou de deficiente habilitado ao final de contrato por prazo determinado de mais de 90 (noventa) dias, e a imotivada, no contrato por prazo indeterminado, só poderá ocorrer após a contratação de substituto de condição semelhante.

Portanto Reabilitação Profissional não é garantia de estabilidade, porém o segurado passa a fazer parte da “Lei de Cotas”, tendo oportunidade de concorrer no mercado de trabalho, sendo amparado pela Lei. Segundo o Decreto 3048/99, em seu art. 140, §1º “Não constitui obrigação da Previdência Social a manutenção do segurado no mesmo emprego ou sua colocação em outro para o qual foi reabilitado”.

Isso significa que a Reabilitação Profissional deve qualificar e preparar o segurado para retornar ao mercado de trabalho, porém não é responsável em garantir vaga de emprego, porém isso não impede, claro, que sejam realizados esforços, quando possíveis, no sentido de promover ou facilitar esse retorno ao mercado de trabalho.

C&S – Quais são os direitos do trabalhador após a reabilitação?

KJ – Os mesmos direitos trabalhistas que os trabalhadores CLT apresentam.

C&S – Por fim, o que as empresas e os trabalhadores podem fazer para evitar acidentes de trabalho e/ou doenças decorrentes das atividades exercidas?

KJ – Em linhas gerais, acredito que isso deve ser um esforço conjunto, tanto da empresa quanto dos funcionários em respeitar as Normas Técnicas de Saúde e Segurança no trabalho. A empresa poderá desenvolver ações educativas estimulando uma cultura de saúde e segurança no trabalho. O governo também tem um papel importante, devendo promover ações não só de assistência mas de promoção e prevenção na saúde do trabalhador. E todos devem observar e seguir a legislação trabalhista vigente.

 

Fonte: Catho

0 Comments

Estudante com doença crônica para em vaga preferencial e acha bilhete: "Ser gorda e feia não é deficiência"

Na imagem estudante à esquerda ao lado bilhete deixado.
Na imagem estudante à esquerda ao lado bilhete deixado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sarah Metcalfe, que sofre de fibromialgia, resolveu publicar o bilhete e uma resposta no seu perfil no Facebook; mensagem já foi compartilhada mais de 3 mil vezes.

 

Uma estudante de doutorado na Universidade de York, na Inglaterra, tomou um susto ao retornar ao carro que havia estacionado numa vaga preferencial. Preso ao para-brisa, Sarah Metcalfe encontrou um bilhete que dizia: “Ser gorda e feia não é deficiência. Estacione em outro lugar.”

Sarah, que tem 35 anos e sofre de fibromialgia, doença crônica que provoca dores difusas pelo corpo, fadiga e rigidez muscular, resolveu, então, publicar o bilhete no seu perfil no Facebook, junto a uma carta aberta à pessoa que deixou o bilhete.

“Querido cliente da loja Tesco de York que estava no estacionamento aproximadamente às 18h do dia 30 de abril de 2015 e decidiu deixar esse bilhete super ofensivo em meu carro”, escreveu a estudante, que estava com o filho de 13 anos quando encontrou a nota no estacionamento da loja, segundo o diário inglês Metro.

No texto, Sarah explica que, apesar de não parecer doente –“na verdade eu prefiro sorrir a chorar”- ela sofre de uma doença crônica que provoca dor e fadiga por todo corpo e cita uma lista de sintomas, que incluem maior sensibilidade à dor, dificuldade de dormir até ansiedade e depressão.

Em seguida, a doutoranda diz que apesar de trabalhar muito, nunca tira licenças por conta da doença e em ter usado os benefícios de aposentadoria para pessoas com deficiência, ela tinha tido “um dia especialmente ruim e com muitas dores”.

“Por favor não seja tão rápido em julgar as aparências. Temo que um dia você possa dizer o mesmo para outra pessoa que pode estar realmente mal e isso ser a gota d’água. Por sorte, sou bem resolvida e sei que as aparências podem ser enganosas para pessoas que não sabem essas coisas. Mas só queria dizer que, se você estiver lendo isso, é melhor ser gentil do que odiar –sinceramente, você nunca sabe que tipo de dia a outra pessoa teve e quais serão as consequências dos seus atos. Obrigado”, escreveu a inglesa.

Publicada no mesmo dia em que encontrou o bilhete, a “carta aberta” de Sarah recebeu centenas de comentários e foi compartilhada mais de 3 mil vezes na rede social. A estudante espera que o post tenha chegado ao destinatário e que a repercussão ajude outras pessoas a entenderem que nem todas as deficiências são visíveis.

“Eu já sofri com distúrbios alimentares e baixa autoestima no passado e esse bilhete poderia realmente ter me levado ao limite, por isso me senti tão mal e decidi espalhar um pouco de consciência sobre isso”, disse ela ao Metro.

Fonte: Revista Marie Claire

 

 

1 Comments

Implante espinhal pode fazer pessoas com paralisia voltarem a andar 

Na imagem: E-Dura: implante estimula nervos responsáveis pelo movimento das pernas
Na imagem: E-Dura: implante estimula nervos responsáveis pelo movimento das pernas

 

 

 

 

 



   

   Ratos com diversos danos na espinha dorsal conseguiram voltar a andar por meio de um implante, indicando um novo tratamento para pessoas com paralisia.Um grupo de cientistas franceses criou uma fita protética, equipada com eletrodos e esticada ao longo da medula espinhal.

   A prótese é maleável e consegue se adequar aos tecidos que revestem a espinha dorsal, evitando desconforto ao paciente.
Ratos com paralisia que receberam o implante foram capazes de andar sozinhos após algumas semanas de treinamento.

  Os pesquisadores da Ecole Polytechinque Fédérale de Lausanne, na França, acreditam que o aparelho pode durar 10 anos em humanos, antes de precisar ser trocado.
O implante, chamado de “e-Dura”, é eficiente pois imita o tecido mole que fica ao redor da espinha (o dura-máter), de forma que o organismo não rejeita sua presença.

“Nosso implante e-Dura pode permanecer por um longo período de tempo na medula espinhal ou cortex”, afirma o professor Stéphanie Lacour, que participa do projeto.

“Isso abre novas possibilidades terapêuticas para pacientes que sofrem de traumas ou distúrbios neurológicos, especialmente indivíduos que ficaram paralisados após sofrerem danos na espinha”, diz Lacour.

Maleabilidade – Experimentos anteriores mostraram que eletrodos e substâncias químicas implantadas na espinha podem assumir o lugar do cérebro e estimular nervos, fazendo com que as pernas se movam involuntariamente quando acionadas.Esse é o primeiro estudo a mostrar que um simples dispositivo pode ajudar ratos a andar novamente e ser tolerado pelo organismo.

  Os cientistas tiveram problemas para encontrar um aparelho que pudesse ser inserido próximo à espinha ou cérebro.Isso porque ambos os órgãos são revestidos por um tecido que inflamar ou ser ferido pela superfície dura de implantes.O novo dispositivo, porém, é flexível o suficiente para ser inserido diretamente na medula espinhal. Ele imita as propriedades mecânicas do tecido vivo e pode fornecer impulsos elétricos e drogas que ativam as células.

  O implante é feito de silício e coberto com fios de ouro capazes de conduzir eletricidade.Os eletrodos são de platina e também podem ser entortados em qualquer direção, sem quebrar.

   O dispositivo foi testado principalmente em casos de danos na medula espinhal em ratos paralisados, mas os pesquisadores acreditam que ele poderá ser usado em pacientes com epilepsia, mal de Parkinson e com dores crônicas.Os cientistas esperam começar os testes clínicos em humanos nos próximos anos.

Fonte: Revista Exame

 

 

 

0 Comments

Casal lança canal no youtube com receitas em língua de sinais

O diretor Lucas Costa com o cachorro Bart, Débora e Felipe Dable, intérprete e cozinheiro do Chef Cenoura, respectivamente
O diretor Lucas Costa com o cachorro Bart, Débora e Felipe Dable, intérprete e cozinheiro do Chef Cenoura, respectivamente

 

 

 

 

   

   Com o intuito de reunir surdos e ouvintes no mesmo play, Débora Claudio Dable e Felipe Dable lançaram em novembro o canal Chef Cenoura no Youtube. Mas este canal tem um tempero a mais: em todos os vídeos, Débora interpreta as receitas em língua de sinais, usada por surdos e mudos, enquanto Felipe comanda o fogão. A proposta é uma versão audiovisual das receitas que eles publicam há dois anos no blog Chef Cenoura. As receitas são ovo-lacto-vegetarianas e o casal reproduz algumas já publicadas no blog e outras inéditas. A direção e captação é de Lucas Costa, amigo do casal.

“A língua brasileira de sinais (Libras) tem uma gramática diferente do português, então não é tão fácil acompanhar um vídeo com legendas para um surdo. Na minha família, sempre falamos em português e Libras ao mesmo tempo, porque minha irmã mais velha é surda profunda”, contou Débora. A ideia do canal surgiu durante um feriado, quando Débora perguntou à irmã se facilitaria para ela entender as receitas em vídeos com Libras. “Ela disse que se pudesse aprender receitas por vídeo cozinharia muito mais. Se não facilitasse para os surdos, não faríamos os vídeos neste formato”.

   O casal se conheceu na faculdade, quando ambos estudavam psicologia e moravam no Rio Grande do Sul. Naquela época, ela já falava Libras e ele já cozinhava, influenciado pela mãe, especialista em gastronomia francesa, e pelo pai, cozinheiro amador de mão cheia. Felipe se lembra de estar na cozinha desde os 15 anos, inventando almoços, lanches para os amigos, jantares.

 

   Débora se mudou para Curitiba pouco antes de Felipe. Em 2014, depois de sete anos juntos, criaram o blog para “ajudar os familiares e amigos a entenderem o que comem”. Ela é intérprete na UTFPR e professora de Libras na Universidade Positivo e ele é psicólogo e dá aulas na mesma faculdade. Com seis vídeos publicados até 15 de dezembro, o retorno tem sido positivo. “Surdos de todo o Brasil nos procuraram agradecendo. Teve uma menina ouvinte que mandou mensagem e disse que está estudando Libras e que vai aproveitar para estudar cozinha assistindo ao nosso canal”, comemora Débora.

17 Comments

A animação perfeita para entender a função do medo em nossas vidas

Como quase todo sentimento, o medo não é algo simples de se compreender.

Talvez seja por isso que vemos tanto conteúdo sobre o assunto, mas que geralmente direciona os pensamentos para um ponto: supere seus medos.

Porém, essa belíssima animação chamada “Fears” em apenas 2 minutos nos joga para um outro ponto de vista sobre os medos. E se o seu medo salvar sua vida? 

Como tudo da vida, o medo mostra-se necessário quando equilibrado. Vejam!!!

Fonte:  Awebic

 

0 Comments

Presidiários tiram fotos com os conselhos que dariam para suas versões mais jovens

Basta um erro para que toda uma vida seja destruída, para que o futuro seja confinado a uma cela de prisão. Assassinato, roubo, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro: os mais diversos crimes podem colocar você atrás das grades, provando que uma escolha errada é o suficiente para comprometer toda uma vida.

O fotógrafo Trent Bell viu isso de perto ao presenciar a condenação de um amigo próximo, pai de quatro filhos, esposo e profissional graduado, a 36 anos de cadeia. Como artista, sua reação ao refletir sobre o que aconteceu foi mergulhar no universo dos prisioneiros e das más escolhas. O resultado foi o projeto Reflect, que traz intrigantes retratos de prisioneiros mesclados com cartas escritas de próprio punho com conselhos que dariam ao seu “eu” mais jovem – seria possível evitar os escorregões que os levariam à prisão?

Trent Bell, fotógrafo que trabalha basicamente com arquitetura, retratou um grupo de prisioneiros e pediu para que escrevessem a carta. Digitalizados, os documentos foram mesclados na imagem, tornando-a ainda mais impactante.

Confira as fotos e algumas das coisas que os presidiários diriam a si mesmos:

 

 

 

 

 

“Apenas saiba que as pessoas sempre vão tentar testá-lo e que, não importa o que aconteça, apenas um homem de verdade consegue escapar disso”

Read More 0 Comments

Julian Treasure: Como falar de forma que as pessoas queiram ouvir

Você já se sentiu como se, ao falar, ninguém ouvisse? Julian Treasure está aqui para ajudar. Nessa palestra bastante útil, o especialista em sons demonstra como falar poderosamente; desde exercícios vocais até dicas de como falar com empatia. Uma palestra que pode ajudar o mundo a soar mais bonito.

Read More 0 Comments

Minha filosofia para um vida feliz

Sam Berns é um aluno júnior na High School, em Foxboro Foxboro, Massachusetts, onde ele alcançou as mais altas honras e atualmente é líder de seção da percussão na banda do segundo grau.

 

 

Recentemente, ele alcançou o posto de Eagle Scout nos Boy Scouts of America. Sam foi diagnosticado com Progeria, uma doença de rápido envelhecimento ,doença rara, com a idade de 2 anos veio o diagnóstico. Ele é destaque no documentário Vida De acordo com Sam, que fará sua estréia na HBO em 21 de outubro de 2013.

 

Read More 0 Comments

Como você se define ?

0 Comments

Garoto autista ajuda amiga engasgada com técnica vista em Bob Esponja

Foto tirada em 5 de novembro mostra Jessica Pellegrino e Brandon Williams: garoto autista ajudou amiga ao executar manobra de Heimlich quando ela se engasgava (Foto: Anthony DePrimo / The Advance via AP)
Foto tirada em 5 de novembro mostra Jessica Pellegrino e Brandon Williams: garoto autista ajudou amiga ao executar manobra de Heimlich quando ela se engasgava (Foto: Anthony DePrimo / The Advance via AP)

Brandon Williams, de 13 anos, executou a manobra de Heimlich. Técnica fez amiga expelir pedaço de maçã com o qual tinha se engasgado.

Read More 1 Comments

Formatura da turma PQi Elektro

Alunos com braços levantados e sorridentes, em frente ao prédio.
Alunos com braços levantados e sorridentes, em frente ao prédio.

 

 No último dia 27 de Novembro, foi realizada a formatura da turma PQi (Elektro) no CPqD.
  Com muita garra os alunos realizaram o curso que foi desenvolvido ao longo de 3 meses de duração, sendo frequentado de forma intensiva (todos os dias da semana), com margem de desistência praticamente nula, os alunos chegaram a reta final com sucesso total. O curso abordou diversos tópicos do universo da tecnologia, call center e administração, e hoje segundo relato dos alunos sentem que estão saindo muito mais preparados para o mercado de trabalho.
   A cerimônia foi marcada de muita emoção, com relatos dos alunos das dificuldades ultrapassadas para chegar até ali, da persistência para chegar até o final. Cada aluno recebeu na cerimônia o seu certificado com carga horária total de 240 horas do curso, a emoção ao receber o certificado era nítida. 
  A equipe do PQi que acompanharam os alunos no decorrer destes 3 meses intensos, prepararam de maneira simbólica uma performance artística representando as matérias e conteúdos abordados ao longo do curso, realizaram discursos de agradecimentos e presentearam os alunos com uma coruja em gesso, simbolo da sabedoria.
  A cerimônia foi coroada no final com a sensação de dever cumprido por todos : alunos, professores e empresa Elektro patrocinadora.

 

O alunos deram o primeiro passo para o sucesso que os aguarda de braços abertos.

 

Alunos sentados na sala de aula, e professor Antônio Marcos falando na parte da frente da sala.
Alunos sentados na sala de aula, e professor Antônio Marcos falando na parte da frente da sala.
Read More 0 Comments

Alunos do PQi visitam sede da empresa ELEKTRO

 

Além de visitar a sede, tiveram a oportunidade de passar por processo seletivo aumentando assim suas chances no mercado de trabalho.


  A empresa Elektro hoje é patrocinadora e parceira do programa PQi, seus alunos estão em uma formação continuada com títulos específicos e direcionados para o tipo de trabalho da empresa, entre eles: tecnologia, call center e administração, com uma duração de 3 meses os alunos frequentam o curso de segunda à sexta-feira no período da manhã.
    Essa parceria entre empresas tem gerado grandes possibilidades, na última quinta-feira dia 29 de Outubro os alunos do Programa PQi - Elektro visitaram a central de relacionamento da empresa Elektro em Campinas, e também participaram de um processo seletivo. Neste dia os alunos puderam conhecer as instalações internas da empresa, conheceram o histórico e tipo de trabalho executado lá pelos profissionais. Tiveram a oportunidade de ter acesso ao call center em tempo real, enquanto os atendentes executavam seus trabalhos os alunos foram acompanhando e tirando suas dúvidas, a emoção de ouvir o cliente em tempo real do outro lado da linha era grande.
    Após conhecer e visitar todos os espaços, todos os alunos passaram por um processo seletivo e aguardam com entusiasmo uma possível oportunidade de trabalho, tiveram também um treinamento de atendimento ao cliente fornecido pela própria Elektro em sua sede.
    Os alunos agora seguem na reta final do curso até o dia 27 de Novembro, onde estarão se formando e estando aptos para entrar no mercado de trabalho.


 

Read More 4 Comments

Evento Show Room (PQi São Paulo e Campinas)

Alunos do PQi 6ª edição reunidos em frente ao prédio (em pose para foto)
Alunos do PQi 6ª edição reunidos em frente ao prédio (em pose para foto)

  No dia 16 de Outubro, foi realizado pelo programa PQi o evento Show Room.

 Neste dia as cinco turmas vigentes em curso passaram um dia de muito conhecimento e troca de experiência. Estiveram presentes alunos de São Paulo e de Campinas do programa, tiveram a oportunidade de conhecer as instalações do CPqD, acesso ao Show Room que conta a história do CPqD desde a época da Telebras e as tecnologias desenvolvidas ao longo deste tempo.

  Os alunos ficaram muito encantados com tanta tecnologia e desenvolvimento feito nas instalações, em seguida tiveram um fórum de discussão feito pelos próprios alunos do programa, como também depoimentos e trocas de experiências.
  Foi apresentado para os presentes cenas da peça "Ordem Natural das Coisas", abordando diversas reflexões a respeito da vida.
  Antes de finalizar o evento, os alunos puderam ainda brincar em um ambiente totalmente preparado para eles com direito a algodão doce, balões, pula-pula, música e muita alegria!

 

Com certeza este evento ficou eternizado nos corações de todos os presentes.

 

 

Intérprete de libras conversando com deficiente auditivo em língua de sinais (alunos ao fundo)
Intérprete de libras conversando com deficiente auditivo em língua de sinais (alunos ao fundo)
Read More 0 Comments

Programa PQi realiza palestra no Aeroporto Viracopos

  Na última sexta-feira 08 de outubro, o programa PQi realizou uma palestra em Viracopos atual patrocinador do programa. O público presente foi composto pela equipe de RH e funcionários PCD's. 
  Com o tema " Pessoas especiais Geram resultados especiais", foi desenvolvido com o público assuntos de interesse prático ,mas este norteamento, foi objetivando o real conceito que temos em tecnologia da Informação e comunicação, no tocante a motivação, as oportunidades e os resultados essenciais que se espera de cada individuo de cada ser especial que somos cada um de nós.


Durante toda a palestra o envolvimento e interesse do público foi grande.


Segundo depoimento de Tatiana Thomas (Analista de Recursos Humanos de Viracopos) o resultado da palestra para com os funcionários foi de grande sucesso:

 

"A palestra superou as expectativas. Na verdade quando foi nos apresentado o tema e o conteúdo programático, imaginamos que a palestra seria mais voltada para Informática e resultados, porém o Antonio Marcos Melo trilhou para um caminho  comportamental, o que acredito ter sido muito mais importante e “tocante” aos nossos colaboradores. Sem dúvida alguma, na ocasião  eles saíram da sala melhores do que entraram.

 

Agradeço muito a seriedade, o carinho e profissionalismo de toda equipe. Estão todos de parabéns!"

 
O PQi, aceita com pronta satisfação convites para apresentar nossos temas e títulos em empresas e universidades, com objetivo de levar esclarecimentos, assuntos inovadores e o mais importante esclarecimento e inteligências a cerca do tema adversidade.


 

Read More 0 Comments

As vagas de TI vem crescendo a cada dia e as oportunidades de mercado também.

Na imagem mão pressionando ícone
Na imagem mão pressionando ícone

 

 

 

 

 

 

 

 

É possível afirmar que hoje as vendas mundiais de celulares chegam a somar 1,8 bilhões de unidades e este número promete ser ainda maior no final deste ano.O Brasil teve só no mês julho o registro de utilização de 281,5 milhões de celulares, já em relação ao mercado de smartphones, a previsão é que cresça a uma taxa anual de 38,8%, e o Android, do Google tem previsão de continuar sendo o sistema operacional mais utilizado em smartphones nos próximos quatro anos, impulsionado principalmente pelos modelos da Samsung. O sistema operacional do Google deve conquistar 61% de participação de mercado, seguido é claro pelo iOS da Apple. Devemos lembrar que existem também o BlackBerrycom crescimento de 6%  e o Windows Mobile com 5.2% previstos para até 2016. Estes números todos revelam um mercado promissor para quem quiser apostar em cursos na área de TI.Investir tempo em cursos que o coloquem neste mercado aquecido de TI que está em constante crescimento será uma grande jogada.

A carreira na área de TI como criação de softwares para dispositivos móveis, ou seja, celulares e smartphones ou tablets vem se tornando uma grande oportunidade no mercado mobile a cada ano que passa. Mas não só isso que você precisa saber, é importante revelar que existe uma procura crescente e significativa para profissionais na área de TI que desenvolvam aplicativos para smartphones, pois a procura por esta plataforma cresce a cada dia o que reflete uma busca cada vez maior por este tipo de serviço especializado. Isso por que com o crescimento dos dispositivos móveis no mercado amplia também a necessidade das empresas oferecerem facilidades e diferenciais para seus consumidores, dando cada vez mais empregos para quem faz curso na área de TI. Os profissionais de TI estão entro os mais buscados pelas empresas nos últimos anos abrindo muitas oportunidades para empregos novos e bem remunerados.

Os cursos na área de TI tem demonstrado grande importância para quem busca por um futuro promissor, o preparo para a área de informática principalmente quando se trata de dispositivos móveis, vem conquistando uma fatia enorme do mercado e absorvendo profissionais de todos os tipos. A remuneração costuma ser bem vantajosa e o tipo de serviço realizado interessante, o que traz cada vez mais, profissionais com interesse neste segmento. Há uma busca incessante do mercado por softwares ligados a melhoria operacional e a redução de custos. Já em relação a aplicativos de smartphones a tendência é ainda mais positiva por que este tipo de segmento vem ganhando espaço conquistando cada vez mais usuários.

Como reflexo da situação atual do país, o mercado de trabalho passa por alguns ajustes importantes e nesta transformação busca maior produtividade e ganhos indo atrás de profissionais com eficiência operacional o que novamente abre a oportunidade aos profissionais da área de TI, por isso apostar no curso de TI hoje é agir de acordo com as oportunidades do momento.

Com intuito de auxiliar a suprir à demanda do mercado de trabalho de especialistas em desenvolvimento de aplicativos para celulares, o Programa Qualificar para Incluir e Empresas Patrocinadoras "SQi, CPqD, Samsung, Galvani, Elektro e Viracopos" criou o Curso PQi Mobile com formação inteiramente voltada para a área tecnologia móvel, totalmente gratuito para Pessoas com Deficiência.

 

O curso PQi Mobile acontece no CPqD (localizado em Campinas-SP), reconhecido como o maior polo de tecnologia da América latina.


 

Se você é uma Pessoa com Deficiência, e mora na região metropolitana de Campinas (RMC), não perca a oportunidade de estudar no maior Polo de tecnologia da America latina!


2 Comments

Conheça o primeiro smartwatch em braille do mundo 

(Imagem do relógio)
(Imagem do relógio)

Aparentemente este relógio nada se diferencia de um smartwatch comum, possui sistema de mensagens, navegação, bluetooth, além de, claro, exibir as horas. Sua grande inovação está então na forma como essas funções são apresentadas: em braille.

Sua interface possui uma série de pinos que sobem e descem em velocidades personalizáveis, soletrando palavras em braille. Com esse sistema, o Dot permite que deficientes visuais desfrutem de diversas funções digitais, como ler e-books, por exemplo.

O produto estará disponível para pré-encomenda ainda este ano. O relógio deve chegar ao mercado por aproximadamente 300 dólares.

Fonte: Exame

0 Comments

Flagra de funcionária dando sorvete a deficiente físico comove redes sociais

Na imagem funcionária ajudando cadeirante a tomar o sorvete
Na imagem funcionária ajudando cadeirante a tomar o sorvete

'Assim que vi, fiz a foto e dei um abraço nela', diz músico em Uberlândia.
Sociólogo fala de valores; imagem já teve quase 8 mil compartilhamentos.

 

"Esse tipo de gesto não parte de qualquer pessoa. A funcionária saiu de seu posto e naquele momento ela não se importou se outras pessoas ficariam sem atendimento, não se importou se seria chamada atenção. Ela simplesmente foi até o cliente incapacitado de segurar qualquer coisa e deu sorvete na boca dele", contou o músico e professor Thiago Ferreira, sobre o registro feito no último domingo (30) em um shopping de Uberlândia, no Triângulo Mineiro. A cena que mostra a funcionária de uma rede de fast food ajoelhada dando sorvete a um cliente tocou Thiago, e já foi compartilhada por quase 8 mil pessoas nas redes sociais.


O registro foi feito durante a tarde, quando Thiago caminhava pelo shopping. Segundo ele, a imagem mostra um gesto simples, encantador e  pouco comum.  "Não aguentei e no impluso retirei o celular e registrei. Fiquei de longe olhando e logo fui dar um abraço na moça. Fui tomado por uma profunda emoção. Nós vemos tanta coisa ruim nesse mundo que acabamos por não acreditar mais nas pessoas. Quando vemos algo assim, é preciso compartilhar", disse

 

Segundo o sociólogo Clayton Pereira, ações como estas estão cada vez mais raras hoje em dia. Ele avaliou a imagem. "Num olhar sociológico, a vida humana só é possível por meio da sociabilidade, que envolve gestos de solidariedade entre os indivíduos. Acontece que atos assim, de altruísmo, numa sociedade contemporânea, cada vez mais egoísta, competitiva e individualista, surpreendem pela simplicidade e atenção às necessidades alheias. De fato, um resgate de valores morais muito escassos hoje em dia”, comentou o sociólogo.


Feliz com a repercussão, a funcionária Lawane Rodrigues de Sousa, uma adolescente de 17 anos, disse estar agradecida pelo reconhecimento e compartilhamento da atitude. Ela ressalta que a ação foi natural. "Eu estou me sentindo muito feliz com tudo isso. Na hora foi um gesto comum. Vi que ele não tinha como tomar o sorvete quando entreguei o pote para ele, então o ajudei. Passamos quase uma hora juntos e ele me agradeceu muito. Depois do sorvete, o levei próximo ao banheiro, em seguida ao supermercado e depois o deixei em uma loja de doces", disse. Lawane contou ainda que não levou nenhuma bronca por ter se ausentado da função. "Pelo contrário, meus colegas e a gerência me parabenizaram, disseram que precisamos fazer mais coisas assim. Fiquei e estou muito feliz", contou.


O sociólogo Clayton Pereira destaca que a ação da adolescente é a essência da solidariedade. "É bacana destacar a etimologia, significado da palavra solidariedade. A palavra solidariedade tem origem no francês 'solidarité', que também pode remeter para uma responsabilidade recíproca. Laços de solidariedade são típicos de comunidades, contrastando com a competitividade característica de sociedades. O que a funcionária praticou foi a essência da solidariedade, ou seja, a identificação com o outro e a vontade de cooperar”, destacou.


Ao abraçar Lawane depois de tirar a foto, Thiago disse que a agradeceu pelo momento proporcionado. "Agradeci porque eu me senti muito bem ao ver aquilo. Logo saí, para não deixá-la sem graça e para chorar", destacou.


Lawane disse que não sabe quem é o cliente, mas que faz questão que ele retorne ao local. "Eu gostaria que ele retornasse várias vezes e em todas estarei disposta a ajudá-lo", finalizou.


Fonte: G1


0 Comments

PALESTRA :Steve Silberman - A história esquecida do autismo

Décadas atrás, poucos pediatras tinham ouvido falar sobre o autismo. Em 1975, a estimativa era de que ele afetasse 1 a cada 5 mil crianças. Hoje, 1 a cada 68 crianças estão sobre o espectro do autismo. O que causou este crescimento exorbitante? Steve Silberman aponta para "uma perfeita tempestade da consciência autista", médicos tendo um olhar mais receptível, uma inesperada visibilidade na cultura pop e um novo teste clínico. Mas para entendermos de verdade, precisamos voltar a um médico austríaco chamado Hans Asperger, que publicou um artigo pioneiro em 1944. Como ele ficou enterrado no tempo, o autismo permaneceu em meio a um mal-entendido desde então.


Fonte: Ted


0 Comments

Stella Young: “Eu não sou sua inspiração, muito obrigada”

Na imagem Stella Young
Na imagem Stella Young

Stella Young é uma comediante e jornalista, que passa seus dias em uma cadeira de rodas, fato que, como ela gosta de deixar claro, não a transforma automaticamente em uma nobre inspiração para toda a humanidade. Nesta palestra muito engraçada, Stella quebra o hábito da sociedade de transformar pessoas com deficiência em “inspiração pornô.”

Assista e entenda o que ela quer dizer!

Show!

Fonte: Contioutra

0 Comments

Uma lição de vida: história zen ensina-nos a exercitar a amizade e a tolerância o tempo todo

Na imagem personagem Zen e seu cachorro.
Na imagem personagem Zen e seu cachorro.

Vídeo nos mostra o quanto as atitudes impulsivas, impensadas, produtos da ira e do desequilíbrio interior, podem ser danosas tanto a quem as pratica quanto aos seus circunstantes.

Uma mensagem muito necessária ao nosso tempo, num mundo onde ainda imperam a violência e o egoísmo.

Fonte: Contioutra

0 Comments

Mãe cria aparelhos auditivos decorados para crianças 

Na imagem criança utilizando aparelho auditivo decorado
Na imagem criança utilizando aparelho auditivo decorado

Implantes cocleares e outros aparelhos auditivos podem ser difíceis para as crianças, principalmente porque em muitos casos elas se tornam alvo de de provocações e exclusão. No entanto, Sarah Ivermee, uma mãe inglesa cujo filho Freddie passava por situações parecidas, criou peças decorativas que são aplicadas nesses tipos de aparelhos, fazendo não só com que as crianças sintam orgulho em usar os acessórios, como as tornam o centro das atenções no jardim de infância.

Sarah teve a ideia durante uma conversa com uma amiga, que lhe contava como era difícil fazer sua filha usar o aparelho auditivo. Sarah então sugeriu agregar adesivos de unha, e o novo estilo deu certo! Hoje ela tem sua própria companhia chamada Lugs, que envia os mais variados designs para crianças de todo o mundo!

Fonte: Universo ZN 

Na imagem aparelhos auditivos decorados
Na imagem aparelhos auditivos decorados
Read More 2 Comments

Conheça o primeiro hotel do mundo atendido e gerenciado por jovens com Síndrome de Down 

(Na imagem jovem com síndrome de down serve casal sentado na mesa)
(Na imagem jovem com síndrome de down serve casal sentado na mesa)

   Quais são os pontos que você analisa antes de escolher um hotel para se hospedar? O tamanho dos quartos, as comodidades oferecidas, a quantidade de estrelas, o preço… Mas outras questões também são bastante importantes e já pesam na hora da escolha para muitas pessoas: a inclusão social é uma delas. E um hotel localizado na província de Asti, na Itália, é uma ótima escolha nesse sentido.

Com o nome de Albergo Etico, o espaço é atendido exclusivamente por jovens com Síndrome de Down. A Associação Albergo Etico é responsável pela inserção de pessoas com a síndrome no mercado de trabalho desde 2006. O objetivo é ajudá-los a conquistar autonomia, aprendendo a viver sozinhos, gestionar suas contas e trabalhar em grupo.

A inauguração do espaço, que conta com três estrelas, ocorreu no dia 18 de junho deste ano. Os visitantes que passarem por lá poderão desfrutar de 26 quartos com um total de 60 camas, além de um restaurante com capacidade para 50 pessoas, um belo jardim e até um espaço de coworking aberto para clientes e moradores da cidade.

O projeto surgiu depois que Nicolás, um menino com Síndrome de Down, realizou um estágio no restaurante Tacabanda, em Asti. A experiência transformou a vida do jovem e dos seus companheiros no lar especial em que vivia e deu origem à ideia de abrir cada vez mais espaço a jovens que convivem com a síndrome.

Fonte: Hypeness


0 Comments

Desrespeitar vaga exclusiva para deficientes será infração grave

(Na imagem carro estacionado em vaga para deficientes)
(Na imagem carro estacionado em vaga para deficientes)

A partir do momento que a lei entrar em vigor, daqui a 180 dias, desrespeitar as vagas de estacionamento preferenciais para pessoas com deficiência será uma infração grave e não mais leve como é atualmente
A Lei 13.146/15 que institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, publicada no dia 06 de julho, altera alguns artigos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), inclusive o Art.181 que regulamenta o estacionamento de veículos.

“A nova Lei diz que estacionar em desacordo com as placas de estacionamento regulamentado passa a ser infração grave com multa de R$ 127,69 e isso inclui desrespeitar a vaga para idosos também”, explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor da Tecnodata Educacional.

Além dessa mudança, outros artigos do CTB também foram alterados. Com a nova legislação, passam a ser consideradas vias terrestres também áreas de estacionamento de estabelecimentos privados de uso coletivo.

Para a obtenção da primeira habilitação será assegurado ao deficiente auditivo acessibilidade de comunicação, mediante emprego de tecnologias assistivas ou de ajudas técnicas em todas as etapas do processo de habilitação.

Além disso, o material didático audiovisual utilizado em aulas teóricas dos cursos que precedem os exames previstos para tirar a habilitação deve ser acessível, por meio de tradução simultânea em Libras.

Será assegurado também ao candidato com deficiência auditiva requerer, no ato de sua inscrição, os serviços de intérprete de Libras, para acompanhamento em aulas práticas e teóricas.

Segundo o governo, o objetivo da lei é assegurar os direitos das pessoas com deficiência, promover a equiparação de oportunidades, dar autonomia a elas e garantir acessibilidade no país.

A lei entrará em vigor a partir de 06 de janeiro de 2016.

Fonte: tribunadabahia.com.br

0 Comments

Estatuto da pessoa com deficiência obriga a acessibilidade digital

Sites devem ter arquivos reconhecidos por leitores de tela, possibilidade de aumento de caracteres ou mudança no contraste da tela.

estatuto da pessoa com deficiência, aprovado pela presidente Dilma no último dia 6, obriga aacessibilidade digital no Brasil. Sites devem ter arquivos reconhecidos por leitores de tela, possibilidade de aumento de caracteres ou mudança no contraste da tela.

Paulo Lima, da Associação dos Amigos com Deficientes Visuais, diz que só um site em cada dez é acessível. Cristiano Heckert, do Ministério do Planejamento, afirma que nem todos os sites do governo são acessíveis, mas lembra que existe um modelo que deve ser seguido pelos órgãos federais.

O estatuto também obriga as emissoras de TV o uso de recursos com janela com interpretes de libras ou a audiodescrição, que é narração de todas as informações visual que não estão contidas nos diálogos das cenas audiovisuais.

Fonte: EBC

0 Comments

Bebê com alto grau de miopia vê os pais com nitidez pela primeira vez

Na imagem criança sorrindo usando óculos cor de rosa
Na imagem criança sorrindo usando óculos cor de rosa

Vídeo que mostra reação da pequena Piper Verdusco ao usar óculos vira hit depois de publicado no Facebook

Os pais da pequena Piper Verdusco, preocupados porque a filha estava demorando para começar a engatinhar, decidiram levar a questão a um médico. Alguns exames depois, souberam que a menina tem 7 graus de miopia em umolho e 5 no outro, o que seria, provavelmente, o motivo da demora. A solução foi, então, comprar óculos. Aliviada, a mãe, Jessica Sinclair, de Ohio, nos EUA, registrou o momento em que Piper enxerga claramente pela primeira vez, através de um par de óculos de armação cor de rosa.

O vídeo que mostra a reação do bebê vem encantando milhares de internautas. No vídeo de 30 segundos, Piper inicialmente reluta em deixar que seus pais coloquem os óculos em seu rosto. Em seguida, a óbvia diferença faz a criança abrir um sorriso. Mãe de dois filhos, Jessica postou o vídeo no Facebook com o subtítulo: “Peguei os óculos. Saímos para comer e colocamos nela. A reação dela derrete meu coração”.

Ao menos 265.169 pessoas compartilharam a postagem. O vídeo, visualizado mais de 18 mil vezes, mostra Piper sentada em uma lanchonete americana na frente de seus pais, Andrew e Jessica. “Oi, Piper! Como você está?”, pergunta a mãe, que fica encantada com a reação de êxtase de Piper.

Em seguida, o pai, também emocionado, chama a filha e responde ao questionamento de Jessica sobre se ela consegue ver: “Acho que sim!”. Os dois gargalham.

Fonte: O Globo


0 Comments

Cientistas mexicanos criam luva que traduz linguagem de sinais

(Mulher na imagem utiliza a luva que traduz a língua de sinais)
(Mulher na imagem utiliza a luva que traduz a língua de sinais)






Pesquisadores do Instituto Politécnico Nacional (IPN) do México desenvolveram uma luva que transforma em texto e sons a linguagem de deficientes auditivos para permitir que possam transmitir mensagens a pessoas que desconhecem os sinais, segundo informou a instituição educativa em comunicado.

Este protótipo, criado pelo doutor Miguel Félix Mata e a formada Helena Luna García, consiste em uma luva que detecta os movimentos realizados pelo usuário com a mão e os associa com as letras do alfabeto internacional de 26 letras.

“São formadas palavras e frases que são transmitidas por Bluetooth a um dispositivo móvel com um aplicativo pré-carregado que mostra e lê os sinais das pessoas que usam a luva e querem transmitir uma mensagem”, explicou Luna García.

Para detectar se os dedos estão abertos ou fechados foi utilizado um inovador material empregado na construção de tecnologia para vestimentas, um fio condutor feito à base de aço, mais grosso que o fio convencional de algodão e que se pode costurar com agulha e inclusive com máquina.

A base da luva foi costurada à mão com poliéster e nylon, inclui molas e sensores para dar-lhe força, com a finalidade de que sigam a estrutura pelas mãos.

Uma vez que a mensagem chega ao dispositivo, esta é reproduzida em voz e a pessoa que fala com o usuário da luva pode escutar o que este quer dizer-lhe.

Fonte: Blog Deficiente Fisico

 

 






0 Comments

Nasce o filho de surfista que está acostumada a emocionar o mundo

(Bethany Hamilton com o filho no colo ao lado do marido)
(Bethany Hamilton com o filho no colo ao lado do marido)

A havaiana Bethany Hamilton divulgou no início da tarde desta segunda-feira a foto de seu
filho Tobias, que nasceu no último dia primeiro de junho. Na imagem, ela está ao lado do marido Adam com Tobias no colo. O nome é uma homenagem ao avô e, segundo a surfista, significa a "A bondade de deus". 

Bethany, de 25 anos, está acostumada a emocionar o mundo com suas histórias de superação. Em 2003, após um ataque de tubarão, ela teve de amputar o braço esquerdo. Mesmo assim, deu a volta por cima ignorando a deficiência, e continuou surfando em alto nível. 

Durante a gravidez, ela chegou postar fotos surfando ondas grandes. Os registros dividiram opiniões se era realmente saudável expor a gestação aos riscos do esporte. 

Fonte: O Globo



0 Comments

Motorista estaciona em vaga de deficiente e tem surpresa ao pegar carro

(Na imagem motorista tentando tirar papéis do carro)
(Na imagem motorista tentando tirar papéis do carro)

Caso aconteceu no interior do Paraná, homem ainda saiu com o veículo cantando pneus


Um motorista da cidade de Maringá (PR) estacionou seu veículo em uma vaga destinada a pessoas com deficiências físicas. No entanto, ele não contava com a
surpresa feita para ele ao retornar para o carro.


O veículo estava todo coberto por papéis azuis e brancos, que mostram o símbolo internacional de pessoas com deficiência.
O motorista tentou arrancar alguns papéis e, sob vaias da população, retirou-se todo nervoso - inclusive saiu cantando pneus. Como se não bastasse, um agente de trânsito multou o rapaz. 

Assista o vídeo abaixo, e veja a reação!

Fonte: R7

0 Comments

Câmara aprova criação da Lei de Inclusão da Pessoa com Deficiência

Proposta busca garantir acesso das pessoas com deficiência às diversas esferas da vida social, seja por meio de políticas públicas ou iniciativas a cargo das empresas. Texto foi alterado pelos deputados e retornará ao Senado.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (5) o Projeto de Lei 7699/06, que cria a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, com a previsão de diversas garantias e direitos às pessoas nessa condição. A proposta, que era conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência, foi aprovada na forma do substitutivo da relatora, deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), e será analisada ainda pelo Senado.

De acordo com o texto, é classificada como pessoa com deficiência aquela que tem impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial que podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

“Foi mais de um ano de trabalho com a participação de juristas e especialistas e da Secretaria de Direitos Humanos para que chegássemos a um texto adaptado à Convenção da ONU sobre Pessoas com Deficiência”, afirmou a relatora, que tem uma deficiência adquirida devido a um acidente de carro.

A deputada lembrou também que recebeu sugestões da sociedade por meio do serviço e-democracia da Câmara dos Deputados.

A tônica do texto, que conta com mais de 100 artigos, é a previsão do direito das pessoas com deficiência de serem incluídas na vida social nas mais diversas esferas por meio de garantias básicas de acesso, seja por meio de políticas públicas ou iniciativas também a cargo das empresas.

Um dos pontos que ela manteve no texto foi o direito ao auxílio-inclusão para a pessoa com deficiência moderada ou grave. Terá direito a esse auxílio a pessoa com deficiência que já receba o benefício de prestação continuada previsto no Sistema Único de Assistência Social (Suas) e venha a exercer atividade remunerada que a enquadre como segurado obrigatório da Previdência Social.

Entretanto, o governo disse que não tem compromisso com a sanção desse dispositivo.

Lei de cotas

Quanto ao sistema de cotas para empregar trabalhadores com deficiência e reabilitados, o texto aprovado prevê que empresas com 50 a 99 empregados terão de reservar uma vaga para esse grupo. As empresas terão três anos para se adaptar.

Atualmente, as cotas devem ser aplicadas pelas empresas com mais de 100 empregados, em percentuais que variam de 2% a 5% do total de vagas, conforme quatro faixas.

Para estimular a real aplicabilidade desse sistema, o substitutivo muda a Lei de Licitações (8.666/93) para permitir o uso de margens de preferência nas licitações para as empresas que comprovem o cumprimento da reserva de cargos.

Nova regra imposta pelo projeto prevê que somente a contratação direta será contada, excluído o aprendiz com deficiência de que trata a lei da aprendizagem.

Cadastro

O texto cria o Cadastro Nacional da Inclusão da Pessoa com Deficiência com a finalidade de coletar e processar informações destinadas à formulação, gestão, monitoramento e avaliação das políticas públicas para as pessoas com deficiência e para a realização de estudos e pesquisas.

Prioridades

Várias prioridades são garantidas pelo texto às pessoas com deficiência, como na tramitação processual, recebimento de precatórios, restituição do imposto de renda e serviços e proteção e socorro.

Quanto a outros direitos diretamente garantidos por meio de cotas, o texto garante isso em várias áreas:

  • 10% das vagas em instituições de ensino superior ou profissional de nível médio e superior;
  • 3% de unidades habitacionais em programas públicos ou subsidiados com recursos públicos;
  • 10% de dormitórios nos hotéis acessíveis às pessoas com deficiência (dois anos para vigorar);
  • 2% das vagas em estacionamentos;
  • 10% dos carros das frotas de táxi adaptados para acesso das pessoas com deficiência;
  • 10% das outorgas de táxi para motoristas com deficiência;
  • 5% dos carros de autoescolas e de locadoras de automóveis adaptados para motoristas com deficiência;
  • 10% dos computadores de lan houses com recursos de acessibilidade para pessoa com deficiência visual;
  • recebimento, mediante solicitação, de boletos, contas, extratos e cobranças em formato acessível;
  • assentos em cinemas, teatros e outros locais de grande concentração de espectadores em locais diversos de boa visibilidade.
(Na imagem Mara Gabrilli na Câmara dos deputados)
(Na imagem Mara Gabrilli na Câmara dos deputados)

Fonte: http://www2.camara.leg.br


0 Comments

PQi - Programa Qualificar para Incluir 6ª Edição 2015

 (Alunos na expectativa da abertura da 6ª. Edição PQi)
(Alunos na expectativa da abertura da 6ª. Edição PQi)


"A SQi e CPqD junto com Patrocinadores comemoram juntos abertura da 6a. Edição neste mês, e ainda oficializaram as mudanças no Programa, entre elas a novidade “Cresce a oferta de vagas para o curso em 2015 de 80 para 200 alunos, mais PCD´s serão capacitados em TIC´s ".

Programa oferece curso gratuito de formação em TIC para pessoas com deficiências.

Read More 1 Comments

Editais de concursos não podem limitar a entrada de deficientes

Na imagem uma pessoa prestando concurso
Na imagem uma pessoa prestando concurso


A regra vale desde que a deficiência não interfira na profissão, afirma o procurador Thiago Lacerda Nobre, do Ministério Público Federal em Jales, no interior de São Paulo. Por lei, 5% das vagas em concursos são reservadas para deficientes.

Ele [o candidato com deficiência] não pode prestar [concurso] para ser Policial Militar se for cego, para trabalhar na rua, por exemplo. Mas, se for um serviço administrativo e ele for cadeirante, não tem problema nenhum [entrar na polícia].

Não norma geral que restrinja os concursos públicos para deficientes, afirma o procurador. Cada caso deve ser analisado individualmente, pela documentação enviada na inscrição ­ como atestados médicos e exames. Os documentos devem ser solicitados pelo órg2ão que realiza a prova.

O deficiente, por lei, tem direito a concorrer às vagas, desde que a deficiência dele não atrapalhe minimamente a condição do cargo. Então esse primeiro exame [dos documentos] visa analisar se a deficiência da pessoa se enquadra entre o que não é problema para o trabalho e também se ela pode prestar [o concurso]. Não é todo tipo de deficiência que permite que ela dispute o concurso.

Assim como aconteceu na inscrição de João Paulo Buosi, o órgão avalia se o candidato está apto a se inscrever para aquela vaga. Nesse momento e na hora da perícia, o deficiente pode ser barrado.

Fonte: Portal PCD Online

0 Comments

ATOR CONTA COMO USOU O TEATRO PARA SUPERAR A ESCLEROSE MÚLTIPLA


"O Treatro transforma"


No fim da década de 80, o paulistano Nando Bolognesi levava a vida entre a faculdade, as baladas e o futebol. Durante um intercâmbio na Europa, percebeu que seu corpo não respondia a estímulos imediatos. Primeiro, ele encontrava dificuldade para se equilibrar em uma escada rolante. Logo depois, a desenvoltura com a bola nos gramados parecia coisa do passado e até usar um desodorante se transformou em uma árdua tarefa. 

Portador de esclerose múltipla, Nando buscou a reinvenção e, dali em diante, não parou de se superar. Aposentou o diploma de economia, virou ator e palhaço e, 25 anos depois do diagnóstico, transita entre o cômico, o trágico e o documental na peça Se Fosse Fácil, Não Teria Graça. 
 
Parafraseando a stand-up comedy, o autor e também diretor, hoje com 46 anos, recorreu ao humor e a uma boa dose de otimismo para criar a própria sit-down tragedy. Ele não poupa a si mesmo e arranca risos e lágrimas da plateia através de histórias da convivência com as limitações impostas pela doença degenerativa.
Read More 0 Comments

A Menina Espantalho

Sinopse: Conta a história de Luzia, uma menina que mora com seus pais e o irmão Pedro no campo. Quando Pedro começa a freqüentar a escola, Luzia manifesta vontade de acompanhar o irmão. O pai autoritário não respeita o desejo da filha e ainda a obriga a espantar os pássaros da sua plantação de arroz. Mesmo vivendo essa adversidade, Luzia dá a volta por cima e aprende a ler no meio do arrozal.

Direção: Cássio Pereira dos Santos

Read More 0 Comments

Você é a Força Vital do Universo

(Uma Ideia que Vale a Pena Espalhar)

0 Comments

Eu tinha um cachorro preto, seu nome era depressão

Um homem sentado em uma pedra com os braços apoiados no colo expressando tristeza. Tem uma claridade a sua esquerda que faz sua sombra aparecer em uma parede vermelha a sua direita no formato de um cachorro também sentado com expressão de triste.
Um homem sentado em uma pedra com os braços apoiados no colo expressando tristeza. Tem uma claridade a sua esquerda que faz sua sombra aparecer em uma parede vermelha a sua direita no formato de um cachorro também sentado com expressão de triste.

Todos nós temos um cachorro preto em nossa vida. Qual é o tamanho do seu?

 

Assistam o vídeo abaixo e percebam o quanto isso é verdade nas nossas vidas, o quanto temos que saber NEGOCIAR com os nossas dores, frustações. Precisamos SEMPRE das pessoas que acreditamos.

 

Para quem já fez o PQi, relacione o vídeo com tudo o que você aprendeu nas matérias comportamentais:

 

 

 

Read More 10 Comments

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

Imagem referente ao dia Internacional de Pessoa com Deficiência
1 Comments

Correio Popular - Programa do CPqD 'Qualificar para Incluir' aposta na inclusão

Foto dos Alunos em frente aos Canudos (Certificados)
Turma do Programa Qualificar para Incluir, do CPqD, observa diplomas que foram entregues durante a cerimônia de formatura do curso de tecnologia da informação e comunicação

Projeto dá novas perspectivas a 60 alunos com deficiência e que se formaram em TI

 

Quando Rosilene Freire da Silva sofreu um AVC hemorrágico, que deixou o lado esquerdo do seu corpo comprometido, pensou que estaria condenada a uma vida dependendo de terceiros. “Eu sempre fui muito independente, e de repente agora não poderia mais exercer a minha profissão. Não sabia o que faria da vida”, lembra. Quatro anos depois, ela se converteu em um símbolo de superação e esperança — acabou de se formar em um curso de tecnologia da informação e comunicação (TIC) pelo CPqD e já ganhou uma bolsa de estudos para cursar publicidade. “Depois que comecei a estudar, minha vida mudou. Agora eu terei duas profissões”, contou.

 

 

Jeferson Vargas, Renato Carvalho, Ana Paula Cardoso e Raimundo da Silva, assim como Rosilene, redescobriram o sentido da vida estudando TI no Programa Qualificar para Incluir (PQI), do CPqD. Eles são alguns dos 60 alunos que se formaram nesta sexta-feira (13) na 4ª edição do programa, que tem como objetivo oferecer qualificação gratuita para pessoas com deficiências.


Todos são exemplo do poder transformador do conhecimento e do trabalho. “Depois do acidente achei que iria me aposentar, que não poderia fazer mais nada. Esse curso mudou a minha visão da vida”, narrou o empresário Raimundo Silva. Ele conta que voltou a sonhar e quer mais. “Quero aprender mais e trabalhar na área”, afirmou.


O mesmo aconteceu com Ana Paula Cardoso, de apenas 17 anos. Os dias de irritabilidade e ansiedade ficaram no passado. “Antes eu não sabia o que queria da vida, era muito ansiosa e não tinha objetivos”, conta. Agora, Ana tem planos bem definidos: começa um novo curso, dessa vez de programação web, para conseguir um trabalho na área de TI.


O coordenador do programa, Daniel Francisco da Silva, explica que mais que formar pessoas aptas a trabalhar no mercado de TI, o programa tem um poder transformador sobre os alunos. “Quando começaram o curso, muitos eram super tímidos e tinham uma autoestima baixa. A vida deles muda muito”, contou.


Segundo Silva, os formandos saem aptos a disputar, em pé de igualdade, uma vaga no mercado de TI. “Eles estão muito bem preparados para encarar o mercado”, disse.


Durante os 14 meses de treinamento, os alunos não aprenderam apenas técnicas, mas também disciplinas relacionadas à conduta corporativa, técnicas de oratória e atendimento ao cliente. A próxima turma, composta por 80 alunos, inicia as aulas no dia 7 de outubro.

Recolocação
Patrocinado por grandes empresas, muitas vezes os alunos do programa acabam sendo contratados antes mesmo de finalizar o curso. O presidente do CPqD, Hélio Graciosa, ressalta que o sucesso do curso não é mérito do CPqD ou dos parceiros, mas que depende de cada um dos alunos. “O sucesso se deve principalmente ao esforço, dedicação e compromisso das pessoas que fizeram o curso. O programa é uma oportunidade e as pessoas têm que aproveitá-la”, afirmou.

 

 

Read More 2 Comments

Homenagem ao Professor Antonio Marcos

Foi criada uma Charge do mentor da pedagogia do Programa Qualificar para Incluir, Antonio Marcos Melo em homenagem a sua luta pelo respeito ao ser-humano e suas diferenças. Hoje o programa PQi (Programa Qualificar para Incluir) tem como pilar de aprendizagem sobre Relacionamento Humano a ciência de que o mundo se torna cada vez melhor no momento em que uma pessoa entende que uma outra pessoa é tão complexa quanto ela mesma e que tem diferenças comportamentais notáveis no "complexo de ismo" (Complexo: Complicado, diversos elementos ou informações co-relacionadas,  Ismo: Todas as relações ao extremo ser); Nome simbolicamente dado ao complexo mental humano que é moldado por vivências, costumes, crenças e traumas no decorrer da vida e constrói cada ser diferente um do outro e isso o torna um ser único e importante.

7 Comments

Rosilene Freire ganha Bolsa de Estudos do CPqD

A aluna Rosilene Freire ganhou uma bolsa de estudos 100% gratuita do CPqD para fazer um curso de sua escolha na Faculdade ESAMC como prêmio por ter mostrado um ótimo desempenho e dedicação nas matérias e laboratórios do Programa Qualificar para Incluir.

Read More 13 Comments

O desabafo do Pranchanévis!




O Pranchanévis foi vetado do Projeto PQi!

Mas agora!

 

Desabafa na rede toda sua indignação!!!


Read More 6 Comments

QUANDO A BOCA CALA...O CORPO GRITA!!!



Nosso corpo é o espelho da Alma!

 



Leia a Matéria clicando aqui...


Read More 176 Comments

ATLETA RECUSA-SE A VENCER

HOLOFOTE NO FIM DO TÚNEL



Honestidade: elogiado corredor que se negou a vencer líder, que parou por engano


Comente. O que você achou?


Read More 24 Comments

Novo Manual do PQi - Veja aqui

 

Manual de Convivência PQi 2013

 

ACESSAR

 

BAIXAR

 


Read More 0 Comments

I Fórum de Discussão sobre Pessoas com Deficiência e o Mercado de Trabalho Impactos da Convenção da ONU

- No dia 27/02/2013 a equipe do PQi esteve presente no "I Fórum de Discussão sobre Pessoas com Deficiência e o Mercado de Trabalho Impactos da Convenção da ONU"

Indico a todos que leiam a matéria, pois muitos assuntos importantes foram tratados!

http://www.unicamp.br/unicamp/noticias/2013/02/27/mercado-para-pessoas-com-deficiencia-e-tema-em-forum-inaugurado-na-unicamp

 

 

1 Comments

Portal do PQi na palma da sua mão!

 

  

 

Agora, ficou mais fácil!

 

Portal do PQi Movel, direto no seu celular!

 

 

WEB Móvel - Tudo o que precisa no bolso...

 

A Internet móvel veio para facilitar o dia-a-dia de quem precisa estar online a qualquer hora e em qualquer lugar.

 

O portal do PQi trás muitas informações para quem gosta de ficar atualizados nos projeto e interatividade na comunidade PQi.

 
A forma de acessar pelo celular Smartphone ou Tablet é inserir o link do site programapqi.jimdo.com no navegador de seu aparelho móvel e aproveitar!

0 Comments

Turnê de Eventos - Maio e Junho (2.017)

  Olá, caríssimos amigos e patrocinadores do PQi - Programa Qualificar para Incluir.

 

  Com muita alegria e satisfação, trazemos a vocês mais novidades do Programa PQi pelo Brasil! Nestes últimos meses do primeiro semestre (Maio e Junho), estivemos em uma grande turnê de eventos e treinamentos por todo o estado do Maranhão, com muito entusiasmo conseguimos levar pequenas fagulhas de luz para cada pessoa que tivemos a oportunidade de encontrar e trocar experiências. Tem sido Fantástico está trajetória do PQi neste ciclo, com mais de 10 eventos por mês e muitos treinamentos.

 

  Confiram as fotos dos locais por onde estivemos trabalhando, e não de comentar, curtir e compartilhar com seus amigos!

Novidades - Programa Qualificar para Incluir (PQi)

  Olá, caríssimos amigos e patrocinadores do PQi - Programa Qualificar para Incluir.

 

  É com muita satisfação, alegria e saudades de tanta gente que retornamos ao nosso site, nosso espaço para dar notícias nossas e ansiosamente aguardando notícias de todos os Amigos do PQi...

 

  Todos que nos acompanham pessoalmente, pelas redes sociais e até mesmo com e-mails e contatos de vez em sempre sabem o ano de 2016 fechamos com Grande sucesso as turmas de Tic-Mobile, Tic Logística e PQi Tic padrão, e entregamos os novos profissionais formados, para a disponibilização para os nossos parceiros e patrocinadores CPqD; Samsung e Galvani bem como uma turma com formação específica para a Elektro.

 

  Graças aos esforços de todos, sempre... aos esforços incansáveis da Equipe do PQi, de nosso bom e Generoso Deus, fechamos com Chave de ouro e entregamos nas formaturas pessoas felizes, confiantes e mais plenas com elas mesmas; Esse é o clima PQi que todos conhecem...

 

E o PQi não para, com todas as reformulações de conteúdos, cargas horárias, temas altamente inovadores na área de Tecnologia e agora também de Governança Ti, estamos aí no Campo pelo Brasil...

 

  Estruturando fortemente para a continuidade em Campinas- SP, aeroporto de Viracopos, e CPqD e mais alguns parceiros em negociação, seguimos fortes no campo e neste momento estamos viajando e percorrendo o estado do Maranhão também com nosso expertise, e novamente somando esforços com uma grande equipe de 96 pessoas viajando por diversos lugares no Maranhão, levando a força totalmente dedicado aos particulares negócios dos patrocinadores e parceiros, o PQi hoje mais fortalecido, mais maduro, pronto e provando a cada tempo isso diretamente na estrada, apresentando seus resultados e novas propostas em âmbito internacional...

 

  O Programa de formação para pessoas necessitadas, carentes e com algum tipo de necessidade especial não para, e agora mais forte e atuante... isso nos fortalece nos propósitos que nos colocamos.

 

  Pois em nossas andanças um de nossos grandes amigos do PQi, Dro. Hélio Marcos Machado Graciosa – Ex-Presidente do CPqD, disse uma frase que ficou em um dos pilares do PQi, e diz:

 

“A Grande Lição que a gente tira é que a natureza humana não tem limites, dada uma oportunidade as pessoas se desafiam e as pessoas superam obstáculos... então a forte sensação que além de qualificarmos o Mercado do trabalho, agente está ajudando Gente a crescer...”

 

  É isso continuamos incansavelmente buscando estas pessoas fortes, e que só estão verdadeiramente esperando por estes desafios.

 

  Ano de 2017, e nesta linha do tempo, só temos que grandemente e entusiasmadamente compartilhar com vocês, grandes novidades, notícias e fotos de onde estamos e o que estamos fazendo para que mantenhamos esta grande corrente de transformação real que todos nós unidos em torno do PQi, podemos fazer e experimentar!...

 

  A Empresa SQi – Skill Quality intelligence que até no nome também passou por reestruturação e complemento agora é PSQi – Project Skill Quality intelligence, pois aumenta a cada vez sua atuação em projetos de inovação, desenvolvimento e implantação na área projetos (solution Provider); assumindo a Governança de uma Grande empresa aproximadamente 1,5 ano e meio, une as grandes áreas engrenagens da empresa (Gestão de tecnologia alta, Comunicação, Integração e redefinição de planta, treinamentos, laboratórios, governança em Ti, Transporte e Logística, Integração em Business intelligence, E todas as áreas confluindo com um Grande instituto totalmente voltado a desenvolvimento humano, fábrica de talentos, oficinas, capacitações voltadas ao negócio da empresa e também diversidade de talentos.

 

  A arte Educação, tecnologia, filosofia aplicada conceito do PQi, estão totalmente presente em todas as qualificações, e a maior notícia para vocês, é que os resultados gigantes já estão sendo colhidos para iniciarmos com força total este ano maravilhoso de 2017...Estamos atuantes, fortes e nos desenvolvendo cada vez mais, pelo Brasil a fora...

 

  Vejam, curtam e compartilhem as fotos e vídeos postadas exclusivamente para vocês, e assim que possível estaremos atualizando com mais e mais conteúdos para você nos acompanhar!... vamos lá, compartilhem com todos nossas notícias e nos vemos em breve...

 

O Ser-humano exercita o desapego muitas vezes inconsciente mas não transporta este desapego para a prática do dia dia para que ele possa nos libertar de tantos pontos âncoras, que nos segura rumo ao crescimento!... e inconscientemente ele esquece de momentos e de pessoas que podem a qualquer momento mesmo em pensamento apertar botões mágicos e transformadores que temos dentro de nós mesmos!...

 

Vivam o presente, agora, neste instante e reviva em você tudo de maravilhoso e que lhe fez crescer e chegar até aqui, e note como seu coração lhe agradece, transportando a sensação de harmonia total para sua alma!... risos..

 

Antonio Marcos Melo – PQi.

 

Conheça a ti mesmo e terá condições plena 

para respeitar o outro.

 

 

Read More 3 Comments

São Pedro tem vagas de emprego para PCD's no PAT

Prédio do PAT.
Prédio do PAT.

Oportunidade é para operador de caixa com salário de até R$ 1,2 mil. Interessados devem se apresentar com documentos pessoais na unidade.

 

O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de São Pedro (SP) oferece vagas de emprego para o setor de serviços até a próxima quinta-feira (30). Os salários chegam a R$ 1,2 mil e há oportunidade para pessoas com deficiência. Os trabalhadores interessados devem se apresentar na unidade com carteira de trabalho, cartão cidadão ou cartão do PIS, RG, CPF e comprovante de residência.

 

As vagas são para promotor de vendas, no ramo de cosméticos e de veículos, com salário de R$ 1,2 mil, e para vendedor de comércio varejista para o segmento de cama, mesa e banho. A remuneração é de R$ 1 mil.

 

Pessoas com deficiência

O PAT de São Pedro também oferece vaga de operador de caixa para pessoas com deficiência. O salário é de R$ 1,2 mil.

 

O Posto também oferece serviços gratuitos como emissão de carteira de trabalho (1ª e 2ª vias), entrada no Seguro Desemprego e outros cursos de qualificação. O atendimento ao seguro desemprego acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3481-3763 ou pat@saopedro.sp.gov.br

 

As vagas podem variar diariamente, devido aos encaminhamentos dos interessados. O atendimento acontece de segunda a quinta-feira, das 8h às 13h. O PAT é localizado na Rua Malaquias Guerra, nº 925, no Centro.

 

Fonte: G1

0 Comments

Você é do tipo que também diz: "Errar é Humano" ?

 

Se for muito provavelmente você faz parte de uma grande massa que acredita nesta frase que tem o poder de levar as pessoas passos largos para trás na vida.

E ainda confunde todo seu complexo de ismo, achando ser capaz de avaliar qual a diferença de “ erro”  e  “ Experiência” ?

 

É louco o negócio? – Pois bem.

 

Quem é que nunca fez nada errado?

 

Naturalmente todos nos já cometemos algum tipo de erro,  seja intencionalmente ou não. O erro faz parte do aprendizado, por traz de algum erro esta por trás a ignorância, o orgulho ou egoísmo.

 

O ignorante, erra por desconhecer… O orgulhoso, erra por se achar mais do que seus semelhantes em qualquer lugar em que ele estiver…E o egoísta, naturalmente por pensar somente em si. Como o nome já diz para quem conhece a matéria; egoísta quer dizer, extremista em seu ego, tudo e somente ele.

 

O que caracteriza o erro não são as diretrizes éticas ou estabelecidas no lugar em que convivemos,  (família, bairro, cidade, estado, etc...). Não é por incrível que pareça, não é isso o que caracteriza “Um erro” - Mas sim, as suas consequências sobre o individuo e sobre a sociedade em que o ser convive;  e principalmente os seus efeitos malignos, ERRAMOS quando nossos atos ferem alguém,  quando invadimos o ismo do outro, quando destruímos ao invés de construir “ Palavras também destroem... “

 

Em uma curta frase eu digo: “ ERRAMOS sempre que produzimos sofrimento para nós mesmos ou para qualquer outra pessoa...” e por estar vinculado ao sofrimento vemos por senso comum que o ERRO NÃO É UM BOM NEGOCIO ??!!!...

 

Entretanto, com esforço, concentração e buscando a sabedoria, saberemos tirar proveito do erro, de uma forma muito especial uma força maior sempre providência que tiramos os melhores resultados dos erros quando queremos, quando nos esforçamos,  tudo depende da sua capacidade de querer religar-se com seu complexo de ismo e Deus.

 

Isso acontece querendo ou não por meio de uma Lei chamada “ Causa e Efeito “ de verdade não existe algum efeito se não houver a causa; o que conflita e a nossa negação de nossas próprias ações não tão corretas, e que faz com que todo bem como todo mal, retorne ao seu próprio criador, isso e inegável, é só pararmos um pouquinho para refletir.

 

No campo dos sofrimentos isso se chama Autoflagelação; quantas pessoas se comprazem em sofrer, reclamar, e não sair das situações geradas por elas mesmas? “Você conhece alguém? Que se comporta de tal maneira “?...Mas existe sim uma maneira de tornar o PROCESSO um pouco menos penoso; quando abrimos a matéria “ARREPENDIMENTOS E REPARAÇÃO”  - ARREPENDER-SE e então o primeiro passo para ir de frente a correção de nossos possíveis DESATINOS.

 

Existem pessoas que só se arrependem de seus atos, quando o grau de complexidade já esta bem avançado em sua vida, e que já estão COLHENDO AS CONSEQUÊNCIA, quanto mais demoramos a nos arrepender, não tenha  duvidas, mais sofremos... o arrependimento deve produzir como efeito o desejo profundo de reparação que precisamos,  que consiste em FAZER O BEM A QUEM SE HAVIA FEITO O MAL OU SIMPLESMENTE POR A OUTRA PESSOA TER SIDO CONSEQUÊNCIA DE NOSSOS ERROS; não precisa divulgar, basta com gentileza e sensibilidade agir no BEM, mas é claro consideremos que nem sempre ou nem em todos os erros se aplica a formula acima; estou aqui falando do grau mais profundo nas relações de nós conosco mesmos e com as outras pessoas... reparação quer dizer fazer o que deveria ter sido feito, refazer a tarefa que foi feita por ímpeto, por empolgação, por impulso, e somente depois e que pensamos com o respeito que já deveria ter pensado, isso quer dizer reparação.

 

Pode parecer ser básico o que estou dizendo, mas leia e reflita na pratica de sua vida, e veja o que nunca foi feito e o que pode ser feito a partir de agora ? Veja o resultado, pelos resultados que vão sendo gerados.Praticando conosco mesmo a formula acima EU GARANTO que o orgulhoso procurará ser humilde pelo bem próprio, o RUDE procurará ser amável, e isso e notável na sua própria forma de olhar e agir. O ocioso passará a ser útil e o Egoísta ser caridoso, veja ai a Lei de

Polaridade que você já conhece.

 

E então, a Massa costuma dizer que “ERRAR E HUMANO” , depois desta conversa vamos considerar uma inversão de raciocino, podemos dizer então que “ CORRIGIR ERROS É QUE É HUMANO!

 

Não é possível que o homem continue desprezando sua FANTÁSTICA CAPACIDADE DE SERVIR E CONSTRUIR EM SI PRÓPRIO O SENTIMENTO MAIS ELEVADO QUE CADA UM DE NÓS QUEREMOS, E INSISTIR EM ATITUDES QUE SÓ O INFELICITAM! Reconhece-se então o homem pela capacidade que ele desenvolve-se em substituir seus Defeitos por virtudes SUPERIORES.

 

VOCÊ SABIA QUE NENHUM COMPLEXO DE ISMO ALCANÇAR A PERFEIÇÃO OU A SUA MELHORIA PRÓPRIA SEM ANTES CORRIGIR E REPARAR TODOS OS DEFEITOS QUE ELE ENCONTRA DENTRO DO SISTEMA DELE MESMO?  E VOCÊ SABIA QUE AS PESSOAS NORMÓTICAS ACREDITAM QUE NÃO POSSUEM DEFEITOS? E QUE TUDO ISSO É A MAIOR LOUCURA DO SER?

 

POR ISSO HOJE, SOMENTE HOJE É O DIA DE FAZER  MELHOR.

 

LEIA ESTA CARTA QUE ENTREGUEI A VOCÊ UMA VEZ POR SEMANA OU DUAS, até quando somente VOCÊ QUISER., não leia porque eu Antônio Marcos acredito;  só leia se VOCÊ ACREDITAR.

 

Antônio Marcos Melo

Simples e humilde Professor.

1 Comments

Oportunidade PQi: Cadastro gratuito de currículo de PCD's.

 

 

O Programa Qualificar para Incluir – PQi oferece oportunidade para Pessoas com Deficiência que possuem interesse em ingressar no mercado de trabalho; Abrimos cadastro gratuito para PCD's residentes na  Região Metropolitana de Campinas. Esse ano iniciamos novos serviços com o lançamento da campanha: “EU QUERO OPORTUNIDADE PQi”, uma nova modalidade de Recrutamento para Deficientes.

 

Você conhece a Lei de Cotas?

 

Lei 8213/91 de 24/07/1991

Art. 93 - A empresa com 100 ou mais funcionários é obrigada a preencher de dois a cinco por cento dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas portadoras de deficiência, na seguinte proporção:

 

- Até 200 funcionários.....................2%

- De 201 a 500 funcionários........... 3%

- De 501 a 1000 funcionários..........4%

- De 1001 em diante funcionários.. 5%

 

O PQi está a 23 anos no segmento de Pessoas com Deficiência, oferecendo serviços especializados, valorizando a diversidade e promovendo a inclusão. Fruto de um projeto estruturado, acompanhado por profissionais altamente especializados, nosso objetivo é inserir PCD's capacitados no mercado. 

 

Como funciona?

 

Para participar o candidato precisa entrar site do PQi e realizar o cadastro gratuitamente.  O  Programa Qualificar para Incluir entra em contato com o candidato para conhecer melhor o perfil e a área de interesse do participante. Depois dessa etapa,  o participante passará pelo processo seletivo diretamente na empresa que oferece a vaga de emprego.

 

Aproveite o cadastro gratuito, é a sua oportunidade de conseguir uma vaga de emprego.

 

Quem pode participar?

 

- Ex-alunos PQi

- Pessoas com deficiência

 

Quando homens e mulheres que possuem alguma deficiência são inseridos no mercado de trabalho, a sociedade se torna mais justa e inclusiva.

 

“Quando entrei no programa, estava desempregado e sem perspectivas. Depois dele, um novo mundo se abriu”. – Marcelo Jacinto Ribeiro, está a quatro anos trabalhando no CPqD – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações.

 

O PQi fica localizado no Parque II do Polo de Alta Tecnologia de Campinas. 

Para maiores informações, entre em contato com a nossa equipe. 

 

 

0 Comments

Programa Qualificar para Incluir: sua empresa cumpre a lei de cotas?

O Programa Qualificar para Incluir – PQi está a 23 anos no segmento de Pessoas com deficiência, oferecendo serviços especializados para empresas que valorizam a diversidade e precisam cumprir a Lei de Cotas. Fruto de um projeto estruturado acompanhado por profissionais altamente especializados, nosso objetivo é capacitar, desenvolver e qualificar Pessoas com Deficiência. Dessa forma, inserimos PCD's competentes no mercado de trabalho no universo da Tecnologia da Informação e Comunicação.

 

Sua empresa cumpre a Lei de Cotas?

Empresas com 100 funcionários ou mais devem ter um sistema de contratação de PCD’s, em função da lei de cotas (8.213/91) em que a empresa é obrigada a preencher de dois a cinco por cento dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas portadoras de deficiência (física, auditiva ou visual), na seguinte proporção: ­

Até 200 funcionários..................... 2% ­

De 201 a 500 funcionários............ 3% ­

De 501 a 1000 funcionários.......... 4% ­

De 1001 em diante funcionários....5%

 

O não cumprimento da Lei de Cotas pode ocasionar multa

A fiscalização é feita pelo DRT – Delegacia Regional do Trabalho e o valor da multa varia de acordo com o número de deficientes não contratados. Uma pessoa deficiente não contratada resulta no valor de R$1.925,81 por mês. Esse valor se altera de acordo com a proporção de PCD's que a empresa precisa contratar em função do número de funcionários existentes.

 

Nós auxiliamos a sua empresa

Com uma equipe formada por consultores, instrutores, psicopedagogos, intérprete/interlocutores de libras, psicólogos, coach, médicos e enfermeiras, o PQi se adapta às necessidades de cada empresa. Nossos serviços se aplicam especialmente às empresas que precisam incluir Pessoas com Deficiência.

 

Durante esses 23 anos incluímos milhares de PCD's qualificados no mercado de trabalho. Ao manter o banco de dados ativo periodicamente, oferecemos profissionais competentes para as empresas e aumentamos significativamente as possibilidades de empregabilidade dos alunos PCD's .

 

Instalado no Polo II da Alta Tecnologia, o PQi foi idealizado pela SQi (Skill Quality Intelligence), fazendo de nós o mais inovador Programa de Qualificação para Inclusão e Integração em diversas áreas nas empresas da Região Metropolitana de Campinas.

O Programa possui infraestrutura preparada, com recursos audiovisuais direcionados para o público específico; computadores de ponta, movelaria, redes confinadas e data show. Nos adaptamos às necessidades de cada empresa, oferecendo os serviços In Company ou no local que melhor atenda a empresa para a realização da capacitação*. *Consulte nossos diretores

 

Entre 2008 e 2016 formamos mais de 400 alunos. Cerca de 60% dos PCD's capacitados no PQi foram contratados nas empresas patrocinadoras do programa e outros clientes. Recebemos o Prêmio CRP Destaque 2010, GRHC Excelência 2010, CONARH 2009 ­ Projeto inovação, REATECH 2010 ­ Palestras como projeto inovador, resultados de produtividade e qualidade.

 

Quando homens e mulheres que possuem alguma deficiência são inseridos no mercado de trabalho, a sociedade se torna mais justa e inclusiva.

 

O que é ser um patrocinador?

O PQi oferece benefícios em diferentes módulos; em forma de patrocínio pleno, para empresas que solicitam um pacote de serviços a longo prazo, com acompanhamento integral. E em forma de serviços avulsos, para empresas que possuem necessidades pontuais e imediatas.

 

Plano de Patrocínio

­ Recrutamento e Seleção dos PCD's para início da capacitação ­

Capacitação de alunos (área definida pela empresa) ­

Capacitação In Company ou nas instalações do PQi ­

Fornecimento de indicadores durante a capacitação ­

Administração geral da capacitação ­

Acesso integral ao banco de dados dos alunos patrocinados ­

Acompanhamento e Suporte ao Departamento de RH

Serviços Avulsos ­

Homologação e capacitação de PCD's ­

Capacitação na área desejada para funcionários já contratados da empresa (In Company ou nas instalações do PQi) ­

Treinamentos e Palestras ­Capacitação da Equipe de Recursos Humanos ­

Coaching em inclusão (individual ou em grupo) ­

Treinamento em libras ­

Recrutamento e seleção ­

Consultoria em acessibilidade da infraestrutura da empresa

 

Todos os nossos serviços possuem excelência comprovada por clientes como o CPqD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações), Aeroporto Viracopos Brasil, Elektro, Galvani Fertilizantes, Samsung (Sidi), Padtec, Esamc e SQi (Skill Quality Intelligence). Atualmente essas empresas desfrutam das vantagens do Plano de Patrocínio.

 

A empresa que patrocina o aluno PDC tem a cobrança de cota adiada, contribuindo diretamente com os objetivos sociais de inclusão efetiva. As informações, notícias e destaques do nosso programa podem ser utilizadas e publicadas nas colunas de ações sociais da empresa. O PQi cita o nome da empresa como inclusiva nas publicações impressas, online e televisivas além dos eventos.

 

Depoimento

“Com o Programa Qualificar para Incluir, ao mesmo tempo em que contribuímos com a inclusão social de pessoas com deficiências, ajudamos a minimizar o problema do déficit de mão de obra especializada em TIC na região de Campinas”. ­Daniel Francisco da Silva, coordenador de Recursos Humanos do CPqD.

 

O Programa Qualificar para Incluir possui especialidade em PCD’s, atendendo as empresas de acordo com as suas necessidades. Entre em contato, conheça o PQi. Oferecemos os serviços em nível estadual*. *Consulte a direção

0 Comments

Programa PQi realiza palestra "Oportunidade como Fenômeno" no Aeroporto Viracopos

  Na última terça-feira 29 de Março, o programa PQi realizou uma palestra no Aeroporto de Viracopos, atual patrocinador do programa. O público presente foi composto pela equipe de RH, funcionários PCD's do Aeroporto e convidados.

  Lançando a campanha EU QUERO OPORTUNIDADE PQi, o professor Antônio Marcos Melo realizou a palestra " Oportunidade como Fenômeno" onde foi desenvolvido com o público assuntos de interesse prático, foram abordados temas no tocante as oportunidades e os resultados essenciais que se espera de cada ser especial, que somos nós. Uma importante reflexão sobre como somos vistos, lembrados, e o quanto devemos nos preparar para agarrar as oportunidades da vida.


   Durante toda a palestra o envolvimento e interesse do público foi grande, e no momento final de conexão total entre o palestrante com os presentes, pudemos compartilhar da força real da mensagem que cada um pôde levar.


   Agradecemos a presença de toda a equipe de RH do Viracopos pelo apoio, aos funcionários que nos receberam com tanto carinho e participação, e os convidados especiais:

 

   A Rossana Carella, (Self Coach do Programa PQi), Mayra Rodrigues Timpani (Analista de Gestão de Pessoas) e Vanessa Vieira da Silva (Auxiliar de RH) da empresa Galvani patrocinadora do PQi, Dra. Arlete Moura, Dra. Denilse (Responsável Técnica Reabilitação Profissional Gerência Executiva INSS Campinas - SP).

 

 
O PQi, aceita com pronta satisfação convites para apresentar nossos temas e títulos em empresas e universidades, com objetivo de levar esclarecimentos, assuntos inovadores e o mais importante esclarecimento e inteligências a cerca do tema adversidade.

Read More 1 Comments

Com as duas pernas amputadas, mestre de obras trabalha de sol a sol, em Araraquara

Imagem do mestre de obras em cima do telhado trabalhando.
Imagem do mestre de obras em cima do telhado trabalhando.

 

 

 

Delfino Lima de Jesus teve as pernas amputadas há dez anos

 

“É um exemplo de vida que a gente tem o privilégio de trabalhar todo dia ao lado”, diz o pedreiro Sílvio Carlos da Silva, de 34 anos. “Quando a gente está desanimado em mais um dia de trabalho, olhamos para ele e nos dá força para não desanimarmos.”

O pedreiro está se referindo ao seu mestre de obras, Delfino Lima de Jesus, 52, que encontramos trabalhando sob o sol quente das 15 horas de ontem na construção de um salão comercial, no Jardim Santo Antônio, em Araraquara.

O motivo é que Delfino Lima não tem as duas pernas. Foram amputadas há 10 anos, após uma trombose desencadeada pelos anos fumando cigarro. “Fumava três maços de cigarros por dia. Era um vício”, comenta o mestre de obras.

Após a amputação, Lima saiu do hospital pesando apenas 23 quilos. Oito meses depois, estava com mais de 70 quilos novamente e em seu primeiro trabalho após a amputação. “Conheci muita gente que perdeu algum membro e passou a ter um mau humor insuportável. Não sou assim”, diz ele, enquanto ajeita algumas telhas na armação de um telhado.

Independência


Dentre as razões que fizeram com que o mestre de obras seguisse trabalhando foi se olhar no espelho e se ver uma pessoa ‘normal’ e independente. “Não me sinto deficiente em absolutamente nada. Trabalho normalmente e não dependo de ninguém”, emociona-se.

O maior orgulho
Mas o maior orgulho de Lima de Jesus é ter colocado o ‘pão na mesa’ e sustentado os três filhos durante mais de 10 anos. Ao vê-los hoje, todos com mais de 20 anos, diz: “tenho certeza de que eles se orgulham muito do pai deles”, diz, emocionado.

 

Na rede social
A história de vida de Delfino já foi tema de reportagens em uma TV local, mas se tornou destaque novamente após uma publicação em uma rede social.

A autora da publicação estava passando pela rua onde ele trabalha e ao vê-lo pediu para fotografá-lo. “Quando me deparei com esse senhor, tive que dar marcha ré e ir falar com ele. Me impressionou muito o fato de ele trabalhar com um sorriso e ser muito orgulhoso de seu trabalho, como deveria ser para todos que possuem dois braços e duas pernas”, comentou a autora da postagem, compartilhada dezenas de vezes.

‘Não me sinto um deficiente. Faço tudo sozinho’
Essa frase dita por Delfino de Jesus traduz a sua rotina. A ausência das suas duas pernas não o atrapalha em quase nada. Ele sobe em escadas, ergue muros de tijolos, monta telhados, conserta fiações elétricas, entre outros serviços com uma naturalidade que poucos conseguem.

Jesus não utiliza cadeiras de rodas nem é adepto a muitos apetrechos para melhorar sua vida. Prefere caminhar com as mãos no chão e se locomover totalmente com a força de seus dois braços.

São as mãos também as responsáveis por dirigir o carro adaptado. “Esse é automático. Uma beleza. Mas há anos eu dirigia uma kombi só com as mãos. Eu mesmo desenvolvi um sistema para dirigí-la”, relembra.

Além da força de vontade de não desanimar na criação dos filhos, o mestre de obras garante que a religião também foi seu ‘muro de arrimo’ para não deixar o desâmimo chegar. “Vou continuar trabalhando, de sol a sol, até quando Deus me permitir. Só peço paz e saúde para continuar vivendo minha vida, normal, tranquila e com o sorriso no rosto”, brinca.

 

Fonte: Tribuna de Araraquara

0 Comments

Cachorro fiel acompanha garoto autista de nove anos ao hospital e deita do seu lado para o confortar

Cachorro na cama junto com o menino.
Cachorro na cama junto com o menino.

James Isaac é um menino neozelandês de 9 anos. Por ser autista, ele tem dificuldades para estar em locais com muita gente, ficando muito ansioso, e diversas vezes saindo correndo dos pais. Mas a vida dele mudou com a companhia do labrador Mahe.

 

Há dois anos e meio a família de James recebeu o cachorro, que passou por um treinamento de seis meses para ser um assistente de autistas. Desde então, segundoMichelle Issac, a mãe do garoto, muita coisa melhorou. Agora eles conseguem ir a lugares movimentados, como cafeterias, sem tantas preocupações.

 

Mas a amizade dos dois vai além, e é tão intensa que Mahe faz questão de ficar ao lado do menino mesmo quando ele precisa fazer exames no hospital. Em uma das últimas visitas, o cão ficou na cama de James, e, segundo Michelle, esteve o tempo todo com um olhar preocupado enquanto o garoto era anestesiado.

Quando eles saem juntos, uma espécie de coleira liga os dois. Mahe é treinado para não deixar o companheiro ir muito longe. Se ele tenta correr em direção a algum lugar perigoso, o cão senta e evita o risco.

Wendy Isaacs, fundador da instituição onde Mahe e outros cães são treinados, conta que é impressionante a relação entre os cães e as crianças autistas. “É uma conexão mágica, eles simplesmente acalmam os garotos. As crianças mantêm contato visual com os animais, algo que muitas vezes não acontece nem com seus parentes”.

 

 

Fonte: Hypeness

Read More 0 Comments

‘Sempre fui a amiga, nunca a amante’: por que o tema sexo e deficiência ainda é tabu

Comediante com microfone na mão.
Comediante com microfone na mão.

Comediante com distrofia muscular ouve pessoas com deficiência sobre o difícil caminho para conseguir ter uma vida sexual satisfatória.

 

A vida sexual de pessoas com deficiência é um tema que vem sendo tratado cada vez menos como tabu. Para a comediante Romina Puma, que tem distrofia muscular, todos têm direito ao sexo e essa questão não pode ser ignorada:

Há dez anos, fui diagnosticada com distrofia muscular. Eu tinha 29 anos e minha vida era bem normal. Como muitas mulheres, eu gostava de sair para conhecer novos rapazes e tive vários namorados.

Mas à medida que minha condição foi piorando e eu comecei a usar cadeira de rodas, as pessoas pararam de me ver da mesma forma.

Isso não significa que ter uma vida sexual não seja importante, ou que minhas partes íntimas não funcionem corretamente. Mas a maioria dos homens que conheço não conseguem ver além da cadeira, e trocas normalmente não passam de olhares de simpatia.

Fui conhecer Shital, uma psicóloga especializada em trabalhar com deficiência e doenças crônicas. Ela nasceu com fibromatose hialina juvenil – uma condição genética rara que provoca o crescimento de tumores pelo corpo como resultado de traumas e, muitas vezes, leva a deficiências físicas graves.00

Isso significa que quando ela estava crescendo, suas amigas estavam fazendo sexo e ela se sentia “feia e indesejável”.

“Eu tinha os mesmos pensamentos e necessidades que meus amigos, mas nossas experiências não eram exatamente as mesmas – eu sempre era a ‘amiga’, nunca a ‘amante'”, explica.

“Eu sabia como sexo funcionava, e sabia que eu queria isso um dia, mas não achei que conseguiria. Era uma vida muito solitária e me tornei muito isolada. Quanto pior eu ficava, mais eu perdia contato com meu grupo social dos 20 anos.”

Shital começou a procurar um relacionamento online, mas teve experiências ruins. “A primeira pergunta que alguns homens perguntavam era ‘Você consegue fazer sexo?’. Eu respondia: ‘Bom, agora você nunca vai descobrir’.”

Preocupações com a aparência também afetavam sua capacidade de conhecer pessoas. “Toda minha vida convivi com pessoas apontando, me encarando, me chamando de coisas como ‘mulher elefante’. Isso destruiu minha confiança – se você não tem confiança, como vai ter uma relação sexual?”

Mas com a ajuda do Outsiders Club – um grupo de amizades e namoros para pessoas com deficiência – ela conheceu Jamie, que também tem deficiência, e os dois estão juntos há nove anos.

“Quando ficamos juntos e desenvolvemos a nossa relação, ganhamos segurança sexual juntos”, explica.

“Eu jamais vou conseguir fazer todas as posições do Kama Sutra”, brinca, “mas quem vai? Isso (sexo) é intimidade, não ginástica.”

 

Fonte:  G1

1 Comments

Evento recebe a maior Confraternização de surdos da América Latina

Pessoas durante o evento sentadas e com camisetas amarelas.
Pessoas durante o evento sentadas e com camisetas amarelas.

 

No último dia 20 (sábado), o parque Burle Marx, zona oeste de São Paulo, foi palco da maior confraternização de surdos da América Latina. Pessoas com deficiência auditiva de todo o Brasil se reuniram para o lançamento de uma tecnologia em implantes cocleares, e tiveram a oportunidade de trocar informações sobre o assunto.

Alexandra Mottola Tavares, dentista, foi uma das 600 pessoas que compareceram na festa, ela afirma, em entrevista à Folha, que foi ao encontro para tirar dúvidas em relação ao procedimento do implante, mas que estava saindo de lá mais segura.

O implante coclear divide opiniões entre especialistas e até a comunidade surda. Há quem defenda que métodos menos invasivos devem ser testados antes de realizar o procedimento. Porém, existem resultados muito promissores com o implante. A primeira criança bi implantada (com o dispositivo nas duas cócleas) do país estava presente no evento, Diego Martins Silva, de seis anos, afirma que, hoje, consegue ouvir perfeitamente.

Fonte: Folha

 

 

0 Comments

Mãe luta para retirar da rede, memes de seu filho com deficiência

Imagem da criança sentada na grama.
Imagem da criança sentada na grama.

 

 

 

Nas redes sociais as pessoas não perdoam, fazem piadas, debocham, criticam sem o menor senso de responsabilidade com o que é dito, e pior, esbanjam, por vezes, um turbilhão de palavras de ódio e preconceito.

Inúmeros casos assim são vistos na internet todos os dias. A australiana AliceAnn Meyer sentiu na pele essa hostilidade ao postar uma foto de seu filho, Jameson, que nasceu com uma síndrome que provoca a fusão prematura do crânio. Cruelmente, fizeram memes comparando a imagem do garoto a um cachorro da raça Pug.

Meyer, entristecida com o ocorrido, pede às pessoas que têm acesso ao post de seu filho que denunciem o uso indevido da imagem da criança, e afirma que continuará lutando por respeito às diferenças.

 

Fonte: Hypeness

1 Comments

7 ações para aprimorar a inclusão de PCD's na sua empresa 

Fonte: Catho

0 Comments

Como proceder com a contratação de pessoas com deficiência na empresa ?

Lei Nº 8.213, de 24 de julho de 1991, conhecida como Lei das Cotas, determina que todas as empresas do setor privado com mais de cem colaboradores são obrigadas a preencher entre dois a cinco por cento de seus quadros de funcionários com profissionais com algum tipo de deficiência ou com beneficiários reabilitados.

Porém, independentemente da obrigatoriedade, é importante salientar que esse processo de inclusão produz uma série de impactos sociais e econômicos. Para as pessoas com deficiência, a oportunidade de atuar no mercado de trabalho traz independência e reconhecimento. Para as empresas, há um ganho em relação à humanização da gestão, eliminando preconceitos e paradigmas ultrapassados. Do ponto de vista econômico, o processo de inclusão também é favorável, pois estimula a economia do país, já que mais pessoas estão exercendo atividades remuneradas.

Entretanto, é preciso atentar para alguns detalhes relacionados à contratação de PcDs. Saiba quais são as principais recomendações.

O processo de recrutamento e seleção

Para a seleção de PcD, é preciso ter em mente que as exigências a serem feitas devem estar adequadas às restrições que caracterizam os profissionais com deficiência, de modo a garantir um processo coerente e justo. Assim, o perfil ideal para a vaga deve considerar as possíveis limitações que se enquadram à função, sem prejuízo das tarefas diárias.

Os cuidados com a acessibilidade

Ao definir a contratação de PcD é preciso também cuidar de quesitos fundamentais à acessibilidade, promovendo mudanças na infraestrutura das empresas de modo que os espaços sejam adequados ao trabalho e ao deslocamento dos profissionais, garantindo segurança e autonomia. Nesse sentido é importante incluir ambientes adaptados, móveis planejados, pisos táteis, rampas, sinalizações e informações em braile, dentre outros itens.

A exigência de experiência e escolaridade

Muitos profissionais com deficiência não tiveram oportunidades no mercado de trabalho antes da Lei das Cotas, por isso as empresas não devem exigir experiência anterior dos candidatos. Porém, quando essa experiência for efetivamente necessária ao desempenho da função, cabe à própria empresa oferecer treinamentos e qualificação para que esse colaborador possa adquirir os conhecimentos indispensáveis.

O mesmo acontece com a questão da escolaridade, já que várias pessoas não tiveram condições de frequentar cursos regulares, mas tornaram-se autodidatas. Assim, o recrutador deve providenciar a aplicação de testes práticos e de aptidão, a fim de comprovar o conhecimento sobre determinado tema.

A realização da entrevista

Para a entrevista, é preciso utilizar instrumentos apropriados ao tipo de deficiência de cada candidato, como contar com a presença de um intérprete de sinais, no caso de pessoas surdas. Mas as questões devem ser feitas de forma natural, de modo a evidenciar todas as potencialidades do profissional, bem como suas limitações e necessidades.

As regras trabalhistas

Para a contratação de PcD, não há regras especiais quanto ao contrato de trabalho e à assinatura da CTPS, sendo que todas as normas da CLT devem ser cumpridas. Também não existe diferenciação quanto à remuneração desse profissional, que deve ser idêntica aos demais colaboradores que exercem as mesmas tarefas. Entretanto, os profissionais com deficiência podem ter um horário flexível e reduzido, com proporcionalidade de salário, em razão de necessidades específicas de locomoção ou de tratamentos médicos, por exemplo.

A integração dos profissionais com deficiência

É fundamental que a empresa atente para o acompanhamento do profissional com deficiência, garantindo a integração desse colaborador à nova equipe e às rotinas de trabalho. Para tanto, alguns aspectos relacionados ao estilo de gestão devem ser reforçados e o gestor precisa atuar de forma mais próxima, orientando, auxiliando e esclarecendo dúvidas. É preciso também contar com práticas que fomentem uma cultura de igualdade e respeito, sensibilizando a todos, eliminando estereótipos e qualquer tipo de discriminação.

Fonte: Catho

0 Comments

Recursos são fundamentais para garantir o direito das pessoas com deficiência

Cadeirante feliz de braços abertos
Cadeirante feliz de braços abertos

No último dia 3 de janeiro, entrou em vigor a Lei 13.146, que instituiu o Estatuto da Pessoa com Deficiência[1] e trouxe importantes inovações para assegurar os direitos dessas pessoas que merecem especial atenção, e no mais das vezes ficam esquecidas, só delas se lembrando aqueles de alguma forma são afetados por alguma restrição, ainda que temporariamente.

Se no dia a dia enfrentamos dificuldades de diversas naturezas para as mais simples tarefas, como se vestir, alimentar, transportar, trabalhar etc., basta uma lesão, fraturando uma perna ou um braço, para vermos essas dificuldades se tornarem um transtorno por vezes até intransponível. E pessoas com deficiências permanentes enfrentam-nas cotidianamente, exigindo uma superação que poucos enxergam e valorizam.

Nada mais justo que o Estado dê atenção a essa situação e atue para mitigar todos esses obstáculos, proporcionando a todos mais conforto e igualdade de oportunidades e permitindo que possam se integrar perfeitamente à vida social e serem tão ou mais produtivos que os demais em seu trabalho. Decorrência natural do princípio da igualdade, como proteção da cidadania e da dignidade da pessoa humana, eliminando as desigualdades sociais das pessoas com deficiência, uma descriminação permitida ante a necessidade de desigualar em busca dessa igualdade[2].

Isso exige, no mais das vezes, a implementação de políticas públicas que, para se tornarem efetivas, dependem de recursos, tornando o aspecto financeiro, como ocorre na maior parte das vezes, um dos mais — se não o mais — importantes, e que costuma ser negligenciado, comprometendo os direitos que a nova lei pretende assegurar. E justifica chamar a atenção para esse aspecto, que é o que se pretende fazer neste espaço.

Como muitas outras, as políticas públicas voltadas a assegurar o efetivo exercício dos direitos às pessoas com deficiência, e que dependem de ações governamentais que importam em gastos públicos, são bastante complexas e requerem uma elaboração e execução bem estruturada e coordenada pelo poder público, a fim de que produzam bons resultados sem desperdício de recursos.

A Constituição estabelece ser “competência comum da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios cuidar da saúde e assistência pública, da proteção e garantia das pessoas portadoras de deficiência” (artigo 23, II), tornando todos os entes federados responsáveis, devendo fazer valer nosso federalismo cooperativo, com ações conjuntas e coordenadas voltadas a atingir os objetivos que são comuns.

Às pessoas com deficiência deve-se assegurar o “direito à inclusão social”, cujo conteúdo compreende uma gama de outros direitos, entre os quais o direito à saúde, ao trabalho, ao transporte, à vida familiar, à educação, à acessibilidade e à igualdade[3]. Vários dos quais, como se pode à primeira vista constatar, dependem de prestações positivas do Estado para que se concretizem.

Observando-se o estatuto já mencionado, vê-se haver capítulos destinados a cada um dos aspectos em que se desdobram os vários direitos da pessoa com deficiência, a saber: vida (capítulo 1, artigos 10 a 13), habilitação e reabilitação (artigos 14 a 17), saúde (artigos 18 a 26), educação (artigos 27 a 30), moradia (artigos 31 a 33), trabalho (artigos 34 a 38), assistência social (artigos 39 e 40), previdência social (artigo 41), cultura, esporte, turismo e lazer (artigos 42 a 45) e transporte e mobilidade (artigos 46 a 52).

Fica claro que os direitos das pessoas com deficiência abrangem várias áreas de atuação do setor público, desde a assistência e previdência social, que lhes asseguram benefícios financeiros, passando por educação, saúde, segurança, transporte e tantos outros, sem esquecer da infraestrutura, que deve sempre se adaptar para atender suas condições particulares.

O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência — Plano Viver Sem Limite, instituído pelo Decreto federal 7612, de 2011, já à época evidenciava com clareza que esses direitos serão assegurados com a colaboração de todos os entes federados (artigo 1º, parágrafo único, 9º, 10 e 11), abrangendo várias áreas e órgãos governamentais (artigos 4º, 6º e 12).

O que permite constatar não serem poucos os recursos indispensáveis para que os direitos sejam efetivamente implantados e que precisam de uma gestão cooperativa e compartilhada entre entes federados, órgãos e instituições, públicas e privadas.

No âmbito da assistência social, destaca-se a garantia de um salário mínimo, benefício de prestação continuada previsto no artigo 20 da Loas[4]. O novo estatuto prevê também o auxílio-inclusão, destinado às pessoas com deficiência moderada ou grave (Estatuto da Pessoa com Deficiência — EPD, artigo 94).

É amplo o leque no que tange ao direito à saúde, sendo-lhes assegurada atenção integral pelo SUS, extensivo às instituições privadas que dele participem de forma complementar ou recebam recursos públicos (EPD, artigo 18). O Estatuto da Criança e Adolescente (Lei 8.069, de 1990), em seus artigos 11, parágrafos 1º e 2º, também é expresso ao garantir atendimento especializado pelo SUS à criança e ao adolescente portador de deficiência, incumbindo ao poder público fornecer-lhes gratuitamente medicamentos, próteses e outros recursos que forem necessários ao tratamento, habilitação ou reabilitação.

No aspecto educacional, além dos direitos que contemplam todos os cidadãos, incumbe ao poder público implementar sistema educacional inclusivo, garantindo-lhes condições de acessibilidade, atendimento educacional especializado[5] e oferta de educação bilíngue, tendo Libras (Língua Brasileira de Sinais) como primeira língua (EPD, artigos 27 e 28).

A Constituição é expressa ao consagrar vários desses direitos, consoante dispõe o artigo 227, parágrafo 1º, II, ao estabelecer que o Estado deve promover “a criação de programas de prevenção e atendimento especializado para as pessoas portadoras de deficiência física, sensorial ou mental, bem como de integração social do adolescente e do jovem portador de deficiência, mediante o treinamento para o trabalho e a convivência, e a facilitação do acesso aos bens e serviços coletivos, com a eliminação de obstáculos arquitetônicos e de todas as formas de discriminação”.

A infraestrutura merece especial atenção, especialmente pela necessidade de que atenda à acessibilidade e mobilidade das pessoas com deficiência, e não foi esquecida pela Constituição, que no artigo 227, parágrafo 2º, previu lei para dispor sobre normas de construção e adaptação de logradouros e dos edifícios de uso público e de fabricação de veículos de transporte coletivo, a fim de garantir acesso adequado às pessoas portadoras de deficiência (artigo 227, parágrafo 2º, e 244).

As diretrizes para o desenvolvimento urbano, incluindo habitação, saneamento básico, transporte e mobilidade urbana, devem contemplar regras de acessibilidade aos locais de uso público, por meio de programas em regime de cooperação federativa — Lei 10.257, de 2001 (Estatuto da Cidade), artigo 3º, III e IV, com redação dada pelo EPD, artigo 113 —, estando várias delas expressas e detalhadas na Lei 10.098, de 2000, que estabelece as normas gerais e critérios para a promoção de acessibilidade às pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida.

Instrumentos financeiros como os benefícios fiscais são também de grande utilidade, como as isenções de vários tributos para os portadores de deficiência, destacando-se os que incidem sobre os veículos a eles destinados.

Nota-se que as políticas públicas voltadas à proteção das pessoas com deficiência mostram-se bem mais complexas do que pode parecer à primeira vista, especialmente por envolver todos os entes da federação e, mais do que isso, vários setores da administração pública, o que exige uma cooperação não somente no âmbito federativo, mas também e principalmente de setores diversos do poder público, sem contar com a necessária colaboração entre os poderes, pois, como se pode constatar, as medidas que importam em ações efetivas voltadas à proteção das pessoas com deficiência são das mais variadas naturezas, envolvendo áreas tradicionalmente existentes nas diversas administrações públicas, como saúde, educação, infraestrutura etc.

A alocação de recursos para as políticas públicas voltadas às pessoas com deficiência reflete essa complexidade que atinge não somente o atendimento dessa demanda, mas também muitas outras, sendo relevante mostrar as dificuldades encontradas para que se destinem recursos públicos para fazer valer os direitos, que, como se vê, tem custos.

Os direitos de pessoas com deficiência foram contemplados no Plano Plurianual (PPA) 2012-2015 da administração pública federal, programa 2063, tendo sido destinado valor ínfimo, menos de R$ 80 mil para o período de quatro anos, verdadeiramente simbólico (R$ 79.011). O valor aumentou significativamente no projeto de PPA 2016-2019, que prevê o montante de R$ 1.514.434, para o mesmo programa, que foi mantido (2063 — Promoção e Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência), e desdobra-se em dois objetivos (0442 — promover a efetivação dos direitos das pessoas com deficiência e sua igualdade de oportunidades, por meio do fomento a sua autonomia, independência e segurança; e 0736 — promover a acessibilidade e a equiparação de oportunidades para pessoas com deficiência em todas as áreas da vida em sociedade), cada um com as respectivas metas, iniciativas e órgãos responsáveis.

Vê-se, pela identificação dos vários órgãos responsáveis, a necessidade de cooperação entre os diversos setores da administração, como já ressaltado. Embora as principais ações governamentais tenham como órgão responsável a Secretaria de Direitos Humanos[6], também encontramos o Ministério da Educação, o Ministério do Trabalho e Emprego, o Ministério da Cultura, o Ministério das Cidades e o Ministério do Turismo. E isso apenas nesse programa, que é diretamente ligado a atender os direitos das pessoas com deficiência, mas não o único, já que muitos desses direitos são, ainda que indiretamente, atendidos em outros programas. Os benefícios assistenciais para pessoas com deficiência, por exemplo, são contemplados em dotações do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; os benefícios previdenciários, no Ministério da Previdência Social; e assim muitos outros.

Alguns entes da federação criam órgãos próprios para atender os direitos das pessoas com deficiência, como é o caso do estado de São Paulo, que tem a Secretaria de Estado dos Direitos das Pessoas com Deficiência, cuja dotação prevista para 2016 é da ordem de R$ 70 milhões[7]. Mesmo assim, não é o único órgão no Estado que cuida do assunto, que tem natureza claramente intersetorial. É o caso, por exemplo, da Delegacia de Polícia das Pessoas com Deficiência, que integra a Secretaria da Segurança Pública, havendo, portanto, recursos alocados em outros órgãos. Há ainda programas orçamentários em outras unidades, como a ação Esporte e lazer para pessoas com deficiência, da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude[8], a ação Apoio à pessoa com deficiência, da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho[9], além de outras. No município de São Paulo, há a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida; outros entes da federação também contemplam órgãos específicos, como o município do Rio de Janeiro (Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência).

É interessante notar como o poder público vem tratando essa questão sob o ponto de vista administrativo e financeiro, o que permite analisar se está sendo adequado para atender as políticas públicas para esta finalidade, e eventualmente aperfeiçoar-se.

Leis não faltam para tornam claros os direitos das pessoas com deficiência, e o novo Estatuto vem em boa hora para sistematizá-los e reforçá-los, e não deixar dúvidas quanto à importância e necessidade de que sejam respeitados e — o que é fundamental — efetivamente implantados pelo poder público.

O importante é ficar atento. Sem recursos, dificilmente boa parte dos direitos das pessoas com deficiência se tornará realidade. A lei foi publicada, entrou em vigor, e sua aplicação precisa ser eficiente.


[1] Também denominada de Lei da Inclusão, publicada dia 6 de julho de 2015, com 180 dias de vacatio legis.
[2] Nesse sentido, Denise JUNQUEIRA, A responsabilidade do Poder Judiciário frente à política de inserção do deficiente no mercado de trabalho: o direito constitucional como pano de fundo para a implementação dos direitos sociais, in Revista de Direito Brasileira – RDB, a. 4, v. 7, jan-abr 2014, p. 105.
[3] Nesse sentido, ARAÚJO, Luiz Alberto David, A proteção constitucional das pessoas com deficiência, 4ª. ed., Brasília, Ministério da Justiça, 2011, pp. 49 e seguintes.
[4] Lei Orgânica da Assistência Social — Lei 8742/1993.
[5] Como determina o artigo 208, III da Constituição.
[6] Que é diretamente vinculado à Presidência da República. E, integrando a Secretaria de Direitos Humanos, está a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, que cuida das políticas públicas específicas do setor.
[7] Órgão 47000, Orçamento para 2016, Lei estadual 16083, de 28.12.2015, dotação de R$ 67.682.512.
[8] Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude (Órgão 41000), Programa São Paulo Mais Esporte e Lazer (4109), Ação Esporte e lazer para pessoas com deficiência (27.812.4109.5117).
[9] Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (Órgão 23000), Programa Oportunidades para inserção no mercado de trabalho (2309), ação Apoio à Pessoa com Deficiência (11.331.2309.6108).: 

 

Fonte: Texto extraído de Consultor Jurídico, por José Mauricio Conti

0 Comments

A importância do RH na inclusão de profissionais com deficiência

Dois cadeirantes sentados à mesa trabalhando.
Dois cadeirantes sentados à mesa trabalhando.

Existem dois conceitos similares, mas que não devem ser confundidos: a inclusão e a integração. A partir da década de 80, o termo integração começou a ser questionado. Integração transmite a ideia de que decidir quem pode frequentar espaços públicos, trabalhar e estudar é uma questão de opinião individual e de cada instituição. O modelo integrativo não é justo com aqueles que não estão capacitados para se inserirem nos modelos sociais tradicionais, como as pessoas com deficiência que não falam ou que não andam, por exemplo.

Já a inclusão estabelece que todos os seres humanos podem participar do corpo social, afinal, todos são singulares e distintos um dos outros. O modelo inclusivo propõe que a comunidade se modifique e se adapte para incorporar o indivíduo com deficiência e não o contrário.

Você trabalha com gestão de pessoas? Assumiu a responsabilidade de cuidar de boas contratações? Conheça e reflita sobre a importância do RH na inclusão de pessoas com deficiência!

Os dois principais mitos

  • A falta de competência

Montar programas para que uma nova cultura de respeito seja integrada à rotina e à filosofia das organizações é fundamental. Há uma crença de que profissionais com deficiência não sejam competentes o suficiente para trabalharem dentro de uma empresa.

Mas essa teoria não se aplica. Há muitas pessoas com deficiência que possuem, inclusive, pós-graduação e mestrado e são, sim, muito qualificadas. O modelo corporativo precisa ser mais tolerante para erradicar o preconceito com profissionais com deficiência.

  • O fim do benefício de prestação continuada

Muitas pessoas com deficiência acreditam que, ao começarem a trabalhar, não terão mais direito ao Benefício de Prestação Continuada (BPC) — benefício da Política de Assistência Social que garante um salário-mínimo à pessoa com deficiência. Essa informação também não é verdadeira, pois esse benefício é apenas suspenso nessa situação.

O que o RH pode fazer para que os PcD sejam incluídos

O papel do profissional de RH é essencial para que os PcD sejam incluídos com sucesso em uma corporação. No entanto, ainda falta conhecimento de questões fundamentais. A Catho fez uma pesquisa, juntamente com a ABRH, e chegou ao resultado de que, dentre 3.000 profissionais, apenas 35% conheciam a lei de inclusão.

Essa norma brasileira se chama Lei de Cotas (artigo 93 da Lei nº 8.213/91), e ela diz que toda corporação com mais de 100 funcionários deve ter a porcentagem de 2% a 5% de colaboradores com deficiência. Com esse resultado, percebe-se a importância dos profissionais de RH se informarem sobre esses aspectos legislativos.

A desmistificação e a responsabilidade social

Mas todo esse processo está muito mais ligado à responsabilidade social do que a uma mera questão de cumprir a lei. A inclusão deve ser vista como um estímulo — não como um obstáculo — e pode ocasionar várias consequências positivas para um estabelecimento.

As pessoas com deficiência precisam dessa oportunidade para se estabelecerem na sociedade de maneira respeitável, além da chance de se comunicarem regularmente com outros especialistas da área na qual estão inseridas.

Além de tudo isso, essa desmistificação ainda aquece a economia nacional, já que mais cidadãos contratados significa mais cidadãos com poder de consumo. Com todas essas posturas, o que se espera é que o mundo empresarial passe a ser um lugar muito mais igualitário, harmonioso e justo.

 

Fonte: Catho

0 Comments

Reabilitação profissional e inclusão de PCD nas empresas 

A implantação de um programa de inclusão da pessoa com deficiência é um desafio para qualquer empresa. Muitas são as dúvidas que surgem a respeito da questão e, mesmo após a criação da Lei de Cotas, criada em 1991 em acordo com o Ministério do Trabalho, os profissionais de RH ainda encontram dificuldades de empregar PcDs, e muitos profissionais com deficiência têm dificuldades de encontrar oportunidades no mercado.

Segundo a Lei, toda empresa com 100 ou mais funcionários deve destinar de 2% a 5% (dependendo do total de empregados) dos postos de trabalho a pessoas com alguma deficiência, de forma a viabilizar o acesso desses profissionais ao trabalho. Com o mesmo intuito, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) oferece aos segurados incapacitados para o trabalho, por motivo de doença ou acidente, a Reabilitação Profissional.

Confira a entrevista com Katia Luzia de Camargo Jesus, analista do Seguro Social e terapeuta ocupacional de reabilitação profissional do INSS/GEX Osasco, na Grande São Paulo, e entenda o processo e as vantagens de contratar profissionais que estão no programa de reabilitação.

Carreira & Sucesso – O que é o programa de reabilitação profissional do INSS?

Katia Jesus – O Programa de RP é a assistência educativa ou reeducativa e de adaptação ou readaptação profissional, instituída sob a denominação genérica de habilitação e reabilitação profissional, visando proporcionar aos beneficiários incapacitados parcial ou totalmente para o trabalho, em caráter obrigatório, independente de carência, e às “pessoas com deficiência”, os meios indicados para o reingresso no mercado de trabalho e no contexto em que vivem (art. 89 da Lei 8213/91 e art. 136, do Decreto nº 3.048/99)

C&S – Quais beneficiários têm direito ao programa?

KJ – Define-se por clientela a ser encaminhada à Reabilitação Profissional, por ordem de prioridade, segundo a Resolução 118/INSS/PRES, 04/11/2010:

a) O segurado em gozo de auxílio-doença, acidentária ou previdenciárias;
b) O segurado sem carência para auxílio-doença previdenciário, portador de incapacidade;
c) O segurado em gozo de aposentadoria por invalidez;
d) O segurado em gozo de aposentadoria especial, por tempo de contribuição ou idade que, em atividade laborativa, tenha reduzido sua capacidade funcional , em decorrência de doença ou acidente de qualquer natureza ou causa;
e) O dependente do segurado;
f) as pessoas com deficiência – PcD; Lembrando que a prioridade de atendimento é para os segurados em gozo de auxílio-doença, acidentária ou previdenciária, sendo que o atendimento dos demais ficará a critério da disponibilidade de atendimento das equipes técnicas de RP.

C&S – Quais são as principais etapas de seleção para que o trabalhador seja eletivo à reabilitação?

KJ – Os segurados em gozo de auxílio-doença, deverão serem encaminhados pela perícia médica e que se enquadrem nas seguintes situações:

a) escolaridade a partir do nível fundamental, mesmo que incompleto;
b) condições adequadas de aprendizagem;
c) quadro clínico estabilizado. Lembrando que o encaminhamento para o Serviço de RP, deve ocorrer de forma mais precoce possível, considerando que quanto mais cedo o encaminhamento maior a possibilidade de êxito no retorno ao mercado de trabalho.

C&S – E como é feito, na prática, o processo de reabilitação profissional?

KJ – Após o encaminhamento pela perícia médica, o segurado realiza o agendamento para avaliação com a equipe de RP. A avaliação é feita em conjunto médico perito e técnico da RP, que pode ser um Assistente Social ou um Terapeuta Ocupacional, ou qualquer profissional da área que compõe o quadro de servidores do INSS, normalmente as equipes são multiprofissionais.

Concluída essa fase, é definido se o segurado tem perfil para cumprir o programa ou não, caso positivo e ele esteja vinculado em uma empresa, o técnico responsável pelo caso inicia as tratativas com a empresa de vínculo para a escolha de uma nova função compatível ao atual quadro clínico do segurado, realizada a mesma, o segurado é encaminhado para um período de treinamento prático na nova função em sua empresa de vínculo sob a supervisão da empresa e do INSS, concluída essa fase, o segurado retorna para a equipe com uma avaliação formal da empresa, sobre seu desempenho durante o treinamento.

Caso o segurado tenha cumprido com êxito o Programa, o mesmo é certificado pela equipe e encerrado seu benefício para que retorne ao trabalho em função compatível, a partir desse momento o mesmo passa a fazer parte da “Lei de Cotas”. Caso o mesmo não tenha vínculo em empresa, após a avaliação, o segurado tendo perfil para o programa, será encaminhado para curso de qualificação profissional, sendo também certificado, ao final do programa, o certificado de Reabilitação Profissional.

C&S – Quais resultados a reabilitação profissional proporciona ao trabalhador?

KJ – A oportunidade de ser qualificado em outra função e ou área profissional, retornando ao mercado de trabalho, podendo fazer parte da “Lei de Cotas”.

C&S – Ela garante estabilidade profissional ao reabilitado?

KJ – Segundo a Lei 8.213/91, em seu art. 93, § 1º A dispensa de trabalhador reabilitado ou de deficiente habilitado ao final de contrato por prazo determinado de mais de 90 (noventa) dias, e a imotivada, no contrato por prazo indeterminado, só poderá ocorrer após a contratação de substituto de condição semelhante.

Portanto Reabilitação Profissional não é garantia de estabilidade, porém o segurado passa a fazer parte da “Lei de Cotas”, tendo oportunidade de concorrer no mercado de trabalho, sendo amparado pela Lei. Segundo o Decreto 3048/99, em seu art. 140, §1º “Não constitui obrigação da Previdência Social a manutenção do segurado no mesmo emprego ou sua colocação em outro para o qual foi reabilitado”.

Isso significa que a Reabilitação Profissional deve qualificar e preparar o segurado para retornar ao mercado de trabalho, porém não é responsável em garantir vaga de emprego, porém isso não impede, claro, que sejam realizados esforços, quando possíveis, no sentido de promover ou facilitar esse retorno ao mercado de trabalho.

C&S – Quais são os direitos do trabalhador após a reabilitação?

KJ – Os mesmos direitos trabalhistas que os trabalhadores CLT apresentam.

C&S – Por fim, o que as empresas e os trabalhadores podem fazer para evitar acidentes de trabalho e/ou doenças decorrentes das atividades exercidas?

KJ – Em linhas gerais, acredito que isso deve ser um esforço conjunto, tanto da empresa quanto dos funcionários em respeitar as Normas Técnicas de Saúde e Segurança no trabalho. A empresa poderá desenvolver ações educativas estimulando uma cultura de saúde e segurança no trabalho. O governo também tem um papel importante, devendo promover ações não só de assistência mas de promoção e prevenção na saúde do trabalhador. E todos devem observar e seguir a legislação trabalhista vigente.

 

Fonte: Catho

0 Comments

Estudante com doença crônica para em vaga preferencial e acha bilhete: "Ser gorda e feia não é deficiência"

Na imagem estudante à esquerda ao lado bilhete deixado.
Na imagem estudante à esquerda ao lado bilhete deixado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sarah Metcalfe, que sofre de fibromialgia, resolveu publicar o bilhete e uma resposta no seu perfil no Facebook; mensagem já foi compartilhada mais de 3 mil vezes.

 

Uma estudante de doutorado na Universidade de York, na Inglaterra, tomou um susto ao retornar ao carro que havia estacionado numa vaga preferencial. Preso ao para-brisa, Sarah Metcalfe encontrou um bilhete que dizia: “Ser gorda e feia não é deficiência. Estacione em outro lugar.”

Sarah, que tem 35 anos e sofre de fibromialgia, doença crônica que provoca dores difusas pelo corpo, fadiga e rigidez muscular, resolveu, então, publicar o bilhete no seu perfil no Facebook, junto a uma carta aberta à pessoa que deixou o bilhete.

“Querido cliente da loja Tesco de York que estava no estacionamento aproximadamente às 18h do dia 30 de abril de 2015 e decidiu deixar esse bilhete super ofensivo em meu carro”, escreveu a estudante, que estava com o filho de 13 anos quando encontrou a nota no estacionamento da loja, segundo o diário inglês Metro.

No texto, Sarah explica que, apesar de não parecer doente –“na verdade eu prefiro sorrir a chorar”- ela sofre de uma doença crônica que provoca dor e fadiga por todo corpo e cita uma lista de sintomas, que incluem maior sensibilidade à dor, dificuldade de dormir até ansiedade e depressão.

Em seguida, a doutoranda diz que apesar de trabalhar muito, nunca tira licenças por conta da doença e em ter usado os benefícios de aposentadoria para pessoas com deficiência, ela tinha tido “um dia especialmente ruim e com muitas dores”.

“Por favor não seja tão rápido em julgar as aparências. Temo que um dia você possa dizer o mesmo para outra pessoa que pode estar realmente mal e isso ser a gota d’água. Por sorte, sou bem resolvida e sei que as aparências podem ser enganosas para pessoas que não sabem essas coisas. Mas só queria dizer que, se você estiver lendo isso, é melhor ser gentil do que odiar –sinceramente, você nunca sabe que tipo de dia a outra pessoa teve e quais serão as consequências dos seus atos. Obrigado”, escreveu a inglesa.

Publicada no mesmo dia em que encontrou o bilhete, a “carta aberta” de Sarah recebeu centenas de comentários e foi compartilhada mais de 3 mil vezes na rede social. A estudante espera que o post tenha chegado ao destinatário e que a repercussão ajude outras pessoas a entenderem que nem todas as deficiências são visíveis.

“Eu já sofri com distúrbios alimentares e baixa autoestima no passado e esse bilhete poderia realmente ter me levado ao limite, por isso me senti tão mal e decidi espalhar um pouco de consciência sobre isso”, disse ela ao Metro.

Fonte: Revista Marie Claire

 

 

1 Comments

Implante espinhal pode fazer pessoas com paralisia voltarem a andar 

Na imagem: E-Dura: implante estimula nervos responsáveis pelo movimento das pernas
Na imagem: E-Dura: implante estimula nervos responsáveis pelo movimento das pernas

 

 

 

 

 



   

   Ratos com diversos danos na espinha dorsal conseguiram voltar a andar por meio de um implante, indicando um novo tratamento para pessoas com paralisia.Um grupo de cientistas franceses criou uma fita protética, equipada com eletrodos e esticada ao longo da medula espinhal.

   A prótese é maleável e consegue se adequar aos tecidos que revestem a espinha dorsal, evitando desconforto ao paciente.
Ratos com paralisia que receberam o implante foram capazes de andar sozinhos após algumas semanas de treinamento.

  Os pesquisadores da Ecole Polytechinque Fédérale de Lausanne, na França, acreditam que o aparelho pode durar 10 anos em humanos, antes de precisar ser trocado.
O implante, chamado de “e-Dura”, é eficiente pois imita o tecido mole que fica ao redor da espinha (o dura-máter), de forma que o organismo não rejeita sua presença.

“Nosso implante e-Dura pode permanecer por um longo período de tempo na medula espinhal ou cortex”, afirma o professor Stéphanie Lacour, que participa do projeto.

“Isso abre novas possibilidades terapêuticas para pacientes que sofrem de traumas ou distúrbios neurológicos, especialmente indivíduos que ficaram paralisados após sofrerem danos na espinha”, diz Lacour.

Maleabilidade – Experimentos anteriores mostraram que eletrodos e substâncias químicas implantadas na espinha podem assumir o lugar do cérebro e estimular nervos, fazendo com que as pernas se movam involuntariamente quando acionadas.Esse é o primeiro estudo a mostrar que um simples dispositivo pode ajudar ratos a andar novamente e ser tolerado pelo organismo.

  Os cientistas tiveram problemas para encontrar um aparelho que pudesse ser inserido próximo à espinha ou cérebro.Isso porque ambos os órgãos são revestidos por um tecido que inflamar ou ser ferido pela superfície dura de implantes.O novo dispositivo, porém, é flexível o suficiente para ser inserido diretamente na medula espinhal. Ele imita as propriedades mecânicas do tecido vivo e pode fornecer impulsos elétricos e drogas que ativam as células.

  O implante é feito de silício e coberto com fios de ouro capazes de conduzir eletricidade.Os eletrodos são de platina e também podem ser entortados em qualquer direção, sem quebrar.

   O dispositivo foi testado principalmente em casos de danos na medula espinhal em ratos paralisados, mas os pesquisadores acreditam que ele poderá ser usado em pacientes com epilepsia, mal de Parkinson e com dores crônicas.Os cientistas esperam começar os testes clínicos em humanos nos próximos anos.

Fonte: Revista Exame

 

 

 

0 Comments

Casal lança canal no youtube com receitas em língua de sinais

O diretor Lucas Costa com o cachorro Bart, Débora e Felipe Dable, intérprete e cozinheiro do Chef Cenoura, respectivamente
O diretor Lucas Costa com o cachorro Bart, Débora e Felipe Dable, intérprete e cozinheiro do Chef Cenoura, respectivamente

 

 

 

 

   

   Com o intuito de reunir surdos e ouvintes no mesmo play, Débora Claudio Dable e Felipe Dable lançaram em novembro o canal Chef Cenoura no Youtube. Mas este canal tem um tempero a mais: em todos os vídeos, Débora interpreta as receitas em língua de sinais, usada por surdos e mudos, enquanto Felipe comanda o fogão. A proposta é uma versão audiovisual das receitas que eles publicam há dois anos no blog Chef Cenoura. As receitas são ovo-lacto-vegetarianas e o casal reproduz algumas já publicadas no blog e outras inéditas. A direção e captação é de Lucas Costa, amigo do casal.

“A língua brasileira de sinais (Libras) tem uma gramática diferente do português, então não é tão fácil acompanhar um vídeo com legendas para um surdo. Na minha família, sempre falamos em português e Libras ao mesmo tempo, porque minha irmã mais velha é surda profunda”, contou Débora. A ideia do canal surgiu durante um feriado, quando Débora perguntou à irmã se facilitaria para ela entender as receitas em vídeos com Libras. “Ela disse que se pudesse aprender receitas por vídeo cozinharia muito mais. Se não facilitasse para os surdos, não faríamos os vídeos neste formato”.

   O casal se conheceu na faculdade, quando ambos estudavam psicologia e moravam no Rio Grande do Sul. Naquela época, ela já falava Libras e ele já cozinhava, influenciado pela mãe, especialista em gastronomia francesa, e pelo pai, cozinheiro amador de mão cheia. Felipe se lembra de estar na cozinha desde os 15 anos, inventando almoços, lanches para os amigos, jantares.

 

   Débora se mudou para Curitiba pouco antes de Felipe. Em 2014, depois de sete anos juntos, criaram o blog para “ajudar os familiares e amigos a entenderem o que comem”. Ela é intérprete na UTFPR e professora de Libras na Universidade Positivo e ele é psicólogo e dá aulas na mesma faculdade. Com seis vídeos publicados até 15 de dezembro, o retorno tem sido positivo. “Surdos de todo o Brasil nos procuraram agradecendo. Teve uma menina ouvinte que mandou mensagem e disse que está estudando Libras e que vai aproveitar para estudar cozinha assistindo ao nosso canal”, comemora Débora.

17 Comments

A animação perfeita para entender a função do medo em nossas vidas

Como quase todo sentimento, o medo não é algo simples de se compreender.

Talvez seja por isso que vemos tanto conteúdo sobre o assunto, mas que geralmente direciona os pensamentos para um ponto: supere seus medos.

Porém, essa belíssima animação chamada “Fears” em apenas 2 minutos nos joga para um outro ponto de vista sobre os medos. E se o seu medo salvar sua vida? 

Como tudo da vida, o medo mostra-se necessário quando equilibrado. Vejam!!!

Fonte:  Awebic

 

0 Comments

Presidiários tiram fotos com os conselhos que dariam para suas versões mais jovens

Basta um erro para que toda uma vida seja destruída, para que o futuro seja confinado a uma cela de prisão. Assassinato, roubo, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro: os mais diversos crimes podem colocar você atrás das grades, provando que uma escolha errada é o suficiente para comprometer toda uma vida.

O fotógrafo Trent Bell viu isso de perto ao presenciar a condenação de um amigo próximo, pai de quatro filhos, esposo e profissional graduado, a 36 anos de cadeia. Como artista, sua reação ao refletir sobre o que aconteceu foi mergulhar no universo dos prisioneiros e das más escolhas. O resultado foi o projeto Reflect, que traz intrigantes retratos de prisioneiros mesclados com cartas escritas de próprio punho com conselhos que dariam ao seu “eu” mais jovem – seria possível evitar os escorregões que os levariam à prisão?

Trent Bell, fotógrafo que trabalha basicamente com arquitetura, retratou um grupo de prisioneiros e pediu para que escrevessem a carta. Digitalizados, os documentos foram mesclados na imagem, tornando-a ainda mais impactante.

Confira as fotos e algumas das coisas que os presidiários diriam a si mesmos:

 

 

 

 

 

“Apenas saiba que as pessoas sempre vão tentar testá-lo e que, não importa o que aconteça, apenas um homem de verdade consegue escapar disso”

Read More 0 Comments

Julian Treasure: Como falar de forma que as pessoas queiram ouvir

Você já se sentiu como se, ao falar, ninguém ouvisse? Julian Treasure está aqui para ajudar. Nessa palestra bastante útil, o especialista em sons demonstra como falar poderosamente; desde exercícios vocais até dicas de como falar com empatia. Uma palestra que pode ajudar o mundo a soar mais bonito.

Read More 0 Comments

Minha filosofia para um vida feliz

Sam Berns é um aluno júnior na High School, em Foxboro Foxboro, Massachusetts, onde ele alcançou as mais altas honras e atualmente é líder de seção da percussão na banda do segundo grau.

 

 

Recentemente, ele alcançou o posto de Eagle Scout nos Boy Scouts of America. Sam foi diagnosticado com Progeria, uma doença de rápido envelhecimento ,doença rara, com a idade de 2 anos veio o diagnóstico. Ele é destaque no documentário Vida De acordo com Sam, que fará sua estréia na HBO em 21 de outubro de 2013.

 

Read More 0 Comments

Como você se define ?

0 Comments

Garoto autista ajuda amiga engasgada com técnica vista em Bob Esponja

Foto tirada em 5 de novembro mostra Jessica Pellegrino e Brandon Williams: garoto autista ajudou amiga ao executar manobra de Heimlich quando ela se engasgava (Foto: Anthony DePrimo / The Advance via AP)
Foto tirada em 5 de novembro mostra Jessica Pellegrino e Brandon Williams: garoto autista ajudou amiga ao executar manobra de Heimlich quando ela se engasgava (Foto: Anthony DePrimo / The Advance via AP)

Brandon Williams, de 13 anos, executou a manobra de Heimlich. Técnica fez amiga expelir pedaço de maçã com o qual tinha se engasgado.

Read More 1 Comments

Formatura da turma PQi Elektro

Alunos com braços levantados e sorridentes, em frente ao prédio.
Alunos com braços levantados e sorridentes, em frente ao prédio.

 

 No último dia 27 de Novembro, foi realizada a formatura da turma PQi (Elektro) no CPqD.
  Com muita garra os alunos realizaram o curso que foi desenvolvido ao longo de 3 meses de duração, sendo frequentado de forma intensiva (todos os dias da semana), com margem de desistência praticamente nula, os alunos chegaram a reta final com sucesso total. O curso abordou diversos tópicos do universo da tecnologia, call center e administração, e hoje segundo relato dos alunos sentem que estão saindo muito mais preparados para o mercado de trabalho.
   A cerimônia foi marcada de muita emoção, com relatos dos alunos das dificuldades ultrapassadas para chegar até ali, da persistência para chegar até o final. Cada aluno recebeu na cerimônia o seu certificado com carga horária total de 240 horas do curso, a emoção ao receber o certificado era nítida. 
  A equipe do PQi que acompanharam os alunos no decorrer destes 3 meses intensos, prepararam de maneira simbólica uma performance artística representando as matérias e conteúdos abordados ao longo do curso, realizaram discursos de agradecimentos e presentearam os alunos com uma coruja em gesso, simbolo da sabedoria.
  A cerimônia foi coroada no final com a sensação de dever cumprido por todos : alunos, professores e empresa Elektro patrocinadora.

 

O alunos deram o primeiro passo para o sucesso que os aguarda de braços abertos.

 

Alunos sentados na sala de aula, e professor Antônio Marcos falando na parte da frente da sala.
Alunos sentados na sala de aula, e professor Antônio Marcos falando na parte da frente da sala.
Read More 0 Comments

Alunos do PQi visitam sede da empresa ELEKTRO

 

Além de visitar a sede, tiveram a oportunidade de passar por processo seletivo aumentando assim suas chances no mercado de trabalho.


  A empresa Elektro hoje é patrocinadora e parceira do programa PQi, seus alunos estão em uma formação continuada com títulos específicos e direcionados para o tipo de trabalho da empresa, entre eles: tecnologia, call center e administração, com uma duração de 3 meses os alunos frequentam o curso de segunda à sexta-feira no período da manhã.
    Essa parceria entre empresas tem gerado grandes possibilidades, na última quinta-feira dia 29 de Outubro os alunos do Programa PQi - Elektro visitaram a central de relacionamento da empresa Elektro em Campinas, e também participaram de um processo seletivo. Neste dia os alunos puderam conhecer as instalações internas da empresa, conheceram o histórico e tipo de trabalho executado lá pelos profissionais. Tiveram a oportunidade de ter acesso ao call center em tempo real, enquanto os atendentes executavam seus trabalhos os alunos foram acompanhando e tirando suas dúvidas, a emoção de ouvir o cliente em tempo real do outro lado da linha era grande.
    Após conhecer e visitar todos os espaços, todos os alunos passaram por um processo seletivo e aguardam com entusiasmo uma possível oportunidade de trabalho, tiveram também um treinamento de atendimento ao cliente fornecido pela própria Elektro em sua sede.
    Os alunos agora seguem na reta final do curso até o dia 27 de Novembro, onde estarão se formando e estando aptos para entrar no mercado de trabalho.


 

Read More 4 Comments

Evento Show Room (PQi São Paulo e Campinas)

Alunos do PQi 6ª edição reunidos em frente ao prédio (em pose para foto)
Alunos do PQi 6ª edição reunidos em frente ao prédio (em pose para foto)

  No dia 16 de Outubro, foi realizado pelo programa PQi o evento Show Room.

 Neste dia as cinco turmas vigentes em curso passaram um dia de muito conhecimento e troca de experiência. Estiveram presentes alunos de São Paulo e de Campinas do programa, tiveram a oportunidade de conhecer as instalações do CPqD, acesso ao Show Room que conta a história do CPqD desde a época da Telebras e as tecnologias desenvolvidas ao longo deste tempo.

  Os alunos ficaram muito encantados com tanta tecnologia e desenvolvimento feito nas instalações, em seguida tiveram um fórum de discussão feito pelos próprios alunos do programa, como também depoimentos e trocas de experiências.
  Foi apresentado para os presentes cenas da peça "Ordem Natural das Coisas", abordando diversas reflexões a respeito da vida.
  Antes de finalizar o evento, os alunos puderam ainda brincar em um ambiente totalmente preparado para eles com direito a algodão doce, balões, pula-pula, música e muita alegria!

 

Com certeza este evento ficou eternizado nos corações de todos os presentes.

 

 

Intérprete de libras conversando com deficiente auditivo em língua de sinais (alunos ao fundo)
Intérprete de libras conversando com deficiente auditivo em língua de sinais (alunos ao fundo)
Read More 0 Comments

Programa PQi realiza palestra no Aeroporto Viracopos

  Na última sexta-feira 08 de outubro, o programa PQi realizou uma palestra em Viracopos atual patrocinador do programa. O público presente foi composto pela equipe de RH e funcionários PCD's. 
  Com o tema " Pessoas especiais Geram resultados especiais", foi desenvolvido com o público assuntos de interesse prático ,mas este norteamento, foi objetivando o real conceito que temos em tecnologia da Informação e comunicação, no tocante a motivação, as oportunidades e os resultados essenciais que se espera de cada individuo de cada ser especial que somos cada um de nós.


Durante toda a palestra o envolvimento e interesse do público foi grande.


Segundo depoimento de Tatiana Thomas (Analista de Recursos Humanos de Viracopos) o resultado da palestra para com os funcionários foi de grande sucesso:

 

"A palestra superou as expectativas. Na verdade quando foi nos apresentado o tema e o conteúdo programático, imaginamos que a palestra seria mais voltada para Informática e resultados, porém o Antonio Marcos Melo trilhou para um caminho  comportamental, o que acredito ter sido muito mais importante e “tocante” aos nossos colaboradores. Sem dúvida alguma, na ocasião  eles saíram da sala melhores do que entraram.

 

Agradeço muito a seriedade, o carinho e profissionalismo de toda equipe. Estão todos de parabéns!"

 
O PQi, aceita com pronta satisfação convites para apresentar nossos temas e títulos em empresas e universidades, com objetivo de levar esclarecimentos, assuntos inovadores e o mais importante esclarecimento e inteligências a cerca do tema adversidade.


 

Read More 0 Comments

As vagas de TI vem crescendo a cada dia e as oportunidades de mercado também.

Na imagem mão pressionando ícone
Na imagem mão pressionando ícone

 

 

 

 

 

 

 

 

É possível afirmar que hoje as vendas mundiais de celulares chegam a somar 1,8 bilhões de unidades e este número promete ser ainda maior no final deste ano.O Brasil teve só no mês julho o registro de utilização de 281,5 milhões de celulares, já em relação ao mercado de smartphones, a previsão é que cresça a uma taxa anual de 38,8%, e o Android, do Google tem previsão de continuar sendo o sistema operacional mais utilizado em smartphones nos próximos quatro anos, impulsionado principalmente pelos modelos da Samsung. O sistema operacional do Google deve conquistar 61% de participação de mercado, seguido é claro pelo iOS da Apple. Devemos lembrar que existem também o BlackBerrycom crescimento de 6%  e o Windows Mobile com 5.2% previstos para até 2016. Estes números todos revelam um mercado promissor para quem quiser apostar em cursos na área de TI.Investir tempo em cursos que o coloquem neste mercado aquecido de TI que está em constante crescimento será uma grande jogada.

A carreira na área de TI como criação de softwares para dispositivos móveis, ou seja, celulares e smartphones ou tablets vem se tornando uma grande oportunidade no mercado mobile a cada ano que passa. Mas não só isso que você precisa saber, é importante revelar que existe uma procura crescente e significativa para profissionais na área de TI que desenvolvam aplicativos para smartphones, pois a procura por esta plataforma cresce a cada dia o que reflete uma busca cada vez maior por este tipo de serviço especializado. Isso por que com o crescimento dos dispositivos móveis no mercado amplia também a necessidade das empresas oferecerem facilidades e diferenciais para seus consumidores, dando cada vez mais empregos para quem faz curso na área de TI. Os profissionais de TI estão entro os mais buscados pelas empresas nos últimos anos abrindo muitas oportunidades para empregos novos e bem remunerados.

Os cursos na área de TI tem demonstrado grande importância para quem busca por um futuro promissor, o preparo para a área de informática principalmente quando se trata de dispositivos móveis, vem conquistando uma fatia enorme do mercado e absorvendo profissionais de todos os tipos. A remuneração costuma ser bem vantajosa e o tipo de serviço realizado interessante, o que traz cada vez mais, profissionais com interesse neste segmento. Há uma busca incessante do mercado por softwares ligados a melhoria operacional e a redução de custos. Já em relação a aplicativos de smartphones a tendência é ainda mais positiva por que este tipo de segmento vem ganhando espaço conquistando cada vez mais usuários.

Como reflexo da situação atual do país, o mercado de trabalho passa por alguns ajustes importantes e nesta transformação busca maior produtividade e ganhos indo atrás de profissionais com eficiência operacional o que novamente abre a oportunidade aos profissionais da área de TI, por isso apostar no curso de TI hoje é agir de acordo com as oportunidades do momento.

Com intuito de auxiliar a suprir à demanda do mercado de trabalho de especialistas em desenvolvimento de aplicativos para celulares, o Programa Qualificar para Incluir e Empresas Patrocinadoras "SQi, CPqD, Samsung, Galvani, Elektro e Viracopos" criou o Curso PQi Mobile com formação inteiramente voltada para a área tecnologia móvel, totalmente gratuito para Pessoas com Deficiência.

 

O curso PQi Mobile acontece no CPqD (localizado em Campinas-SP), reconhecido como o maior polo de tecnologia da América latina.


 

Se você é uma Pessoa com Deficiência, e mora na região metropolitana de Campinas (RMC), não perca a oportunidade de estudar no maior Polo de tecnologia da America latina!


2 Comments

Conheça o primeiro smartwatch em braille do mundo 

(Imagem do relógio)
(Imagem do relógio)

Aparentemente este relógio nada se diferencia de um smartwatch comum, possui sistema de mensagens, navegação, bluetooth, além de, claro, exibir as horas. Sua grande inovação está então na forma como essas funções são apresentadas: em braille.

Sua interface possui uma série de pinos que sobem e descem em velocidades personalizáveis, soletrando palavras em braille. Com esse sistema, o Dot permite que deficientes visuais desfrutem de diversas funções digitais, como ler e-books, por exemplo.

O produto estará disponível para pré-encomenda ainda este ano. O relógio deve chegar ao mercado por aproximadamente 300 dólares.

Fonte: Exame

0 Comments

Flagra de funcionária dando sorvete a deficiente físico comove redes sociais

Na imagem funcionária ajudando cadeirante a tomar o sorvete
Na imagem funcionária ajudando cadeirante a tomar o sorvete

'Assim que vi, fiz a foto e dei um abraço nela', diz músico em Uberlândia.
Sociólogo fala de valores; imagem já teve quase 8 mil compartilhamentos.

 

"Esse tipo de gesto não parte de qualquer pessoa. A funcionária saiu de seu posto e naquele momento ela não se importou se outras pessoas ficariam sem atendimento, não se importou se seria chamada atenção. Ela simplesmente foi até o cliente incapacitado de segurar qualquer coisa e deu sorvete na boca dele", contou o músico e professor Thiago Ferreira, sobre o registro feito no último domingo (30) em um shopping de Uberlândia, no Triângulo Mineiro. A cena que mostra a funcionária de uma rede de fast food ajoelhada dando sorvete a um cliente tocou Thiago, e já foi compartilhada por quase 8 mil pessoas nas redes sociais.


O registro foi feito durante a tarde, quando Thiago caminhava pelo shopping. Segundo ele, a imagem mostra um gesto simples, encantador e  pouco comum.  "Não aguentei e no impluso retirei o celular e registrei. Fiquei de longe olhando e logo fui dar um abraço na moça. Fui tomado por uma profunda emoção. Nós vemos tanta coisa ruim nesse mundo que acabamos por não acreditar mais nas pessoas. Quando vemos algo assim, é preciso compartilhar", disse

 

Segundo o sociólogo Clayton Pereira, ações como estas estão cada vez mais raras hoje em dia. Ele avaliou a imagem. "Num olhar sociológico, a vida humana só é possível por meio da sociabilidade, que envolve gestos de solidariedade entre os indivíduos. Acontece que atos assim, de altruísmo, numa sociedade contemporânea, cada vez mais egoísta, competitiva e individualista, surpreendem pela simplicidade e atenção às necessidades alheias. De fato, um resgate de valores morais muito escassos hoje em dia”, comentou o sociólogo.


Feliz com a repercussão, a funcionária Lawane Rodrigues de Sousa, uma adolescente de 17 anos, disse estar agradecida pelo reconhecimento e compartilhamento da atitude. Ela ressalta que a ação foi natural. "Eu estou me sentindo muito feliz com tudo isso. Na hora foi um gesto comum. Vi que ele não tinha como tomar o sorvete quando entreguei o pote para ele, então o ajudei. Passamos quase uma hora juntos e ele me agradeceu muito. Depois do sorvete, o levei próximo ao banheiro, em seguida ao supermercado e depois o deixei em uma loja de doces", disse. Lawane contou ainda que não levou nenhuma bronca por ter se ausentado da função. "Pelo contrário, meus colegas e a gerência me parabenizaram, disseram que precisamos fazer mais coisas assim. Fiquei e estou muito feliz", contou.


O sociólogo Clayton Pereira destaca que a ação da adolescente é a essência da solidariedade. "É bacana destacar a etimologia, significado da palavra solidariedade. A palavra solidariedade tem origem no francês 'solidarité', que também pode remeter para uma responsabilidade recíproca. Laços de solidariedade são típicos de comunidades, contrastando com a competitividade característica de sociedades. O que a funcionária praticou foi a essência da solidariedade, ou seja, a identificação com o outro e a vontade de cooperar”, destacou.


Ao abraçar Lawane depois de tirar a foto, Thiago disse que a agradeceu pelo momento proporcionado. "Agradeci porque eu me senti muito bem ao ver aquilo. Logo saí, para não deixá-la sem graça e para chorar", destacou.


Lawane disse que não sabe quem é o cliente, mas que faz questão que ele retorne ao local. "Eu gostaria que ele retornasse várias vezes e em todas estarei disposta a ajudá-lo", finalizou.


Fonte: G1


0 Comments

PALESTRA :Steve Silberman - A história esquecida do autismo

Décadas atrás, poucos pediatras tinham ouvido falar sobre o autismo. Em 1975, a estimativa era de que ele afetasse 1 a cada 5 mil crianças. Hoje, 1 a cada 68 crianças estão sobre o espectro do autismo. O que causou este crescimento exorbitante? Steve Silberman aponta para "uma perfeita tempestade da consciência autista", médicos tendo um olhar mais receptível, uma inesperada visibilidade na cultura pop e um novo teste clínico. Mas para entendermos de verdade, precisamos voltar a um médico austríaco chamado Hans Asperger, que publicou um artigo pioneiro em 1944. Como ele ficou enterrado no tempo, o autismo permaneceu em meio a um mal-entendido desde então.


Fonte: Ted


0 Comments

Stella Young: “Eu não sou sua inspiração, muito obrigada”

Na imagem Stella Young
Na imagem Stella Young

Stella Young é uma comediante e jornalista, que passa seus dias em uma cadeira de rodas, fato que, como ela gosta de deixar claro, não a transforma automaticamente em uma nobre inspiração para toda a humanidade. Nesta palestra muito engraçada, Stella quebra o hábito da sociedade de transformar pessoas com deficiência em “inspiração pornô.”

Assista e entenda o que ela quer dizer!

Show!

Fonte: Contioutra

0 Comments

Uma lição de vida: história zen ensina-nos a exercitar a amizade e a tolerância o tempo todo

Na imagem personagem Zen e seu cachorro.
Na imagem personagem Zen e seu cachorro.

Vídeo nos mostra o quanto as atitudes impulsivas, impensadas, produtos da ira e do desequilíbrio interior, podem ser danosas tanto a quem as pratica quanto aos seus circunstantes.

Uma mensagem muito necessária ao nosso tempo, num mundo onde ainda imperam a violência e o egoísmo.

Fonte: Contioutra

0 Comments

Mãe cria aparelhos auditivos decorados para crianças 

Na imagem criança utilizando aparelho auditivo decorado
Na imagem criança utilizando aparelho auditivo decorado

Implantes cocleares e outros aparelhos auditivos podem ser difíceis para as crianças, principalmente porque em muitos casos elas se tornam alvo de de provocações e exclusão. No entanto, Sarah Ivermee, uma mãe inglesa cujo filho Freddie passava por situações parecidas, criou peças decorativas que são aplicadas nesses tipos de aparelhos, fazendo não só com que as crianças sintam orgulho em usar os acessórios, como as tornam o centro das atenções no jardim de infância.

Sarah teve a ideia durante uma conversa com uma amiga, que lhe contava como era difícil fazer sua filha usar o aparelho auditivo. Sarah então sugeriu agregar adesivos de unha, e o novo estilo deu certo! Hoje ela tem sua própria companhia chamada Lugs, que envia os mais variados designs para crianças de todo o mundo!

Fonte: Universo ZN 

Na imagem aparelhos auditivos decorados
Na imagem aparelhos auditivos decorados
Read More 2 Comments

Conheça o primeiro hotel do mundo atendido e gerenciado por jovens com Síndrome de Down 

(Na imagem jovem com síndrome de down serve casal sentado na mesa)
(Na imagem jovem com síndrome de down serve casal sentado na mesa)

   Quais são os pontos que você analisa antes de escolher um hotel para se hospedar? O tamanho dos quartos, as comodidades oferecidas, a quantidade de estrelas, o preço… Mas outras questões também são bastante importantes e já pesam na hora da escolha para muitas pessoas: a inclusão social é uma delas. E um hotel localizado na província de Asti, na Itália, é uma ótima escolha nesse sentido.

Com o nome de Albergo Etico, o espaço é atendido exclusivamente por jovens com Síndrome de Down. A Associação Albergo Etico é responsável pela inserção de pessoas com a síndrome no mercado de trabalho desde 2006. O objetivo é ajudá-los a conquistar autonomia, aprendendo a viver sozinhos, gestionar suas contas e trabalhar em grupo.

A inauguração do espaço, que conta com três estrelas, ocorreu no dia 18 de junho deste ano. Os visitantes que passarem por lá poderão desfrutar de 26 quartos com um total de 60 camas, além de um restaurante com capacidade para 50 pessoas, um belo jardim e até um espaço de coworking aberto para clientes e moradores da cidade.

O projeto surgiu depois que Nicolás, um menino com Síndrome de Down, realizou um estágio no restaurante Tacabanda, em Asti. A experiência transformou a vida do jovem e dos seus companheiros no lar especial em que vivia e deu origem à ideia de abrir cada vez mais espaço a jovens que convivem com a síndrome.

Fonte: Hypeness


0 Comments

Desrespeitar vaga exclusiva para deficientes será infração grave

(Na imagem carro estacionado em vaga para deficientes)
(Na imagem carro estacionado em vaga para deficientes)

A partir do momento que a lei entrar em vigor, daqui a 180 dias, desrespeitar as vagas de estacionamento preferenciais para pessoas com deficiência será uma infração grave e não mais leve como é atualmente
A Lei 13.146/15 que institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, publicada no dia 06 de julho, altera alguns artigos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), inclusive o Art.181 que regulamenta o estacionamento de veículos.

“A nova Lei diz que estacionar em desacordo com as placas de estacionamento regulamentado passa a ser infração grave com multa de R$ 127,69 e isso inclui desrespeitar a vaga para idosos também”, explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor da Tecnodata Educacional.

Além dessa mudança, outros artigos do CTB também foram alterados. Com a nova legislação, passam a ser consideradas vias terrestres também áreas de estacionamento de estabelecimentos privados de uso coletivo.

Para a obtenção da primeira habilitação será assegurado ao deficiente auditivo acessibilidade de comunicação, mediante emprego de tecnologias assistivas ou de ajudas técnicas em todas as etapas do processo de habilitação.

Além disso, o material didático audiovisual utilizado em aulas teóricas dos cursos que precedem os exames previstos para tirar a habilitação deve ser acessível, por meio de tradução simultânea em Libras.

Será assegurado também ao candidato com deficiência auditiva requerer, no ato de sua inscrição, os serviços de intérprete de Libras, para acompanhamento em aulas práticas e teóricas.

Segundo o governo, o objetivo da lei é assegurar os direitos das pessoas com deficiência, promover a equiparação de oportunidades, dar autonomia a elas e garantir acessibilidade no país.

A lei entrará em vigor a partir de 06 de janeiro de 2016.

Fonte: tribunadabahia.com.br

0 Comments

Estatuto da pessoa com deficiência obriga a acessibilidade digital

Sites devem ter arquivos reconhecidos por leitores de tela, possibilidade de aumento de caracteres ou mudança no contraste da tela.

estatuto da pessoa com deficiência, aprovado pela presidente Dilma no último dia 6, obriga aacessibilidade digital no Brasil. Sites devem ter arquivos reconhecidos por leitores de tela, possibilidade de aumento de caracteres ou mudança no contraste da tela.

Paulo Lima, da Associação dos Amigos com Deficientes Visuais, diz que só um site em cada dez é acessível. Cristiano Heckert, do Ministério do Planejamento, afirma que nem todos os sites do governo são acessíveis, mas lembra que existe um modelo que deve ser seguido pelos órgãos federais.

O estatuto também obriga as emissoras de TV o uso de recursos com janela com interpretes de libras ou a audiodescrição, que é narração de todas as informações visual que não estão contidas nos diálogos das cenas audiovisuais.

Fonte: EBC

0 Comments

Bebê com alto grau de miopia vê os pais com nitidez pela primeira vez

Na imagem criança sorrindo usando óculos cor de rosa
Na imagem criança sorrindo usando óculos cor de rosa

Vídeo que mostra reação da pequena Piper Verdusco ao usar óculos vira hit depois de publicado no Facebook

Os pais da pequena Piper Verdusco, preocupados porque a filha estava demorando para começar a engatinhar, decidiram levar a questão a um médico. Alguns exames depois, souberam que a menina tem 7 graus de miopia em umolho e 5 no outro, o que seria, provavelmente, o motivo da demora. A solução foi, então, comprar óculos. Aliviada, a mãe, Jessica Sinclair, de Ohio, nos EUA, registrou o momento em que Piper enxerga claramente pela primeira vez, através de um par de óculos de armação cor de rosa.

O vídeo que mostra a reação do bebê vem encantando milhares de internautas. No vídeo de 30 segundos, Piper inicialmente reluta em deixar que seus pais coloquem os óculos em seu rosto. Em seguida, a óbvia diferença faz a criança abrir um sorriso. Mãe de dois filhos, Jessica postou o vídeo no Facebook com o subtítulo: “Peguei os óculos. Saímos para comer e colocamos nela. A reação dela derrete meu coração”.

Ao menos 265.169 pessoas compartilharam a postagem. O vídeo, visualizado mais de 18 mil vezes, mostra Piper sentada em uma lanchonete americana na frente de seus pais, Andrew e Jessica. “Oi, Piper! Como você está?”, pergunta a mãe, que fica encantada com a reação de êxtase de Piper.

Em seguida, o pai, também emocionado, chama a filha e responde ao questionamento de Jessica sobre se ela consegue ver: “Acho que sim!”. Os dois gargalham.

Fonte: O Globo


0 Comments

Cientistas mexicanos criam luva que traduz linguagem de sinais

(Mulher na imagem utiliza a luva que traduz a língua de sinais)
(Mulher na imagem utiliza a luva que traduz a língua de sinais)






Pesquisadores do Instituto Politécnico Nacional (IPN) do México desenvolveram uma luva que transforma em texto e sons a linguagem de deficientes auditivos para permitir que possam transmitir mensagens a pessoas que desconhecem os sinais, segundo informou a instituição educativa em comunicado.

Este protótipo, criado pelo doutor Miguel Félix Mata e a formada Helena Luna García, consiste em uma luva que detecta os movimentos realizados pelo usuário com a mão e os associa com as letras do alfabeto internacional de 26 letras.

“São formadas palavras e frases que são transmitidas por Bluetooth a um dispositivo móvel com um aplicativo pré-carregado que mostra e lê os sinais das pessoas que usam a luva e querem transmitir uma mensagem”, explicou Luna García.

Para detectar se os dedos estão abertos ou fechados foi utilizado um inovador material empregado na construção de tecnologia para vestimentas, um fio condutor feito à base de aço, mais grosso que o fio convencional de algodão e que se pode costurar com agulha e inclusive com máquina.

A base da luva foi costurada à mão com poliéster e nylon, inclui molas e sensores para dar-lhe força, com a finalidade de que sigam a estrutura pelas mãos.

Uma vez que a mensagem chega ao dispositivo, esta é reproduzida em voz e a pessoa que fala com o usuário da luva pode escutar o que este quer dizer-lhe.

Fonte: Blog Deficiente Fisico

 

 






0 Comments

Nasce o filho de surfista que está acostumada a emocionar o mundo

(Bethany Hamilton com o filho no colo ao lado do marido)
(Bethany Hamilton com o filho no colo ao lado do marido)

A havaiana Bethany Hamilton divulgou no início da tarde desta segunda-feira a foto de seu
filho Tobias, que nasceu no último dia primeiro de junho. Na imagem, ela está ao lado do marido Adam com Tobias no colo. O nome é uma homenagem ao avô e, segundo a surfista, significa a "A bondade de deus". 

Bethany, de 25 anos, está acostumada a emocionar o mundo com suas histórias de superação. Em 2003, após um ataque de tubarão, ela teve de amputar o braço esquerdo. Mesmo assim, deu a volta por cima ignorando a deficiência, e continuou surfando em alto nível. 

Durante a gravidez, ela chegou postar fotos surfando ondas grandes. Os registros dividiram opiniões se era realmente saudável expor a gestação aos riscos do esporte. 

Fonte: O Globo



0 Comments

Motorista estaciona em vaga de deficiente e tem surpresa ao pegar carro

(Na imagem motorista tentando tirar papéis do carro)
(Na imagem motorista tentando tirar papéis do carro)

Caso aconteceu no interior do Paraná, homem ainda saiu com o veículo cantando pneus


Um motorista da cidade de Maringá (PR) estacionou seu veículo em uma vaga destinada a pessoas com deficiências físicas. No entanto, ele não contava com a
surpresa feita para ele ao retornar para o carro.


O veículo estava todo coberto por papéis azuis e brancos, que mostram o símbolo internacional de pessoas com deficiência.
O motorista tentou arrancar alguns papéis e, sob vaias da população, retirou-se todo nervoso - inclusive saiu cantando pneus. Como se não bastasse, um agente de trânsito multou o rapaz. 

Assista o vídeo abaixo, e veja a reação!

Fonte: R7

0 Comments

Câmara aprova criação da Lei de Inclusão da Pessoa com Deficiência

Proposta busca garantir acesso das pessoas com deficiência às diversas esferas da vida social, seja por meio de políticas públicas ou iniciativas a cargo das empresas. Texto foi alterado pelos deputados e retornará ao Senado.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (5) o Projeto de Lei 7699/06, que cria a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, com a previsão de diversas garantias e direitos às pessoas nessa condição. A proposta, que era conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência, foi aprovada na forma do substitutivo da relatora, deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), e será analisada ainda pelo Senado.

De acordo com o texto, é classificada como pessoa com deficiência aquela que tem impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial que podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

“Foi mais de um ano de trabalho com a participação de juristas e especialistas e da Secretaria de Direitos Humanos para que chegássemos a um texto adaptado à Convenção da ONU sobre Pessoas com Deficiência”, afirmou a relatora, que tem uma deficiência adquirida devido a um acidente de carro.

A deputada lembrou também que recebeu sugestões da sociedade por meio do serviço e-democracia da Câmara dos Deputados.

A tônica do texto, que conta com mais de 100 artigos, é a previsão do direito das pessoas com deficiência de serem incluídas na vida social nas mais diversas esferas por meio de garantias básicas de acesso, seja por meio de políticas públicas ou iniciativas também a cargo das empresas.

Um dos pontos que ela manteve no texto foi o direito ao auxílio-inclusão para a pessoa com deficiência moderada ou grave. Terá direito a esse auxílio a pessoa com deficiência que já receba o benefício de prestação continuada previsto no Sistema Único de Assistência Social (Suas) e venha a exercer atividade remunerada que a enquadre como segurado obrigatório da Previdência Social.

Entretanto, o governo disse que não tem compromisso com a sanção desse dispositivo.

Lei de cotas

Quanto ao sistema de cotas para empregar trabalhadores com deficiência e reabilitados, o texto aprovado prevê que empresas com 50 a 99 empregados terão de reservar uma vaga para esse grupo. As empresas terão três anos para se adaptar.

Atualmente, as cotas devem ser aplicadas pelas empresas com mais de 100 empregados, em percentuais que variam de 2% a 5% do total de vagas, conforme quatro faixas.

Para estimular a real aplicabilidade desse sistema, o substitutivo muda a Lei de Licitações (8.666/93) para permitir o uso de margens de preferência nas licitações para as empresas que comprovem o cumprimento da reserva de cargos.

Nova regra imposta pelo projeto prevê que somente a contratação direta será contada, excluído o aprendiz com deficiência de que trata a lei da aprendizagem.

Cadastro

O texto cria o Cadastro Nacional da Inclusão da Pessoa com Deficiência com a finalidade de coletar e processar informações destinadas à formulação, gestão, monitoramento e avaliação das políticas públicas para as pessoas com deficiência e para a realização de estudos e pesquisas.

Prioridades

Várias prioridades são garantidas pelo texto às pessoas com deficiência, como na tramitação processual, recebimento de precatórios, restituição do imposto de renda e serviços e proteção e socorro.

Quanto a outros direitos diretamente garantidos por meio de cotas, o texto garante isso em várias áreas:

  • 10% das vagas em instituições de ensino superior ou profissional de nível médio e superior;
  • 3% de unidades habitacionais em programas públicos ou subsidiados com recursos públicos;
  • 10% de dormitórios nos hotéis acessíveis às pessoas com deficiência (dois anos para vigorar);
  • 2% das vagas em estacionamentos;
  • 10% dos carros das frotas de táxi adaptados para acesso das pessoas com deficiência;
  • 10% das outorgas de táxi para motoristas com deficiência;
  • 5% dos carros de autoescolas e de locadoras de automóveis adaptados para motoristas com deficiência;
  • 10% dos computadores de lan houses com recursos de acessibilidade para pessoa com deficiência visual;
  • recebimento, mediante solicitação, de boletos, contas, extratos e cobranças em formato acessível;
  • assentos em cinemas, teatros e outros locais de grande concentração de espectadores em locais diversos de boa visibilidade.
(Na imagem Mara Gabrilli na Câmara dos deputados)
(Na imagem Mara Gabrilli na Câmara dos deputados)

Fonte: http://www2.camara.leg.br


0 Comments

PQi - Programa Qualificar para Incluir 6ª Edição 2015

 (Alunos na expectativa da abertura da 6ª. Edição PQi)
(Alunos na expectativa da abertura da 6ª. Edição PQi)


"A SQi e CPqD junto com Patrocinadores comemoram juntos abertura da 6a. Edição neste mês, e ainda oficializaram as mudanças no Programa, entre elas a novidade “Cresce a oferta de vagas para o curso em 2015 de 80 para 200 alunos, mais PCD´s serão capacitados em TIC´s ".

Programa oferece curso gratuito de formação em TIC para pessoas com deficiências.

Read More 1 Comments

Editais de concursos não podem limitar a entrada de deficientes

Na imagem uma pessoa prestando concurso
Na imagem uma pessoa prestando concurso


A regra vale desde que a deficiência não interfira na profissão, afirma o procurador Thiago Lacerda Nobre, do Ministério Público Federal em Jales, no interior de São Paulo. Por lei, 5% das vagas em concursos são reservadas para deficientes.

Ele [o candidato com deficiência] não pode prestar [concurso] para ser Policial Militar se for cego, para trabalhar na rua, por exemplo. Mas, se for um serviço administrativo e ele for cadeirante, não tem problema nenhum [entrar na polícia].

Não norma geral que restrinja os concursos públicos para deficientes, afirma o procurador. Cada caso deve ser analisado individualmente, pela documentação enviada na inscrição ­ como atestados médicos e exames. Os documentos devem ser solicitados pelo órg2ão que realiza a prova.

O deficiente, por lei, tem direito a concorrer às vagas, desde que a deficiência dele não atrapalhe minimamente a condição do cargo. Então esse primeiro exame [dos documentos] visa analisar se a deficiência da pessoa se enquadra entre o que não é problema para o trabalho e também se ela pode prestar [o concurso]. Não é todo tipo de deficiência que permite que ela dispute o concurso.

Assim como aconteceu na inscrição de João Paulo Buosi, o órgão avalia se o candidato está apto a se inscrever para aquela vaga. Nesse momento e na hora da perícia, o deficiente pode ser barrado.

Fonte: Portal PCD Online

0 Comments

ATOR CONTA COMO USOU O TEATRO PARA SUPERAR A ESCLEROSE MÚLTIPLA


"O Treatro transforma"


No fim da década de 80, o paulistano Nando Bolognesi levava a vida entre a faculdade, as baladas e o futebol. Durante um intercâmbio na Europa, percebeu que seu corpo não respondia a estímulos imediatos. Primeiro, ele encontrava dificuldade para se equilibrar em uma escada rolante. Logo depois, a desenvoltura com a bola nos gramados parecia coisa do passado e até usar um desodorante se transformou em uma árdua tarefa. 

Portador de esclerose múltipla, Nando buscou a reinvenção e, dali em diante, não parou de se superar. Aposentou o diploma de economia, virou ator e palhaço e, 25 anos depois do diagnóstico, transita entre o cômico, o trágico e o documental na peça Se Fosse Fácil, Não Teria Graça. 
 
Parafraseando a stand-up comedy, o autor e também diretor, hoje com 46 anos, recorreu ao humor e a uma boa dose de otimismo para criar a própria sit-down tragedy. Ele não poupa a si mesmo e arranca risos e lágrimas da plateia através de histórias da convivência com as limitações impostas pela doença degenerativa.
Read More 0 Comments

A Menina Espantalho

Sinopse: Conta a história de Luzia, uma menina que mora com seus pais e o irmão Pedro no campo. Quando Pedro começa a freqüentar a escola, Luzia manifesta vontade de acompanhar o irmão. O pai autoritário não respeita o desejo da filha e ainda a obriga a espantar os pássaros da sua plantação de arroz. Mesmo vivendo essa adversidade, Luzia dá a volta por cima e aprende a ler no meio do arrozal.

Direção: Cássio Pereira dos Santos

Read More 0 Comments

Você é a Força Vital do Universo

(Uma Ideia que Vale a Pena Espalhar)

0 Comments

Eu tinha um cachorro preto, seu nome era depressão

Um homem sentado em uma pedra com os braços apoiados no colo expressando tristeza. Tem uma claridade a sua esquerda que faz sua sombra aparecer em uma parede vermelha a sua direita no formato de um cachorro também sentado com expressão de triste.
Um homem sentado em uma pedra com os braços apoiados no colo expressando tristeza. Tem uma claridade a sua esquerda que faz sua sombra aparecer em uma parede vermelha a sua direita no formato de um cachorro também sentado com expressão de triste.

Todos nós temos um cachorro preto em nossa vida. Qual é o tamanho do seu?

 

Assistam o vídeo abaixo e percebam o quanto isso é verdade nas nossas vidas, o quanto temos que saber NEGOCIAR com os nossas dores, frustações. Precisamos SEMPRE das pessoas que acreditamos.

 

Para quem já fez o PQi, relacione o vídeo com tudo o que você aprendeu nas matérias comportamentais:

 

 

 

Read More 10 Comments

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

Imagem referente ao dia Internacional de Pessoa com Deficiência
1 Comments

Correio Popular - Programa do CPqD 'Qualificar para Incluir' aposta na inclusão

Foto dos Alunos em frente aos Canudos (Certificados)
Turma do Programa Qualificar para Incluir, do CPqD, observa diplomas que foram entregues durante a cerimônia de formatura do curso de tecnologia da informação e comunicação

Projeto dá novas perspectivas a 60 alunos com deficiência e que se formaram em TI

 

Quando Rosilene Freire da Silva sofreu um AVC hemorrágico, que deixou o lado esquerdo do seu corpo comprometido, pensou que estaria condenada a uma vida dependendo de terceiros. “Eu sempre fui muito independente, e de repente agora não poderia mais exercer a minha profissão. Não sabia o que faria da vida”, lembra. Quatro anos depois, ela se converteu em um símbolo de superação e esperança — acabou de se formar em um curso de tecnologia da informação e comunicação (TIC) pelo CPqD e já ganhou uma bolsa de estudos para cursar publicidade. “Depois que comecei a estudar, minha vida mudou. Agora eu terei duas profissões”, contou.

 

 

Jeferson Vargas, Renato Carvalho, Ana Paula Cardoso e Raimundo da Silva, assim como Rosilene, redescobriram o sentido da vida estudando TI no Programa Qualificar para Incluir (PQI), do CPqD. Eles são alguns dos 60 alunos que se formaram nesta sexta-feira (13) na 4ª edição do programa, que tem como objetivo oferecer qualificação gratuita para pessoas com deficiências.


Todos são exemplo do poder transformador do conhecimento e do trabalho. “Depois do acidente achei que iria me aposentar, que não poderia fazer mais nada. Esse curso mudou a minha visão da vida”, narrou o empresário Raimundo Silva. Ele conta que voltou a sonhar e quer mais. “Quero aprender mais e trabalhar na área”, afirmou.


O mesmo aconteceu com Ana Paula Cardoso, de apenas 17 anos. Os dias de irritabilidade e ansiedade ficaram no passado. “Antes eu não sabia o que queria da vida, era muito ansiosa e não tinha objetivos”, conta. Agora, Ana tem planos bem definidos: começa um novo curso, dessa vez de programação web, para conseguir um trabalho na área de TI.


O coordenador do programa, Daniel Francisco da Silva, explica que mais que formar pessoas aptas a trabalhar no mercado de TI, o programa tem um poder transformador sobre os alunos. “Quando começaram o curso, muitos eram super tímidos e tinham uma autoestima baixa. A vida deles muda muito”, contou.


Segundo Silva, os formandos saem aptos a disputar, em pé de igualdade, uma vaga no mercado de TI. “Eles estão muito bem preparados para encarar o mercado”, disse.


Durante os 14 meses de treinamento, os alunos não aprenderam apenas técnicas, mas também disciplinas relacionadas à conduta corporativa, técnicas de oratória e atendimento ao cliente. A próxima turma, composta por 80 alunos, inicia as aulas no dia 7 de outubro.

Recolocação
Patrocinado por grandes empresas, muitas vezes os alunos do programa acabam sendo contratados antes mesmo de finalizar o curso. O presidente do CPqD, Hélio Graciosa, ressalta que o sucesso do curso não é mérito do CPqD ou dos parceiros, mas que depende de cada um dos alunos. “O sucesso se deve principalmente ao esforço, dedicação e compromisso das pessoas que fizeram o curso. O programa é uma oportunidade e as pessoas têm que aproveitá-la”, afirmou.

 

 

Read More 2 Comments

Homenagem ao Professor Antonio Marcos

Foi criada uma Charge do mentor da pedagogia do Programa Qualificar para Incluir, Antonio Marcos Melo em homenagem a sua luta pelo respeito ao ser-humano e suas diferenças. Hoje o programa PQi (Programa Qualificar para Incluir) tem como pilar de aprendizagem sobre Relacionamento Humano a ciência de que o mundo se torna cada vez melhor no momento em que uma pessoa entende que uma outra pessoa é tão complexa quanto ela mesma e que tem diferenças comportamentais notáveis no "complexo de ismo" (Complexo: Complicado, diversos elementos ou informações co-relacionadas,  Ismo: Todas as relações ao extremo ser); Nome simbolicamente dado ao complexo mental humano que é moldado por vivências, costumes, crenças e traumas no decorrer da vida e constrói cada ser diferente um do outro e isso o torna um ser único e importante.

7 Comments

Rosilene Freire ganha Bolsa de Estudos do CPqD

A aluna Rosilene Freire ganhou uma bolsa de estudos 100% gratuita do CPqD para fazer um curso de sua escolha na Faculdade ESAMC como prêmio por ter mostrado um ótimo desempenho e dedicação nas matérias e laboratórios do Programa Qualificar para Incluir.

Read More 13 Comments

O desabafo do Pranchanévis!




O Pranchanévis foi vetado do Projeto PQi!

Mas agora!

 

Desabafa na rede toda sua indignação!!!


Read More 6 Comments

QUANDO A BOCA CALA...O CORPO GRITA!!!



Nosso corpo é o espelho da Alma!

 



Leia a Matéria clicando aqui...


Read More 176 Comments

ATLETA RECUSA-SE A VENCER

HOLOFOTE NO FIM DO TÚNEL



Honestidade: elogiado corredor que se negou a vencer líder, que parou por engano


Comente. O que você achou?


Read More 24 Comments

Novo Manual do PQi - Veja aqui

 

Manual de Convivência PQi 2013

 

ACESSAR

 

BAIXAR

 


Read More 0 Comments

I Fórum de Discussão sobre Pessoas com Deficiência e o Mercado de Trabalho Impactos da Convenção da ONU

- No dia 27/02/2013 a equipe do PQi esteve presente no "I Fórum de Discussão sobre Pessoas com Deficiência e o Mercado de Trabalho Impactos da Convenção da ONU"

Indico a todos que leiam a matéria, pois muitos assuntos importantes foram tratados!

http://www.unicamp.br/unicamp/noticias/2013/02/27/mercado-para-pessoas-com-deficiencia-e-tema-em-forum-inaugurado-na-unicamp

 

 

1 Comments

Portal do PQi na palma da sua mão!

 

  

 

Agora, ficou mais fácil!

 

Portal do PQi Movel, direto no seu celular!

 

 

WEB Móvel - Tudo o que precisa no bolso...

 

A Internet móvel veio para facilitar o dia-a-dia de quem precisa estar online a qualquer hora e em qualquer lugar.

 

O portal do PQi trás muitas informações para quem gosta de ficar atualizados nos projeto e interatividade na comunidade PQi.

 
A forma de acessar pelo celular Smartphone ou Tablet é inserir o link do site programapqi.jimdo.com no navegador de seu aparelho móvel e aproveitar!

0 Comments

Ticket de Espera

Write a comment

Comments: 7
  • #1

    Marco Antonio Rodrigues Facca (Tuesday, 22 January 2013 04:15)

    AS pessoas somente dão importãncia ou percebem algo quando passam por dificuldades , mas geralmente não tem a impatia de se colocar no lugar daqueles que necessitam e precisam de alguma ajuda , no vido a moça se admirou e diz que seu cérebro voou e o espanto das pessoas ao perceberem o número da senha , realmente vivemos numa normoze e quando saiíos dela e que despertamos para valores importantes e percebemos de quem está a nossa volta .

  • #2

    Stallone Souza (Tuesday, 22 January 2013 11:48)

    É incrível o poder do nosso segundo elemento, que nos leva a diversos lugares, que nos coloca no lugar de outras pessoas, pena que não nos educaram corretamente, mesmo com tantos "princípios e valores", não conseguimos muitas vezes ser HUMANO... A normoze aos poucos é quebrada e dá espaço ao equilíbrio, respeito e a verdadeira comunicação...

    Parabéns pela iniciativa dos idealizadores, e obrigado por compartilhar aqui no portal, isso nos faz refletir e rever conceitos...

  • #3

    Valdena Costa Ramalho (Tuesday, 22 January 2013 16:37)

    É impressionante como o ser humano só olha para o próximo quando está em apuros!
    Nunca nos colocamos no lugar do outro; nunca pensamos que um dia podemos passar por "n" situações similares ou até piores. Cada dia que passa,tento ser uma pessoa melhor, tenho procurado entender que o mundo em que vivemos é muito mais do que achamos e que continuar na ignorância só depende de mim e de mais ninguém.

  • #4

    Eduardo Francisco Amstalden (Wednesday, 23 January 2013 05:24)

    Muitas pessoas não se importam, e nunca esperam que aconteçam com elas precisarem de um órgão, falta conscientização das pessoas para doar órgãos, que devia ser amplamente divulgado, estimulando as pessoas a pensar no próximo, e que se todas as pessoas fossem mais unidas e pensassem mais no próximo, o mundo não estaria do jeito que está hoje, com filas enormes pra receber órgãos.

  • #5

    Rosilene Freire (Wednesday, 23 January 2013 05:27)

    Na vida já nascemos com nossa chapa mental voltada para o negativo a reação das pessoas ao verem tantos números no ticket é impressionante, elas ficam revoltadas por "ter que esperar" Desde que passei por uma situação de dificuldade minha vida comecei a enxergar o mundo com outros olhos; E agora com o programa pqi consigo avaliar ainda mais, porém ainda
    precisamos mudar muito 2013 será o ano de destravar o nosso poder de comunicação.Amei o vídeo muito inteligente essa iniciativa.

  • #6

    marcos taira (Friday, 24 January 2014 15:58)

    UM DIA RECEBI UMA PROPOSTA DE TRABALHO ATRAVÉS DE UM AMIGO QUE FALAVA BEM DA MINHA PESSOA AO SEU PATRÃO, ENTÃO O PATRÃO DELE MANDOU ME CHAMAR PARA UMA ENTREVISTA, CHEGANDO LA NO DIA SEGUINTE BEM CEDO O PATRÃO DELE ESTAVA ATENDENDO UM CLIENTE E PEDIU ATRAVÉS DE SUA SECRETARIA QUE EU ESPERASSE ELE TERMINAR DE ATENDER O CLIENTE SENTADO NO BANCO DE FORA,APOS 1 HORA DE ESPERA O PATRÃO DONO DA FAMOSA EMPRESA TERMINA DE ATENDER SEU CLIENTE E VEIO ATE A PORTA E ME OLHOU E DIZ BEM ALTO : AGORA PODE VIM JÁ TERMINEI DE ATENDER! ENTÃO EU LEVANTEI DO BANCO APOS 1 HORA DE ESPERA E DEI MEU PRIMEIRO PASSO EM DIREÇÃO AO PATRÃO.

    O PATRÃO AO PERCEBER QUE TENHO UMA DEFICIÊNCIA NA PERNA E DIFICULDADE DE LOCOMOÇÃO, NÃO PERDEU TEMPO E NÃO POUPOU SEU FOLEGO TANTO QUE EU NÃO CONSEGUI DAR NEM O TERCEIRO PASSO EM DIREÇÃO A ELE, DE TAO RÁPIDO SUA DECISÃO, PAREI NO MEIO DO CAMINHO E FIQUEI OUVIDO SEU DISCURSO CHAMANDO MINHA ATENÇÃO QUE DIZIA BEM ALTO CRUZANDO OS BRACOS : NÃO! NÃO! NÃO! NÃO !VOCÊ NÃO DISSE QUE TINHA PROBLEMAS...AQUI NA EMPRESA NÃO TEM TRABALHO PARA VOCÊ! SÓ TEMOS TRABALHO EM PE! NÃO TEM JEITO GAROTO ! E NISSO FOI CHEGANDO OUTROS FUNCIONÁRIOS E UM DELES COLOCOU A MÃO NO OMBRO DO PATRÃO E DISSE AO PATRÃO: NÃO FALE MAIS NADA! JÁ CHEGA! QUERO DAR UMA CHANCE PARA ELE E ORDENOU A UMA SECRETARIA QUE ME TROUXESSE URGENTE UM CAPACETE,BOTAS,LUVAS E UNIFORME E NISSO O PATRÃO SÓ OUVIU E VIU MEUS LENTOS E DEFEITUOSOS PASSOS ENTRANDO EM SUA EMPRESA.

    CONSEGUI ENTRAR E O TEMPO FOI PASSANDO E COM MUITA DIFICULDADE ADQUIRI EXPERIENCIAS E A CONFIANÇA DO PATRÃO CHEGANDO A UM CARGO DE RESPONSABILIDADE QUE ELE MESMO ME COLOCOU DO SEU LADO.

    AS VEZES DECIDIMOS E JULGAMOS CERTAS SITUAÇÕES SEM SABER E SEM TER A HABILIDADE DE FAZER E JULGAR, AS VEZES ENCONTRAMOS PESSOAS CERTAS EM LUGARES ERRADOS, COM O PASSAR DO TEMPO TEMOS A OBRIGAÇÃO DE ENXERGAR DE VÁRIOS ÂNGULOS AS SITUAÇÕES QUE A VIDA NOS PROPORCIONA E TER A HUMILDADE E SABER RECONHECER NA HORA CERTA NOSSAS FALHAS...

    ISTO ACONTECEU COMIGO NO JAPÃO : HISTORIA VERDADEIRA: MARCOS TAIRA

  • #7

    Josildo I Barbosa (Thursday, 10 December 2015 06:56)

    After watching this video, for sure I will be giver.